Mais
×

16 pensamentos que fazem você ser inegavelmente brasileiro

Getty Images

Introdução

Alegria, simpatia, samba no pé e muita facilidade em fazer amigos. O brasileiro é conhecido no mundo todo pelo temperamento leve, amabilidade e um sorriso fácil, sempre presente no rosto. Somos uma nação de gente batalhadora, honesta e muito decidida, mas também temos nossos defeitos. Alguns costumes que compartilhamos no Brasil não encontramos em nenhum outro lugar do mundo. São pontos positivos e outros negativos exclusivos do nosso povo. Descubra aqui quais são os 16 pensamentos que fazem você ser inegavelmente brasileiro.

Photodisc/Photodisc/Getty Images

Ser pessimista

Quem acha que a alegria é a maior característica do povo brasileiro se engana completamente. Não percebemos, mas sofremos de um pessimismo crônico. Tudo relacionado ao Brasil para nós não tem chance de dar certo. Nosso país tem a oportunidade de sediar a Copa do Mundo e as Olimpíadas, mas na nossa cabeça isso vai ser um desastre e uma vergonha mundial. Nossa economia está cada vez mais forte, ultrapassando países de primeiro mundo e a pobreza está diminuindo consideravelmente, porém só destacamos as coisas ruins que acontecem em nosso território. É só perceber quando nos reunimos com amigos ou parentes. Só sabemos reclamar de crime, corrupção e miséria.

Dynamic Graphics Group/Dynamic Graphics Group/Getty Images

Ter síndrome de grandeza

O brasileiro é definitivamente um bicho estranho. Adoramos falar mal do nosso país, mas ao mesmo tempo sofremos de uma grande síndrome de grandeza. Tudo da cultura brasileira é do bom e do melhor. Para nós samba é o ritmo mais maravilhoso do mundo, nosso futebol é o melhor de todos, as mulheres brasileiras as mais lindas do planeta e a culinária tupiniquim é de longe a mais deliciosa da face da Terra. Amar o que é nosso é uma grande manifestação de patriotismo, mas nós brasileiros exageramos bastante. É sempre bom ter a cabeça aberta para também apreciar o que é de fora.

George Doyle/Stockbyte/Getty Images

Deixar tudo para a última hora

Para perceber isso é bem fácil. Basta ver como fica o movimento dos shoppings alguns dias antes de uma data comemorativa como Natal, Dia das Crianças, Dia das Mães ou Dia dos Namorados. O brasileiro já sabe que as lojas estarão lotadas e super movimentadas, mas mesmo assim prefere enfrentar isso do que se planejar antecipadamente. Com a entrega anual da declaração do Imposto de Renda é a mesma coisa. Milhões de pessoas só entregam no último dia e muitas vezes são obrigados a pagar multa. Ser pontuais é algo que definitivamente não nos representa...

Thomas Northcut/Photodisc/Getty Images

Não ter memória

"O brasileiro é um povo sem memória", já dizia há quase um século o poeta Mário de Andrade. Temos dificuldade em lembrar do passado e aprender com ele. Vivemos reclamando da nossa realidade e dos nossos atuais políticos, mas poucas são as pessoas que realmente se lembram em quem votaram nas últimas eleições para deputado federal. A novela, o bate-papo com o vizinho ou o futebol sempre são mais importantes do que o noticiário político. Um povo sem memória, que esquece rapidamente a sua própria história, está fadado a repetir os erros de sempre.

Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images

Jeitinho brasileiro

O famoso "jeitinho brasileiro" possui duas facetas opostas. De um lado ele é a prova de nossa criatividade e habilidade de agir rapidamente para contornar situações difíceis. O brasileiro custa a se dar por vencido e sempre acaba driblando as adversidades com a força de vontade. Mas por outro lado, nosso jeitinho acaba mostrando nossa total incapacidade para obedecer normas e padrões estabelecidos. As regras existem para serem cumpridas por todos e devem ser seguidas por alguma razão. Nem sempre é possível dar uma volta no problema e fazer tudo da nossa maneira.

