Mais
×

20 músicas que são sucesso absoluto num caraoquê

Jupiterimages/BananaStock/Getty Images

Introdução

É praticamente impossível encontrar alguém que não goste de cantar. Como diz o ditado: “Quem canta seus males espanta” e é pura verdade! Estudos comprovam que a música só faz bem. Ela estimula positivamente o cérebro, diminui o estresse e a ansiedade. Isso pode explicar o sucesso dos caraokês. Reunir amigos para cantar é muito divertido. Os extrovertidos soltam a voz sem medo, os mais tímidos podem encarar uma segunda voz em uma dupla. Mas quais serão as músicas mais cantadas, os hits repetidos exaustivamente pelos cantores amadores? Confira os sucessos prediletos dos frequentadores (muitos deles, bem desafinados!) dos caraokês do Brasil e do mundo.

Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images

Zezé Di Camargo e Luciano – Evidências

O sucesso da dupla Zezé Di Camargo e Luciano é um hit nos caraokês de todo o Brasil. A música “Evidências” composta por Paulo Sérgio Valle e José Augusto tem uma letra marcante e muito romântica. É considerada uma das canções sertanejas mais famosas do Brasil e, junto com Fio de Cabelo, a mais representativa da carreira da dupla.A música foi gravada por mais de 20 artistas entre eles Ana Carolina e a dupla Chitãozinho e Xororó. Confira um pedacinho: “E nessa loucura de dizer que não te quero / Vou negando as aparências, / Disfarçando as evidências / Mas para que viver fingindo / Se eu não posso enganar meu coração”.

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Kid Abelha – Pintura Íntima

Não há um ser vivo nesse país que não conheça esse hit delicioso cantado pela afinadíssima Paula Toller, vocalista da banda Kid Abelha que, sem sombra de dúvida, é um dos mais cantados nos caraokês. O refrão “Fazer amor de madrugada / Amor com jeito de virada”, tem uma série de “complementos” divertidos e cheios de malícia que já caíram na boca do povo. “Pintura Íntima” faz parte do álbum “Seu Espião”, de 1984, o primeiro da banda composta além de Paula (vocal) , por George Israel (sax e violão) e Bruno Fortunato (guitarra). O álbum também emplacou outros hits bastante cantados em caraokês como "Fixação" e "Como eu quero".

Michael Blann/Lifesize/Getty Images

Fagner – Borbulhas de amor

“Quem dera ser um peixe / Para em seu límpido aquário mergulhar / Fazer borbulhas de amor pra encantar / Passar a noite em claro”. A canção que é uma das recordistas nos caraokês foi trazida pelo cantor Fagner do México e lançada no Brasil em 1991. A canção original “Burbujas de Amor” é do compositor, cantor e produtor musical dominicano, Juan Luis Guerra. A versão brasileira é do poeta Ferreira Gullar. A música foi o primeiro sucesso do álbum "Pedras que Cantam" e se tornou sucesso rapidamente. O álbum vendeu 750 mil cópias e recebeu disco de platina. Um clássico!

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Roupa Nova - Whisky a Go-Go

Entre os tantos sucessos da banda Roupa Nova, Whisky a Go-Go é uma das mais envolventes e dançantes. A música foi composta pelos campeões de hits dos anos 1980, a dupla Paulo Massadas e Michael Sullivan. Foi o tema de abertura da novela “Um sonho a Mais”, da TV Globo. O folhetim de 1985 escrito por Lauro César Muniz trazia Ney Latorraca e Marco Nanini nos papéis principais. Vamos lembrar da letra? “Eu perguntava Do You Wanna Dance? / E te abraçava Do You Wanna Dance? / Lembrar você / Um sonho a mais não faz mal!”

Maria Teijeiro/Photodisc/Getty Images

RPM – Olhar 43

O RPM (Revoluções Por Minuto) foi uma banda de rock que fez um sucesso estrondoso nos anos 1980. E a música “Olhar 43” foi uma das mais executadas do grupo comandado por Paulo Ricardo, tanto que “Olhar 43” virou uma expressão, uma gíria. Quando alguém está flertando ou olhando muito para outra pessoa com desejo e sedução, diz-se que é um “Olhar 43”. “Pra você eu deixo apenas / Meu olhar 43 / Aquele assim, meio de lado / Já saindo, indo embora / Louco por você / Que pena! / Que desperdício!”. Uma das mais cantadas nos caraokês!

