×
Loading ...

20 artistas emblemáticos da MPB

Thinkstock/Comstock/Getty Images

Introdução

A Música Popular Brasileira, também chamada de MPB, surgiu por volta dos anos 1960, com a segunda geração da bossa nova. Porém, o gênero não se limita a esse movimento musical. É muito mais ampla que isso. Além da bossa nova, a MPB abarca também uma mistura de rock, soul, samba e diversos outros ritmos que dão um toque todo especial ao que conhecemos hoje. Confira uma lista com 20 dos mais emblemáticos músicos da MPB.

Getty Images

Chico Buarque

Com aproximadamente 80 discos em sua carreira, Chico Buarque é um dos artistas mais emblemáticos da MPB. Além de músico, ele é dramaturgo e escritor. Carioca da gema, nascido em 1944, Chico ganhou destaque no cenário musical em 1966, ao vencer o "Festival da Música Popular Brasileira" com a música "A Banda". No período do ditadura militar, em 1969, se autoexilou na Itália, onde fez algumas apresentações com Toquinho. Nessa época, lançou algumas músicas como: "Apesar de Você" e "Cálice", que foi censurada no Brasil. Desde então, escreveu várias canções de sucesso, inclusive se utilizando do "eu" feminino - recurso literário em que o compositor adota uma personalidade feminina na composição.

Eric Jamison/Getty Images Entertainment/Getty Images

Caetano Veloso

Bahiano, nascido em 1942, Caetano é, além de músico, produtor, arranjador e escritor. Um verdadeiro intelectual da música brasileira. Iniciou seu trabalho no ano de 1965. Foi por intermédio de sua irmã Maria Bethânia que Veloso conheceu Gilberto Gil, Gal Costa e Tom Zé. Em 1967, lançou seu primeiro álbum intitulado "Domingo", uma parceria com Gal Costa. Em 1968, Caetano foi líder de um movimento conhecido como "Tropicalismo", que mudou a forma de se apresentar e criar músicas no Brasil. Na época da ditadura militar, compôs "É proibido proibir" e, durante uma apresentação, teve sua música vaiada pelo público. Hoje, Caetano Veloso é sucesso não só no Brasil, mas uma referência mundo afora.

Divulgação

Belchior

Cantor e compositor, Belchior nasceu em 1946 e foi um dos primeiros cantores da MPB do Nordeste a fazer sucesso a nível nacional. Sua carreira começou nos anos 1970, mas antes disso ele já era cantor e poeta repentista, apresentando-se em vários festivais da região. Ele se mudou para São Paulo em 1971, mas sua carreira se consolidou em 1976 com a gravação de seu segundo álbum, "Alucinação", onde estão sucessos como: "Velha roupa colorida", "Como nossos pais" (também gravado por Elis Regina) e "Apenas um rapaz latino americano". Em 2009, houve um boato de que ele havia desaparecido, mas tudo não passou de um mal entendido. Ele se encontrava no Uruguai preparando um disco de canções inéditas.

Getty Images

Nara Leão

Descendente de italianos, Nara Leão nasceu em Vitória, no ano de 1942, mas se mudou para o Rio de Janeiro com apenas um ano de idade. Foi lá que ela aprendeu a tocar violão. Teve aulas durante sua infância, mas foi aos 14 anos que começou a estudar o instrumento com afinco. No fim dos anos 1950, fazia reuniões de bossa nova, em seu apartamento em Copacabana. Também trabalhou como repórter no jornal Última Hora. Nara, que é interprete, fez sucesso com canções como "O Barquinho", "A Banda", "Com Açúcar, Com Afeto", entre outras. Também participou ativamente do movimento tropicalista. Em 1989, Nara Leão faleceu devido a um tumor cerebral inoperável.

Keystone-France / Getty Images

Elis Regina

Gaúcha de Porto Alegre, Elis Regina é uma das vozes mais aclamadas da música brasileira, ainda nos dias de hoje. Passou por muitos ritmos da MPB, como bossa nova, samba, rock e jazz, entre outros. Gravou as canções "Madalena", "Como Nossos Pais", "O Bêbado e o Equilibrista" e vários outros sucessos inesquecíveis. Elis foi a primeira artista a registrar sua voz como próprio instrumento na Ordem dos Músicos do Brasil. Com 62 discos gravados, entre singles, EPs, registros ao vivo e álbuns de estúdio, ela deixou o país mais triste musicalmente em 1982, aos 36 anos, quando faleceu devido ao uso abusivo de álcool e drogas.

