Mais
×

10 receitas mineiras irresistíveis

A típica culinária mineira é uma das mais ricas do Brasil
Site Eduardo Bedran | www.eduardobedran.com.br

Introdução

Historicamente, a gastronomia mineira se tornou uma das mais ricas de todo o País justamente pela diversidade de ingredientes e pela mistura de gostos que combinam costumes do mundo rural com sabores do espaço urbano. Além disso, cada prato conta a sua história, já que a culinária mineira começou a se consolidar no Brasil Colonial. Na época, a busca por jazidas de ouro trouxe exploradores e aventureiros para Minas Gerais. Outro ponto de destaque da culinária mineira é a criatividade na hora de preparar pratos variados com poucos recursos. Trata-se de um tipo de culinária com gostos, sabores e aromas inesquecíveis.

O angu mineiro é uma mistura à base de farinha de milho
Site Chopp da Fábrica | choppdafabrica.com.br

Angu mineiro

Preparado à base de uma mistura de farinha de milho, o típico angu mineiro é uma receita tradicional de um prato nutritivo e saboroso servido como acompanhamento para carnes diversas. Em sua versão tradicional, o angu mineiro é preparado com caldo de legumes, farinha de milho dissolvida em água quente (antes de ferver) e manteiga (ou margarina) para dar um sabor especial. Depois de cozinhar em uma panela por 30 minutos em fogo médio, basta espalhar a mistura em um refratário e polvilhar com queijo ralado a gosto.

O feijão tropeiro é acompanhado de torresmo, linguiça e bacon
Flickr Visit Brasil

Feijão tropeiro

Prato típico da região Sudeste, o feijão tropeiro é bastante consumido em Minas Gerais e em São Paulo. A diferença básica é que o feijão tropeiro mineiro leva ingredientes complementares, como torresmo, linguiça e bacon. O prato é composto pela mistura de feijão com farinha de mandioca e ovos, acompanhado de temperos a gosto, além de alho e cebola. A receita surgiu durante o Brasil Colonial, quando os bandeirantes, conhecidos como tropeiros, precisavam de uma comida rápida e fácil. Assim, o feijão tropeiro era consumido entre as pequenas pausas de descanso das tropas que se locomoviam em busca de ouro.

Couves picadas são a base do típico bambá
Comstock Images/Comstock/Getty Images

Bambá de couve

O clássico bambá de couve, que tem aspecto semelhante à polenta, é feito a partir de uma receita simples, prática e fácil de fazer. Basicamente, o bambá é feito com linguiça de porco, alho, cebola, caldo de carne, manteiga (ou margarina), água e fubá. Depois de dourar a linguiça picada, basta refogar a cebola com os outros ingredientes, adicionando água e caldo de carne à panela em fogo brando. Depois de cinco minutos de cozimento, basta adicionar o fubá e a couve picada. Alguns minutos depois, o bambá de couve estará pronto para ser servido.

A hora da vaca atolada era também a hora de descanso dos tropeiros no Brasil Colonial
Site Cozinhando Para Relaxar | www.cozinhandopararelaxar.com

Vaca atolada

A saborosa receita feita com costela bovina e mandioca também tem origem nas grandes travessias que os mineiros faziam a Minas Gerais durante o período colonial. O nome do prato faz referência a uma situação vivida frequentemente pelos tropeiros. Em meses de chuva na região Sudeste, as caravanas dos bandeirantes tinham problemas sempre que o gado encalhava em terrenos alagadiços. Era muito difícil remanejar os animais, então, durante o processo, a tropa parava para almoçar. A receita básica era costela de vaca com mandioca, dando origem a esse saboroso prato da culinária mineira.

O segredo do tutu é bater o feijão cozido no liquidificador antes de ser refogado
Blog Na Cozinha da Margô | nacozinhadamargo.blogspot.com

Tutu à mineira

O clássico tutu à mineira nada mais é do que a típica receita feita de feijão cozido refogado com uma série de ingredientes que vão desde cebola e alho picados até pedaços de linguiça calabresa, bacon e ovos cozidos. Todos os ingredientes são posteriormente misturados à farinha de milho ou farinha de mandioca. O grande segredo do tutu, o que também o difere do feijão tradicional, é bater o feijão cozido no liquidificador antes de ser refogado. Essa técnica deixa o prato com uma consistência particular e valoriza o gosto dos ingredientes complementares. Uma verdadeira delícia da culinária mineira.