Creatas/Creatas/Getty Images

Reclamar inutilmente

Nós brasileiros adoramos reclamar nossos direitos. Protestamos, gritamos e rodamos a baiana para que a justiça seja feita, mas falhamos na hora de direcionar nossa frustração para alguém que realmente possa nos ajudar. De que adianta gritar e reclamar numa fila de banco para a pessoa do lado se quem pode resolver é um funcionário? Qual a necessidade de gritar e espernear no aeroporto, exigindo que deixem você viajar, quando seu passaporte está fora de validade e não há nada que possa ser feito? Devemos aproveitar nossa característica de gente guerreira, que sempre luta pelo que é correto, sem esquecer antes de saber quem deve ouvir nossas queixas.

Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images

Amar as novelas

Definitivamente o Brasil não é o país do futebol, mas sim da novela. Diariamente milhões de brasileiros param na frente da televisão para acompanhar os capítulos das mais variadas histórias. Essa tradição já está tão enraizada na nossa cultura que acabamos programando nossas atividades de acordo com o horário da novela. As donas de casa planejam seus afazeres domésticos para antes da transmissão da história. Os mais jovens, que antes tinham preconceito contra os noveleiros, só saem para a balada depois que acabar o capítulo. E quando não estamos assistindo, estamos conversando sobre novelas. No dia seguinte à exibição, seja no trabalho, escola ou faculdade, todos comentam as melhores cenas.

Comstock/Comstock/Getty Images

Ser amigo de todo mundo

Brasileiro que é brasileiro sai logo fazendo amizade em qualquer lugar, seja no banco, no ponto do ônibus e até mesmo na fila do supermercado. Como somos um povo pacífico e simpático, acabamos nos conectando facilmente com os demais. Isso é ótimo, já que assim nunca ficamos entediados e damos chance para que amizades verdadeiras apareçam nas mais inusitadas situações. O problema é que nem todo mundo é assim tão expansivo e muitos brasileiros não percebem isso. Não insista quando receber um sorriso amarelo depois de puxar uma conversa. Há pessoas que não querem saber da sua vida e nem bater papo com desconhecidos.

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Não respeitar horários

Quem nunca levou um chá de cadeira de um amigo? Combinou um encontro em tal hora e depois de quarenta minutos a pessoa nem deu o ar da sua graça? Nós brasileiros temos um problema sério com o relógio. Estamos sempre atrasados para a faculdade, o trabalho, a aula de inglês ou o futebolzinho com os colegas. Esse péssimo hábito é fruto da nossa falta de organização. Se sabemos que o trânsito vai estar complicado em certo horário, por que não sair mais cedo para chegar na hora combinada? Em algumas situações a falta de pontualidade pode pegar bastante mal. Chegar atrasado a uma reunião ou entrevista de trabalho é sinal de desinteresse e falta de profissionalismo.

David Woolley/Lifesize/Getty Images

Adorar uma promoção

Os brasileiros são pessoas batalhadoras e que valorizam muito o dinheiro ganhado com muito suor. Não é à toa que somos loucos por ofertas e promoções. É só ver um cartaz dizendo que levamos dois produtos pelo preço de um que saímos desesperados para comprar. No final do ano então é uma loucura. Pessoas chegam a dormir na fila só para aproveitar os preços baixos das queimas de estoque que grandes lojas fazem. Devemos dar valor ao nosso dinheiro e procurar pelo preço justo, mas antes de comprar um produto que está em oferta é sempre bom pensar se realmente precisamos dele.