Stephen Lovekin/Getty Images Entertainment/Getty Images

Marisa Monte - Bem Que Se Quis

Marisa Monte é uma das cantoras brasileiras mais respeitadas atualmente. Ela iniciou sua carreira cantando informalmente em barzinhos no Rio de Janeiro e, logo no seu disco de estreia, o álbum MM, de 1989, emplacou o hit “Bem Que Se Quis”, do compositor italiano Pino Daniele com versão em português do produtor musical que lançou Marisa profissionalmente, Nelson Motta. O disco foi o campeão de vendas naquele ano. MM também ficou em 62º lugar entre os 100 maiores discos da música brasileira em uma eleição feita em 2007 pela revista Rolling Stone. Marisa Monte é um sucesso nos caraokês, mas “Bem Que Se Quis”, sem dúvida, é a campeã da cantora nesse quesito.

Jupiterimages/Pixland/Getty Images

Skank – Garota Nacional

A música “Garota Nacional”, de Chico Amaral e Samuel Rosa tem uma letra cheia de malícia e um balanço contagiante que anima qualquer festa. E no caraokê não é diferente. “Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível / Com seu vestidinho preto indefectível /Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem / Ela fecha com meus sonhos como ninguém”. O sucesso da banda Skank está no disco O Samba Poconé, de 1995, que levou a banda a tocar em diversos países da Europa, América Latina e também nos Estados Unidos. Garota Nacional tocou exaustivamente nas rádios do Brasil e ocupou o primeiro lugar entre as mais pedidas por meses.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Legião Urbana – Será

Uma das bandas de rock brasileiras mais influentes de todos os tempos tem um de seus sucessos como um dos prediletos em caraokês de todo o Brasil. “Será”, da Legião Urbana, é uma das mais cantadas (apesar da longa letra) pela turma que briga pelo microfone. A Legião Urbana surgiu em Brasília em 1982 liderada pelo cantor e compositor Renato Russo juntamente com Dado Villa-Lobos (guitarra) e Marcelo Bonfá (bateria). No total, foram 16 álbuns gravados sempre marcados por canções politicamente engajadas. A banda vendeu 20 milhões de discos e acabou em 1996 após a morte de Renato Russo.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Alceu Valença – Tropicana

“Da manga rosa / Quero gosto e o sumo / Melão maduro, sapoti, juá / Jaboticaba, teu olhar noturno / Beijo travoso de umbu-cajá”. Tem um monte de gente que canta errado, mas todo mundo canta! Principalmente nos caraokês por aí. “Tropicana”, ou Morena Tropicana, de Alceu Valença, é uma delícia de cantar. O sucesso é de 1982, do álbum Cavalo de Pau. Recentemente o rapper Criolo cantou “Tropicana” em homenagem a Alceu Valença no Marco Zero, em Recife. A canção é um clássico da música popular brasileira e, é claro, dos caraokês.

Daniel Zuchnik/Getty Images Entertainment/Getty Images

Rita Lee – Doce Vampiro

“Venha me beijar / Meu doce vampiro / Ou ouuuuu / Na luz do luar / Ãh ahãããããh / Venha sugar o calor / De dentro do meu sangue / Vermelho”. Doce Vampiro é mais um dos hits da roqueira Rita Lee em parceria com o marido Roberto de Carvalho. A música é antiga, de 1979, mas tem se perpetuado como um grande sucesso com as novas gerações (ainda mais em tempos da Saga Crepúsculo e as versões modernas de jovens vampiros). E mesmo com mais de 30 anos de existência, é uma das campeãs nos caraokês. A canção foi lançada no álbum Rita Lee também conhecido como Mania de Você, outro hit da cantora.

Tim Whitby/Getty Images Entertainment/Getty Images

Rolling Stones - Satisfaction

Qualquer pessoa que aprecie rock e caraokê certamente já se esbaldou e gritou ao microfone. “I can't get no satisfaction / I can't get no satisfaction / 'Cause I try and I try and I try and I try / I can't get no”. O sucesso mundial da banda The Rolling Stones, comandada por Mick Jagger nos vocais e Keith Richards (guitarra), Charlie Watts (bateria) e Ron Wood (guitarra) é de 1965 e foi composta por Mick Jagger e Keith Richards. Na época em que foi lançada, a música tocava apenas em algumas rádios por sua letra ser considerada sexualmente sugestiva.

Andreas Rentz/Getty Images Entertainment/Getty Images

Bon Jovi - Livin' on a Prayer

A banda americana de Nova Jersey liderada pelo galã Jon Bon Jovi produziu muitos hits em toda a sua história. Mas o mais cantado nos caraokês é Livin' on a Prayer, de 1986, do segundo single do álbum Slippery When Wet. "Livin’ On a Prayer" fez um sucesso estrondoso e alcançou o primeiro lugar na Billboard Hot 100. Em 2006, em uma votação online, entrou para a lista das “100 Melhores Músicas dos anos 1980” pelo canal de clipes VH1. A música também foi tema do último episódio da série Todo Mundo Odeia o Chris, com o ator Chris Rock.