Flickr: EssG | Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.0 Generic (CC BY-NC-SA 2.0)

Tim Maia

Nascido em 1942, em Niterói, no Rio de Janeiro, Tim Maia foi cantor, compositor, produtor, multiinstrumentista, maestro e empresário. Em sua infância, teve muito contato com grandes nomes da música brasileira. Aos 17 anos de idade, foi para os Estados Unidos, onde conheceu a soul music, mas foi deportado por roubo e porte de drogas. Foi através dele que a soul music entrou para a MPB. Nos anos 1970, gravou seu primeiro disco, "Tim Maia", que se tornou rapidamente sucesso em todo o país. "Azul da Cor do Mar" e "Primavera" estão neste álbum. Durante toda a sua carreira lançou hits como "Não Quero Dinheiro", "Gostava Tanto de Você", "Que Beleza", "Descobridor dos Sete Mares", "Me Dê Motivo" e muitos outros sucessos. Em meados dos anos 1990, sua saúde se agravou devido ao uso de drogas e à obesidade. Em 1998, enquanto se apresentava no Teatro Municipal de Niterói se sentiu mal e faleceu após duas paradas cardiorrespiratórias.

TV Globo / Marcos Mazini

Rita Lee

Nascida em 1947, uma das artistas mais polêmicas da nossa MPB, Rita Lee é cantora, compositora, instrumentista e atriz. A Rainha do Rock incursionou por vários ritmos, como o rock, o pop rock e a bossa nova. Em suas músicas é possível perceber uma ironia ácida e a reivindicação da emancipação feminina. Com 40 discos lançados, entre carreira solo e em alguns grupos, já vendeu mais de 65 milhões de álbuns e foi premiada com mais de 30 discos de platina, dez de ouro e cinco de diamante. Ainda hoje é possível ver e ouvir músicas de muita qualidade da rainha que, desde 1963, não deixou os palcos apesar de ter anunciado, em 2012, sua aposentadoria.

Divulgação

Cássia Eller

Carioca, nascida em 1962, Cássia Eller começou a se interessar pela música quando ganhou um violão de presente, aos 14 anos. Aos 18, foi para Brasília, fez alguns testes e começou a trabalhar em um grupo de forró como vocalista. Sem mesmo terminar o ensino médio, foi morar em Minas Gerais e trabalhar como assistente de pedreiro, em 1982. Em 1989, foi contratada pela Polygram, depois que seu "tio" Renato Russo levou uma fita dela cantando "Por Enquanto". Sempre muito ativa nos palcos, tinha preferência pelos álbuns ao vivo. Em 1990, lançou seu primeiro disco, "Cássia Eller", mas, contrariando sua preferência, este foi um álbum de estúdio. Obteve muito sucesso e diversas vezes foi convidada para participar de shows e acústicos. Aos 39 anos e no auge de sua carreira faleceu depois de sofrer um infarto, deixando uma enorme lacuna na música popular brasileira.

Stephen Lovekin/Getty Images Entertainment/Getty Images

Gilberto Gil

Nascido em Salvador, na Bahia, em 1942, Gil é músico e político. Quando jovem, ganhou um violão e começou a se interessar pela música. Foi muito influenciado por João Gilberto. Conheceu Caetano Veloso, Gal Costa, Tom Zé e Maria Bethânia e, com eles, começou a tocar e se apresentar com o show "Nós, por Exemplo". Em 1965, se formou em Administração e foi com sua mulher para São Paulo. Apresentou-se no Festival da Música Popular Brasileira da Record, durante o movimento tropicalista, e apresentou sua música "Domingo no Parque". Assim como tantos outros, na ditadura se exilou em Londres e passou a compor em inglês. Assim, começou a ganhar notoriedade na Europa. Nos anos 1980, trabalhou com muitos artistas internacionais. Em 1989, entrou para a política como vereador de Salvador e, de 2003 a 2008, foi ministro da Cultura. Hoje em dia, ele defende a liberdade digital e continua compondo.

