Mais
×

10 causas do aquecimento global

Aquecimento global e suas causas
Getty Images

Introdução

Os últimos 10 anos têm sido os mais quentes desde meados do século 19, e a temperatura aumentou quase 1ºC ao longo do século 20. É notável a poluição atmosférica atual, que se elevou à cifra de 393 ppm (partes por milhão). De fato, espera-se que as emissões gasosas causadas pelo efeito estufa alcancem seu ápice em 2015, para que comecem a diminuir gradualmente até chegar a 50% em 2050. Os cientistas afirmam que aproximadamente 90% do aquecimento global se deve a atividades humanas. Conheça a seguir 10 causas desse fenômeno e a contribuição de cada um de nós para que ele ocorra.

O desmatamento é uma das causas do aquecimento global
Mike Powell/Lifesize/Getty Images

Desmatamento

De acordo com um boletim de imprensa da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação) publicado em 2006, o desmatamento emite até 30% dos gases que criam o efeito estufa, visto que árvores são compostas em 50% por carbono — uma vez cortadas, esse composto volta para a atmosfera. Segundo a FAO, todos os anos perdem-se 13 milhões de hectares arborizados em escala global, e grande parte desse desmatamento é devido ao desenvolvimento de terras para o cultivo.

Getty Images

Emissão de gases contaminantes

Os gases — como dióxido de carbono, metano, óxidos nitrosos e clorofluorocarbonos — "aprisionam" a radiação infravermelha, o que causa um aumento generalizado da temperatura de entre 1,5 e 4,5ºC (Houghton et al., 1990, 1992). Esse fenômeno se revela em mudanças nos ecossistemas do planeta que resultam na perda de milhões de hectares de árvores. Ainda que essas transformações possam favorecer outros ecossistemas, não é possível chegar a um equilíbrio e, por fim, há mais perdas do que ganhos.

Efeito estufa
Getty Images

O efeito estufa

Ainda que esse pareça um conceito novo, o efeito estufa não é um fenômeno recente. Fourier o descobriu em 1824, enquanto Tyndall (1858) e Arrhenius (1896) continuaram a estudá-lo. Trata-se de um equilíbrio na temperatura do planeta graças à presença de uma determinada atmosfera com gases que absorvem e emitem raios infravermelhos. Quando esses gases (metano, CO2 e vapor de água) se encontram em determinadas proporções, a atmosfera é aquecida graças a uma eficiente absorção térmica, evitando temperaturas extremas. No entanto, quando a proporção desses gases aumenta, também aumenta o aquecimento, causando temperaturas extremas no planeta e afetando a vida.

Exploração animal e contaminação ambiental
Getty Images

Pecuária intensiva

Cada copo de leite e cada pedaço de carne consumidos por você têm um custo muito maior do que o valor monetário que é dado a eles. A pecuária intensiva é responsável por 14% (ou até mais) das emissões de gases contaminantes. O que acontece é que a fermentação no canal digestivo dos ruminantes produz metano e óxido de titânio, dois dos gases mais contaminantes causadores do efeito estufa. Além disso, também produzem milhões de toneladas de urina e esterco provenientes da exploração dos chamados "animais de consumo".

Contaminação pelo uso de combustíveis fósseis
Digital Vision./Digital Vision/Getty Images

Queima de combustíveis fósseis

Investigadores do Laboratório Nacional Lawrence-Livermore desenvolveram um simulador do clima e do ciclo do carbono. Esse modelo científico estimou que haverá um aumento gradual de 8°C na temperatura do planeta até o ano 2300 se combustíveis fósseis continuarem a ser usados. Por outro lado, o aquecimento global também impactará as regiões polares, onde a temperatura aumentaria mais de 20°C. Segundo esse estudo, os níveis de CO2 se quadruplicarão: 40% do CO2 produzido permanecerá na terra e nos oceanos, enquanto 45% irão para a atmosfera.

Campo de arroz alagado e seu impacto ambiental
Getty Images

Cultivo de arroz

De acordo com o site Elblogverde.com, o cultivo do arroz por alagações produz gás metano e óxido nitroso, dois dos gases causadores do efeito estufa. Essas emissões se apresentam desde a preparação do terreno de cultivo, durante o perfilamento (produção de caules laterais durante o crescimento) e ainda mais durante a floração. O arroz tem grande importância alimentícia, sobretudo em países orientais. Contudo, tem-se buscado alternativas que ajudem a diminuir o impacto ambiental dessa prática, como reduzir o tempo de alagação dos cultivos e aproveitar a casca do arroz como combustível ecológico.

Produção de CFC nas indústrias
Getty Images

Utilização de clorofluorcarbonos (CFC)

Os CFC, ou fréons, foram criados em 1930 como uma solução para o uso de congelantes em dispositivos de ar condicionado, geladeiras, aerossóis, plásticos e em outras aplicações industriais. Contraditoriamente, eles eram considerados atóxicos e substitutos perfeitos para o amoníaco. Os ganhadores do Prêmio Nobel de Química Mario Molina e Sherwood Rowland, por sua vez, advertiram a respeito do impacto dos CFC na destruição da camada de ozônio. Quando o Protocolo de Montreal houver sido cumprido, em 2050, os níveis na atmosfera serão similares aos existentes na década de 1970.

NA/Photos.com/Getty Images

Produção de óxido nitroso

O N2O é produzido através de processos biológicos tanto nos mares como em terra. Além disso, é também gerado pela atividade humana, nos processos relacionados às emissões de gases em veículos, à atividade industrial — como na produção de náilon e ácido nítrico — e à queima de biomassa e combustíveis. O óxido nitroso causa destruição fotoquímica na camada mais alta da atmosfera, convertendo-se num gás de efeito estufa que contribui para esse fenômeno.

Getty Images

A produção de lixo

Com o aumento dos níveis de industrialização (da exploração de produtos relacionados à carne e ao leite até a produção de grande parte dos utensílios usados cotidianamente), cresce também a sociedade de consumo, o que se comprova na produção diária de milhares de toneladas de lixo. Grande parte dele não é reciclado, mas queimado — e os gases emitidos como resultado sobem até a atmosfera, contribuindo com o efeito estufa.

Getty Images

A teoria antropogênica

A chamada Teoria Antropogênica afirma que o aquecimento global se deve à atividade humana existente desde a Revolução Industrial: o uso e a exploração de hidrocarbonetos como fonte de combustível, a conversão dos bosques em campos, a exploração pecuária e algumas indústrias, como a do tabaco. No entanto, é importante saber que alguns cientistas consideram essa teoria uma fraude e que, na realidade, se deseja que as nações mais pobres apostem em tecnologias mais caras e menos eficientes, como as utilizadas na energia eólica ou solar.