×
Loading ...

Os 15 profissionais mais bem pagos do Brasil

Sergey Nivens/iStock/Getty Images

Introdução

Nos grandes centros brasileiros, um executivo altamente qualificado, trabalhando em uma área de alto crescimento, pode chegar a ganhar até R$ 60 mil mensais. Acredite se quiser, esse é o salário de um diretor de exploração de petróleo e gás no Rio de Janeiro. Outras áreas privilegiadas nesse sentido são a financeira e a de logísica, que também oferecem remuneração muito acima da média. Conheça melhor quais são as quinze carreiras mais bem pagas no Brasil. Quanto ganham esses profissionais e o que estudaram para chegar lá?

Jupiterimages/Goodshoot/Getty Images

Diretor-geral de empresas de óleo e gás

Com a descoberta dos poços do pré-sal, em 2007, aumentaram de forma impressionante os investimentos de petroleiras no Brasil. O Rio de Janeiro, metrópole mais próxima das áreas de perfuração, conta com dezenas de empresas do setor, que se preparam para começar a exploração de gás natural e petróleo nas águas próximas. Um profissional com formação em engenharia de petróleo ou materiais vale muito no mercado brasileiro pela falta de capacitação específica. O salário de um diretor nessa área pode chegar a R$ 60 mil por mês.

Comstock Images/Stockbyte/Getty Images

Diretor administrativo e financeiro

Depois do CEO, o diretor financeiro (também conhecido como CFO) é a peça mais importante dentro de uma empresa. A apuração e checagem de todos os números é responsabilidade desse profissional, que precisa de formação específica em administração de empresas ou ciências contábeis, além de conhecimentos de auditoria. Esse diretor é o gestor da saúde financeira da empresa e por isso deve ser altamente treinado e ter uma visão ampla de todos os negócios da organização. Um diretor administrativo e financeiro pode receber até R$ 50 mil por mês, e o salário inicial na área pode chegar a R$ 2,5 mil.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Diretor executivo do mercado de seguros e resseguros

O mercado de seguros vai muito além do varejo para pessoa física e inclui também apólices de empresas ou logística de importação e exportação. Por isso, o diretor executivo deve ter formação em áreas como contabilidade, finanças e ciências atuariais — essa última usa projeções e dados para calcular prêmios de seguro. Já o resseguro é a transferência do risco de uma apólice para outra seguradora, muito comum em operações de valor muito alto. O salário inicial é de cerca de R$ 2 mil, e um diretor executivo de seguros e resseguros pode ganhar até 50 mil reais por mês.

Creatas Images/Creatas/Getty Images

Diretor técnico e de operações no mercado de tecnologia

Um diretor de tecnologia é hoje uma das funções mais importantes dentro de uma empresa. Responsável por todos os sistemas utilizados na companhia, ele precisa se manter em contato com os mais variados setores da firma. Embora muito bem remunerado, é um cargo exigente: problemas podem acontecer a qualquer hora, e o diretor deve estar sempre disponível para controlá-los. Isso inclui jornadas extras e mesmo nos fins de semana. A formação ideal é em sistemas de informação, matemática ou engenharia. Porém, a remuneração é altíssima e pode chegar a R$ 50 mil mensais.

Erik Snyder/Digital Vision/Getty Images

Diretor técnico de telecomunicações

O crescimento da classe média brasileira e o impressionante aumento do uso de telefones celulares no Brasil criou uma nova e gigantesca demanda: um serviço de telecomunicações abrangente e de qualidade. O diretor técnico é o responsável pelos investimentos da empresa, que podem representar melhoras no serviço — e consequente aumento de competitividade — ou expansão a áreas sem cobertura, criando novas oportunidades de negócios. Uma formação em engenharia de telecomunicações pode ser o caminho mais rápido para uma vaga na área. O crescimento da demanda por profissionais aumentou o salário desses executivos para até R$ 45 mil por mês.

Comstock Images/Stockbyte/Getty Images

Diretor administrativo de hospitais

Com o crescimento da procura por planos de saúde particulares, o número de hospitais no Brasil também aumentou. Por isso, muitas unidades de saúde procuram médicos com pós-graduação em administração de empresas. O Brasil não possui um grande déficit de médicos, mas são poucos os que estão dispostos a deixar o atendimento direto com o paciente e investir numa carreira administrativa. Mesmo assim, a remuneração compensa: são cerca de R$ 45 mil mensais nos hospitais de maior prestígio, nos grandes centros.

visionchina/iStock/Getty Images

Superintendente de shopping center

Os recentes avanços econômicos brasileiros ocasionaram a abertura de centenas de centros comerciais de grande porte por todo o Brasil. O último estado brasileiro que não contava com um shopping, Roraima, recebeu sua primeira unidade em 2013. Por isso, cresce a demanda por administradores capacitados, com longa experiência no setor de varejo e bens de consumo, para gerir esses empreendimentos. O superintendente é responsável pelo setor administrativo, coordena as ações de marketing e negocia espaços de lojas com as principais marcas. O salário médio, em um shopping de luxo, pode chegar a R$ 45 mil mensais.