O ensopado pode ser feito com pedaços de sobrecoxa de frango
Flickr Visit Brasil

Frango com quiabo

A receita de frango ensopado com quiabo é uma das mais tradicionais de Minas Gerais. O ensopado pode ser feito com 1 quilo de sobrecoxa de frango sem pele. Em uma panela, basta refogar meio quilo de quiabos com óleo, alho e cebola. Na mesma panela, depois que os quiabos estiverem aquecidos, coloque pedaços de frango e deixe fritar por 15 minutos. Então, adicione a água fervente e o caldo de galinha e deixe ferver com a panela destampada por 10 minutos. Dica importante: para evitar a chamada baba de quiabo, adicione gotas de suco de limão durante o cozimento.

Variações do pão de queijo são famosas em todo o mundo. Mas a receita é tipicamente mineira
Blog Food Translation | foodtranslation.wordpress.com

Pão de queijo

O famoso pão de queijo, conhecido e consumido em todo o Brasil, teria surgido em Minas Gerais durante o século 18. Especula-se que a receita foi criada nos casarões coloniais a partir da mistura de queijo com polvilho. O polvilho foi uma adaptação que as cozinheiras mineiras fizeram para substituir a farinha de trigo, que era trazida de Portugal a preços exorbitantes. A receita fez sucesso e hoje é saboreada até fora do Brasil. O segredo do pão de queijo típico é usar metade de polvilho doce e metade de salgado na hora de preparar a massa.

O fubá é um ingrediente que foi trazido pelos escravos africanos
Blog Sabor Saudade | saborsaudade.blogspot.com.br

Bolo de fubá

Trazido da África pelos escravos, o fubá é feito a partir da moagem fina do milho seco. Especialmente em Minas, que recebeu muitos escravos durante o período da exploração do ouro, o fubá foi completamente inserido na culinária local sob a forma de saborosos pratos doces e salgados. O destaque na área dos doces é o bolo de fubá. O bolo é feito com a receita básica: ovos, açúcar, farinha de trigo, manteiga, fermento, leite, e, é claro, o fubá. Se servido ainda morno depois de ser tirado do forno, o fubá apresenta uma consistência macia e derrete na boca.

Em Minas, a goiabada costuma ser feita de forma artesanal a partir da mistura de goiaba, água e açúcar
Site Onde Como | ondecomo.com

Goiabada com queijo minas

Os doces mineiros também são um caso de delícias à parte. A tradicional mistura de goiabada com queijo minas, também chamada de romeu e julieta, é conhecida no exterior como uma das invenções tipicamente brasileiras. É uma receita simples de preparar mas que alcança um sabor sofisticado graças à harmonia da goiabada com o queijo. Variações de goiabada com queijo são encontradas em bolos, sorvetes e até pães de queijo. Em Minas, é comum encontrar versões da goiabada caseira, feita artesanalmente com pedaços de goiaba, água e açúcar. A origem dessa mistura é desconhecida.

O doce de abóbora é uma receita fácil, rápida e saborosa
Paul Katz/Photodisc/Getty Images

Doce de abóbora

Para fechar a lista dos quitutes mineiros, a receita de doce de abóbora é uma ótima pedida. Típica da América Latina, a abóbora pode ser usada em receitas doces ou salgadas. Para fazer o doce de abóbora, basta misturar em uma panela pedaços de abóbora em cubo, água, açúcar, cravos da índia e canela. Mexendo muito bem, a mistura deve começar a ficar bem consistente após cerca de dez minutos. Aí, basta retirar do fogo e deixar esfriar. Se preferir, pode colocar na geladeira e servir frio. O doce de abóbora mineiro é geralmente acompanhado de coco ralado.