Mais
×

10 atrações turísticas imperdíveis em Buenos Aires

Creatas Images/Creatas/Getty Images

Introdução

Buenos Aires é uma cidade com uma história rica e dramática. Quer se trate de revoluções, lutas de poder político, ondas de imigração ou triunfos esportivos, as histórias da capital argentina são frequentemente contadas nos edifícios e monumentos em suas ruas. Aqui, vamos contar um pouco da história dos pontos turísticos imperdíveis de Buenos Aires.

Magalf Izaguirre/iStock/Getty Images

Casa Rosada

Este edifício abriga o escritório presidencial da Argentina. Ele foi originalmente o local de uma série de fortes, com o primeiro construído após o conquistador espanhol Don Juan de Garay, refundar a cidade em 1580. O local remonta à década de 1870 e é, na verdade, a combinação de um antigo edifício dos correios e um palácio do governo. Foi pintado de rosa sob as ordens do sétimo presidente da Argentina, Domingo F. Sarmiento. O prédio testemunhou muitos eventos históricos e sua varanda é oficialmente conhecida como o "sacada de Evita", graças a Eva Perón. Diego Maradona também foi para a varanda para comemorar o triunfo da Argentina na Copa do Mundo, em 1986. Visitas guiadas ao edifício estão disponíveis nos finais de semana.

Pablo Caridad/iStock/Getty Images

Cabildo

O Cabildo é um lindo edifício colonial que fica em frente à Casa Rosada, na Plaza de Mayo. O edifício original foi construído no início do século 17 para abrigar o conselho dirigente do assentamento da Espanha. O prédio que vemos hoje foi inaugurado em 1740, embora tenha perdido alguns de seus arcos para permitir a criação de avenidas. O seu maior significado para os argentinos é de que o primeiro governo independente da Espanha foi declarado neste prédio, em maio de 1810. O edifício é agora o Museu Nacional do Cabildo e da Revolução de Maio. Frequentes manifestações políticas são realizadas na área e o edifício tem de ser regularmente pintado para remover pichações.

Cristian Lazzari/iStock/Getty Images

Café Tortoni

Buenos Aires é uma cidade apaixonada por café. Ela é repleta de cafeterias históricas e a mais antiga e mais famosa de todas é o Café Tortoni. Localizado na Avenida de Mayo, o local abriu as suas portas em 1858. Desde então, foi frequentado por grandes escritores, poetas, artistas, jornalistas e músicos de várias gerações. Seus clientes mais famosos incluem o autor Jorge Luis Borges e o cantor de tango Carlos Gardel. Seu interior possui colunas de mármore, móveis antigos de madeira e bronze e um vitral no teto. Há bustos e pinturas de cliente famosos e também há uma biblioteca e uma sala de espetáculos que abriga shows de tango à noite. É uma atração muito popular e turistas fazem fila para entrar.

CelsoDiniz/iStock/Getty Images

Obelisco

Este monumento nacional dá a sensação de que você está em uma cidade influente. De 67,5 metros de altura, ele pode ser visto a partir de uma série de avenidas da cidade e você conseguirá tirar excelentes fotos em todos os momentos do dia. Além disso, as quatro faces do monumento tem inscrito datas importantes para a cidade. Agora, o Obelisco é um símbolo de Buenos Aires, no entanto, não foi muito popular para os moradores quando foi construído em 1936. Na verdade, alguns anos mais tarde, membros do conselho da cidade tentaram destrui-lo.

DC_Colombia/iStock/Getty Images

Teatro Colon

Este teatro, considerado um dos melhores do mundo, recebeu muitos nomes famosos do mundo da ópera, música clássica e balé desde que abriu em 1908. A lista inclui nomes, como Maria Callas, Os Três Tenores (Plácido Domingo, José Carreras, Luciano Pavarotti), Vaslav Nijinsky, Rudolf Nureyev, Richard Strauss, Igor Stravinsky e Leonard Bernstein. O edifício é um dos mais belos da cidade, mas, para apreciá-lo melhor, é preciso fazer uma visita guiada ou, melhor ainda, comprar um bilhete para uma das suas óperas ou balés. O teatro é mundialmente conhecido por sua excelente acústica.