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Sentir preconceito

Nossa sociedade é resultado da fusão de várias raças e etnias, algo que não vemos em nenhum outro país. Europeus, índios, negros e asiáticos foram se juntando durante séculos e formaram nossos costumes, nossa gastronomia e nossa variada e rica cultura. Gritamos orgulhosos para todo mundo que somos uma mistura de raças, mas nem sempre agimos de acordo com isso. No Brasil os negros ainda sofrem preconceito. Têm menos chance de conseguir um bom trabalho, são muito mais perseguidos pela polícia e ainda são minoria nas universidades. A partir do momento que todas as raças forem tratadas da mesma forma e tiverem as mesmas oportunidades, aí sim os brasileiros poderão se orgulhar do que são.

James Woodson/Digital Vision/Getty Images

Ser "maria vai com as outras"

Ninguém vai gostar de admitir, mas a grande verdade é que os brasileiros são muito "maria vai com as outras". Quantas vezes já nos deparamos com uma situação onde só começamos a agir depois que alguém tomou uma atitude? Reclamar da demora do atendimento no banco, por exemplo. Só depois que o primeiro cliente exige seus direitos que os outros também se manifestam. Isso está profundamente ligado com o comportamento extremamente passivo do nosso povo. Temos medo do que vão pensar da gente quando reclamamos ou exigimos nossos direitos. Só depois que alguém faz o mesmo é que tomamos coragem para protestar!

Digital Vision./Digital Vision/Getty Images

Evitar falar verdades incômodas

"Passa lá em casa para tomar um café". Quem nunca falou essa frase para um conhecido que encontrou na rua, mas que no fundo não queria dizer isso exatamente? Os brasileiros são pessoas bastante cordiais e têm sérias dificuldades em confrontar os outros quando deparados com uma situação complicada. Prova disso é como sofremos quando temos problemas de convivência no ambiente profissional. É um verdadeiro sacrifício sermos sinceros e avisar uma pessoa quando ela tem mau-hálito, fala alto demais ou está fazendo um péssimo trabalho. Pensar no que os outros sentem é um nobre sentimento, mas não devemos sofrer por causa disso.

Scott Heavey/Getty Images Sport/Getty Images

Ser patriota só na Copa

Vivemos falando mal do nosso país, mas de quatro em quatro anos somos contagiados por um patriotismo louco. É a Copa do Mundo de Futebol, que faz a gente pintar as ruas de verde amarelo, vestir a camisa da seleção e bradar bem alto o grito de guerra "Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor". Durante o mês da Copa o Brasil parece até outro país. De uma hora para outra não se fala em violência, corrupção ou miséria. Nossa paixão é tão forte que ficamos cegos e surdos para esses assuntos. Só falamos de futebol. Que bom seria se mostrássemos esse patriotismo em outros momentos e não só a cada quatro anos.

Getty Images

Achar que os americanos são melhores em tudo

Existe um país que todo brasileiro acha que é melhor em tudo, sempre o comparando com a realidade tupiniquim: os Estados Unidos. Adoramos dizer como tudo lá é mais barato, a criminalidade é menor, as pessoas mais estudadas e os políticos muito mais decentes. Acontece que os brasileiros conhecem muito pouco da vida na América do Norte, mas vivem elogiando bem como se lá fosse um paraíso na Terra. Os Estados Unidos são muito mais desenvolvidos que o Brasil em vários aspectos, porém não devemos exagerar. Não custa lembrar que a terra do Tio Sam está passando por uma tremenda recessão e que lá não existe saúde pública e nem faculdades federais.

Ryan McVay/Photodisc/Getty Images

Não admitir a culpa

Nós brasileiros podemos ter muitos comportamentos positivos, como a alegria, a simpatia e a espontaneidade, porém possuímos um péssimo hábito: nunca damos o braço a torcer. É mais fácil chover no Saara de que um brasileiro admitir a culpa de algo que fez errado. Temos sempre uma desculpinha na ponta da língua para qualquer problema que aparecer e somos craques em jogar a responsabilidade para outra pessoa. O brasileiro pensa que admitir um erro é sinônimo de fraqueza, mas fazer isso mostra exatamente o contrário. Perceber nossos erros e encará-los de frente é sinal de maturidade e vontade de melhorar.