Divulgação

Cazuza

Uma das maiores estrelas da música brasileira, Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza, nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 1958. Foi vocalista e principal letrista do Barão Vermelho. Da parceria com Frejat vieram músicas como "Todo Amor que Houver Nessa Vida", "Pro Dia Nascer Feliz", "Maior Abandonado", "Bete Balanço" e "Bilhetinho Azul". Cazuza também escreveu, sozinho, muitos sucessos: "Exagerado", "Codinome Beija-flor", "Ideologia", "O Tempo Não Para" e muitos mais. Ficou conhecido por ser muito polêmico. Em 1989, se declarou bissexual e soropositivo (HIV positivo). No dia 7 de julho de 1990, depois de tentar vários tipos de tratamentos, até mesmo fora do Brasil, Cazuza faleceu, deixando a música brasileira de luto.

TV Globo/Zé Paulo Cardeal

Ney Matogrosso

Foi por ter nascido no estado do Mato Grosso do Sul, no município de Bela Vista, em 1941 que Ney de Souza Pereira se tornou conhecido como Ney Matogrosso. O artista é cantor, diretor, iluminador e ator. De 1970 a 1974, participou da banda "Secos & Molhados". Como Ney se sobressaia, em 1975 deixou o grupo para iniciar sua carreira solo. Lançou o disco "Água do Céu Pássaro". Construiu, ao longo de sua carreira, um repertório de muita qualidade que incluía "Homem com H", "Sangue Latino", "Balada do Louco", "Mal Necessário", "Flores Astrais", entre outras canções. Ney também é conhecido por sua performance em palco, com maquiagens e roupas muito exóticas.

Getty Images

Maria Bethânia

Irmã mais nova de Caetano Veloso, Maria Bethânia nasceu em 1946, em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Antes de sua estreia profissional, ela se apresentou algumas vezes em público. Mas foi em 1965 que Bethânia surgiu como uma verdadeira cantora, ao substituir Nara Leão no espetáculo "Opinião". E, no mesmo ano, gravou seu primeiro disco. Seu primeiro grande sucesso foi "Carcará". Bethânia foi a primeira cantora a vender mais de 1 milhão de cópias de um único disco, em 1980.

Divulgação

Nelson Gonçalves

Em 1919, chegava a este mundo Antônio Gonçalves Sobral, em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Terceiro maior vendedor de discos de todo o Brasil, Nelson Gonçalves fica atrás somente de Roberto Carlos e Tonico & Tinoco. Ele trabalhou como jornaleiro, engraxate, mecânico, polidor, tamanqueiro e também foi lutador de boxe, chegando a ser campeão paulista. Nelson era conhecido como "Metralha", por causa de sua gagueira. Mesmo assim decidiu ser cantor. E o Brasil agradece, e muito, por isso. Em 1965, acabou sendo preso por seu envolvimento com cocaína, mas foi liberado um mês depois. Superada a crise, escreveu um de seus maiores sucessos, "A Volta do Boêmio". Com milhares de canções, ganhou 38 discos de ouro e 20 de platina. Aos 71 anos, faleceu por um infarto agudo do miocardio, no Rio de Janeiro.

Flickr: Everaldo Vilela | Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.0 Generic (CC BY-NC-SA 2.0)

Luiz Gonzaga

Gonzagão nasceu em 1912, no município de Exu, em Pernambuco. Ele é o rei do baião. Levou a alegria a muitas pessoas com apenas uma sanfona, uma zabumba e um triângulo. Muito admirado por grandes artistas brasileiros, Gonzagão é lembrado por sucessos como "Asa Branca", "Que Nem Jiló" e "Baião de Dois". Falecido em 1989, por parada cardiorrespiratória, aos 76 anos, Luiz Gonzaga deixou um legado e tanto. Em 2012, a escola de samba carioca Unidos da Tijuca fez um enredo em homenagem ao mestre e levou o campeonato daquele ano.

Divulgação

Noel Rosa

No ano de 1910, veio ao mundo uma criança que viria a ser sambista, compositor, cantor, bandolonista e violonista. Um dos maiores artistas da música brasileira, Noel Rosa foi a peça fundamental para a formação do samba de morro. Apesar de ter falecido bem jovem, aos 26 anos, sem ele a MPB não seria a mesma. Com as músicas "Com Que Roupa", "Conversa de Botequim", "João Ninguém", "Seu Jacinto", "Malandro Medroso", e outras, sua coletânea ficou completa.