Palacio Barolo
ToniFlap/iStock/Getty Images

Palacio Barolo

Inspirado pelo épico poema de Dante, "A Divina Comédia", este é sem dúvida o edifício mais espetacular da cidade. O imigrante italiano e comerciante têxtil Luis Barolo comissionou o arquiteto Mario Palanti para construir esta obra de arte de 100 metros de altura em 1919. Seus 22 andares, na Avenida de Mayo, são divididos em três seções que representam o céu, inferno e purgatório do poema do século 14. O edifício, que foi o mais alto da América do Sul por 12 anos, foi concluído em 1923. Palanti também construiu um edifício gêmeo em Montevidéu, no Uruguai, chamado Palacio Salvo. Ambos os edifícios foram construídos com cúpulas suportando faróis e foram usados ​​para acolher barcos que chegavam ao Rio do Prata pelo Oceano Atlântico. Visitas guiadas ao Palácio Barolo estão disponíveis nos dias de semana e você pode ter vistas deslumbrantes da cidade de dentro dos faróis.

Fiona Mark/iStock/Getty Images

Caminito

As coloridas casas de latão e madeira sobre esta pequena rua de paralelepípedos no bairro La Boca, fornecem uma das imagens mais clássicas de Buenos Aires. Esta forma não convencional de design nos leva ao início do século 20. Uma teoria afirma que os imigrantes pobres do bairro decoraram suas casas utilizando sobras de tinta de barco dadas a eles por marinheiros. Na década de 1950, o Caminito foi degradado e as cores surgiu da ideia do famoso artista argentino Benito Quinquela Martin para usar como decoração e dar mais vida à rua. Agora, é uma das atrações turísticas da cidade e suas ruas principais estão repletas de lojas de souvenirs, restaurantes e dançarinos de tango.

Dmitry_Saparov/iStock/Getty Images

La Bombonera

Com suas arquibancadas altas e inclinadas, La Bombonera (caixa de chocolate, na tradução livre) é um dos estádios de futebol mais emblemáticos do mundo. É a casa do Boca Juniors Futebol Clube e tem sido agraciada por alguns dos maiores nomes da história do futebol. Grande fã do Boca Juniors, Diego Maradona jogou em La Bombonera pelo clube na década de 1980 e 1990. Em dias de jogos, o estádio é um frenesi de ruídos e paixão e esse alvoroço é ainda maior durante os jogos de "Superclássico" contra o arquirrival, River Plate. Excursões ao estádio, que foi inaugurado em 1940 e conhecido oficialmente como "Estadio Alberto J. Armando", podem ser compradas na loja do clube. A capacidade do estádio é de 49 mil pessoas.

DC_Colombia/iStock/Getty Images

Cemitério da Recoleta

Um passeio por este cemitério deve estar na lista de todos os visitantes em Buenos Aires. O local tem 14 hectares, que é dividido em um sistema de grade, e contém mais de quatro mil túmulos. A riqueza arquitetônica do lugar é impressionante, com exemplos de neo-barroco, neo-gótico, neo-clássico, art nouveau e art-deco. Muitos túmulos estão decorados com esculturas, vitrais e ornamentados com portas de bronze. No entanto, enquanto algumas das tumbas estão em excelentes condições, outras estão desmoronando. O cemitério, que foi inaugurado em 1822, é o último lugar de descanso de muitos nomes famosos da história argentina. Os túmulos mais visitados incluem os de Eva Perón (seu túmulo está em seu nome de solteira, Duarte) e o ex-presidente Domingo F. Sarmiento.

Georgios Kollidas/iStock/Getty Images

Museu de Eva Perón

Eva Perón é uma figura emblemática da Argentina, mas também uma divisão política dentro do país. Ela subiu ao poder e teve influência como a segunda esposa do presidente Juan Domingo Perón e morreu de câncer com apenas 33 anos, em 1952. Para alguns, ela era uma defensora dos pobres, enquanto para outros, ela era corrupta e tinha fome de poder. Este museu, no bairro de Palermo, conta a história da ascensão da ex-atriz, desde a infância pobre até ser uma figura nacional por meio de fotografias, itens de sua fundação de caridade e também suas roupas glamourosas.