Alen-D/iStock/Getty Images

Diretor de negócios de obras de infraestrutura

O setor de construção é um dos que registraram maior crescimento nos últimos anos. Por isso, surgiram mais vagas para diretores de negócios, voltados a obras de infraestrutura. Esses profissionais coordenam acordos com o governo, outras empresas, licitações e parcerias público-privadas, como estradas, portos, aeroportos e estádios. É necessário ter muita experiência na coordenação de obras de infraestrutura, além de faro para novos empreendimentos e formação superior, como um curso de engenharia. O salário médio fica em torno de R$ 45 mil mensais.

Chagin/iStock/Getty Images

Diretor de recursos humanos

Anos atrás, não era comum que o chefe de recursos humanos se reportasse diretamente ao presidente da empresa. Isso mudou. A crescente necessidade de seleção, recrutamento e retenção de talentos forçou uma revisão do papel do diretor de recursos humanos, que é responsável pela gestão de pessoas da empresa. Formação em psicologia e pós-graduação em áreas afins, além de experiência em cargos de liderança, são indispensáveis para chefiar o setor. A remuneração inicial média é de R$ 1,7 mil, mas pode chegar a R$ 40 mil por mês.

Digital Vision./Photodisc/Getty Images

Diretor jurídico de bancos

A função do diretor jurídico nos bancos ganhou nova importância depois da aprovação da Lei Anticorrupção, de 2013, que força as empresas a manter uma estrutura rígida de controle dos procedimentos internos. Esse controle, o chamado "compliance empresarial", entrou de forma definitiva na pauta das grandes empresas, sobretudo dos bancos, que lidam com maior controle por parte do Banco Central. A função está mais restrita aos grandes centros urbanos, e a remuneração bate na casa dos R$ 40 mil. Além da formação em direito, é imprescindível já ter passado no exame da Ordem. Uma pós-graduação em direito empresarial pode ajudar.

Minerva Studio/iStock/Getty Images

Diretor tributário

Se em anos passados o diretor tributário era subordinado à área financeira, hoje a função ganhou novo papel estratégico. Isso acontece por conta dos complexos sistemas tributários brasileiros, que exigem um comando separado. A área coordena formas de se manter em rígido compasso com a lei e de diminuir os gastos com carga de tributos. O diretor tributário se mantém em contato frequente com a auditoria externa e o departamento jurídico. É importante ter formação em economia ou contabilidade, mas uma pós em direito tributário ou contabilidade pode ajudar. A remuneração chega a R$ 35 mil.

Monkey Business Images Ltd/Monkey Business/Getty Images

Gerente de comunicação e marketing

É cada vez mais importante um posicionamento adequado no mercado, e aí entram os gerentes e diretores de comunicação e marketing. Suas funções incluem ações publicitárias, assessoria de imprensa, comunicação interna e planejamento estratégico de marca, o que inclui entender os hábitos de consumo da população e posicionar os produtos de forma vantajosa. Os gerentes de comunicação fazem toda a articulação com veículos de publicidade e imprensa. É necessária formação em jornalismo, publicidade, design, marketing ou relações públicas, e grande conhecimento da área. O salário inicial é de R$ 2,3 mil e pode chegar a R$ 25 mil.

monkeybusinessimages/iStock/Getty Images

Gerente de logística

Um gerente de logística em setores como o químico deve ter como principal característica a eficiência, em seu trabalho individual e como meta para a equipe. O gerente logístico coordena toda a movimentação e armazenamento de mercadorias e insumos da empresa e em geral tem formação em engenharia de produção, além de pós em planejamento estratégico e cadeia de produção ("supply chain"). Também pode auxiliar o diretor nas decisões estratégicas da empresa, que influenciam diretamente os custos e o orçamento. O salário começa em torno de R$ 1,8 mil e pode chegar a R$ 22 mil mensais.

cexco/iStock/Getty Images

Engenheiro de cálculos estruturais

O engenheiro de cálculos estruturais é quem cuida das diretrizes básicas para a construção de um empreendimento. Além de uma formação muito acima da média em cálculo, é necessário profundo conhecimento em engenharia. São eles os responsáveis pelos cálculos de todas as etapas da construção, na estrutura de prédios comerciais e residenciais, hospitais, estádios, escolas e outras edificações. Com o "boom" da construção civil, a demanda por esses profissionais aumentou, o que fez elevar os salários. Um engenheiro sênior em cálculos estruturais pode ganhar até R$ 10 mil em uma grande empresa.

George Doyle/Stockbyte/Getty Images

Analista sênior de remuneração e benefícios

É cada vez mais comum que as empresas mudem suas políticas de gestão de pessoas, para atrair talentos. Por isso, o papel do analista de remuneração e benefícios se tornou muito mais importante que no passado. O trabalho consiste em analisar o mercado para elaborar os pacotes de salários e benefícios mais atraentes, mas ao mesmo tempo manter os custos tão baixos quanto for possível. O analista de remuneração começa ganhando cerca de R$ 1,6 mil e pode receber até R$ 9 mil mensais. Além da formação em psicologia, vale investir em uma pós em administração ou gestão de pessoas.