Reprodução Elias Malungo Digital Art (http://malungodigitalart.blogspot.com.br)

Cartola

Agenor de Oliveira nasceu em 1908 e é considerado o maior sambista de todos os tempos. Tomou gosto pela música ao ver seu pai tocando cavaquinho. Nascido no Catete, ainda criança foi morar no morro da Mangueira, por problemas financeiros. Depois que sua mãe faleceu, abandonou os estudos, tendo terminado somente o primário. Começou, então, a trabalhar de servente de pedreiro e passou a usar um chapéu-coco, e por isso ganhou o apelido de Cartola. Na década de 30, Cartola ficou bastante conhecido. Porém na década seguinte, todos achavam que ele tinha morrido, pois Cartola havia desaparecido. Depois disso, ele foi redescoberto com a nova safra de intérpretes. Então gravou os sucessos: As rosas não falam, O mundo é um moinho, Acontece, O Sol nascerá e Alvorada. Morou em Jacarepaguá até 1980, quando faleceu.

Divulgação

Raul Seixas

Nascido em 1945, em Salvador, na Bahia, Raul Santos Seixas é um dos pioneiros do rock brasileiro. Canções como "Maluco Beleza", "Mosca na Sopa", "Ouro de Tolo", "Metamorfose Ambulante", "Sociedade Alternativa" e "Gita" fazem parte de uma verdadeira coletânea do rock brasileiro. Raul Seixas era interessado em muitos assuntos distintos e muitas crenças também, muitas perceptíveis em suas músicas, seja no estilo ou na própria letra. Fez parcerias com Paulo Coelho e Marcelo Nova. Na manhã de 21 de Agosto de 1989, Raul foi encontrado morto em sua cama. Ele era diabético, e o alcoolismo piorava sua situação, mas a causa da morte foi uma parda cardíaca. Em 2008, a revista Rolling Stone o colocou como o 19º artista mais importante de toda a MPB.

FotoArena / Getty Images

Cauby Peixoto

Cauby Peixoto nasceu em 1931, em Niterói, no Rio de Janeiro. Com um timbre de voz grave e aveludado, conquistou o Brasil na década de 1940. É considerado por muitos o Elvis Presley brasileiro. Foi o primeiro cantor a gravar um rock em português, a canção "Rock and Roll em Copacabana". Para comemorar os 25 anos de sua carreira, gravou músicas escritas especialmente para ele por outros compositores. Cauby Peixoto continua fazendo shows apesar de sua idade avançada e sua última temporada já dura oito anos.

Divulgação

Simonal

Wilson Simonal de Castro nasceu em 1938, no Rio de Janeiro, e faleceu no ano 2000, em São Paulo, aos 62 anos de idade. Ele fez muito sucesso nos anos 1960 e 1970 e chegou a trabalhar com produção de música e programas. Seus sucessos foram "Balanço Zona Sul", "Mamãe Passou Açúcar em Mim", "Nem Vem que Não Tem", "Sá Marina", "País Tropical" e "A Vida É Só pra Cantar", entre outros. Sua carreira ruiu ao ser processado e condenado por extorsão e sequestro.

Getty Images

Roberto Carlos

O "rei" Roberto Carlos nasceu em 1941 no município de Cachoeira do Itapemirim, no Espírito Santo. Ele foi um dos primeiros ídolos jovens da cultura e da música brasileira. Juntamente com Erasmo Carlos, seu "amigo de fé, irmão, camarada", compôs muitas músicas de sucesso que até hoje são regravadas. Em mais de 50 anos de carreira como músico profissional, o cantor lançou 41 discos, somente de músicas inéditas, e vendeu mais de 120 milhões de cópias. Um período muito difícil na vida do rei foi em 1998, quando sua esposa Maria Rita foi diagnosticada com câncer, falecendo no ano seguinte. Um dos seus sucessos mais recentes é a canção "Esse Cara Sou Eu", parte da trilha sonora da novela Salve Jorge, da Rede Globo.