Stephen Lovekin/Getty Images Entertainment/Getty Images

Abba – Dancing Queen

A banda sueca surgiu em 1972 e foi uma das mais importantes da era disco. Eles fizeram muito sucesso e uma das canções mais conhecidas e adoradas pelos frequentadores de caraokês é “Dancing Queen”. Uma curiosidade sobre a música de 1976 é que ela foi lançada durante as celebrações do casamento de Carlos XVI Gustavo da Suécia e Silvia Sommerlath. O sucesso foi imediato e “Dancing Queen” atingiu o primeiro lugar nas paradas da Europa, África e Oceania em 1977 e ainda se tornou o primeiro número um do ABBA na Billboard Hot 100. "You can dance / You can jive / Having the time of your life / See that girl / Watch that scene / Dig in the Dancing Queen"

Julian Finney/Getty Images Sport/Getty Images

Queen - Bohemian Rhapsody

A música é um dos clássicos da lendária banda britânica Queen, formada em 1971 por Freddie Mercury, Brian May, John Deacon e Roger Taylor. Mesmo não sendo uma música fácil de cantar, “Bohemian Rhapsody” é uma das campeãs dos aspirantes a cantores, pelo menos, os de caraokês. Ela é de 1975 e faz parte do álbum A Night at the Opera e é considerada totalmente inovadora por ter três partes diferentes: uma delas é uma balada que termina com um solo de guitarra, outra é uma ópera e um outro trecho é de hard rock. Um sucesso no mundo todo!

Evan Agostini/Getty Images Entertainment/Getty Images

New York, New York - Liza Minnelli/Frank Sinatra

O hino de Nova York também é sucesso no Brasil. E os cantores amadores que o digam! A canção eternizada na voz de Frank Sinatra e Liza Minelli é um hit nos caraokês. A música foi composta por John Kander e Fred Ebb e é tema do filme de 1977 "New York, New York" do diretor Martin Scorcese. O tema foi da atriz Liza Minnelli, e desde então ela nunca mais deixou de cantá-lo em seus shows. Inclusive, ela cantou “New York, New York" durante os jogos Olímpicos de 1984, acompanhada por 24 pianos. Sinatra também gravou a música com Tony Bennett, em 1993.

Andy Kropa/Getty Images Entertainment/Getty Images

Killing Me Softly - Roberta Flack

A música gravada em 1973 pela cantora Roberta Flack tem sido uma das canções mais cantadas nos caraokês em todo o mundo. Ela é considerada uma das principais e mais afinadas cantoras americanas da década de 1970 e estourou com "Killing Me Softly", que foi regravada pela banda Fugees, liderada pela cantora Lauryn Hill. Por aqui, quem gravou o clássico foi a cantora Maria Gadú. Quem nunca se esbaldou ao cantar... “Strumming my pain with his fingers / Singing my life with his words / Killing me softly with his song / Killing me softly with his song”

Handout/Getty Images Entertainment/Getty Images

Livin' la Vida Loca - Ricky Martin

O ex-menudo, gatíssimo e gay assumido Ricky Martin arrebentou com a música “Livin’ la Vida Loca”, lançada em 1999 como o primeiro single do porto-riquenho no primeiro álbum gravado em inglês. A música composta por Desmond Child foi um estouro no mundo todo. Livin’ la Vida Loca foi nomeada a várias categorias do Grammy, um dos mais importantes prêmios da música mundial e ajudou o artista a alavancar sua carreira e popularidade nos Estados Unidos. Também, quem resiste a um tremendo gato gritando e dançando com muita sensualidade... “Upside inside out / She's living la vida locaaa”?

Pascal Le Segretain/Getty Images Entertainment/Getty Images

I will survive - Gloria Gaynor

A diva da disco music, Gloria Gaynor gravou “I will survive” em 1978. Ela sabia do potencial da música e rapidamente estourou nas paradas e virou um hit que até hoje não fica de fora de nenhuma boa discoteca e também dos caraokês. Uma curiosidade que poucas pessoas sabem é que um pouco antes de gravar essa música, Gloria havia feito uma cirurgia na coluna e sua mãe havia morrido. Ela desabafou e, ao mesmo tempo, pensou que muitas pessoas certamente se identificariam com a letra que fala de perda e superação. “I will survive” fez tanto sucesso que tornou-se um hino de libertação da mulher e, posteriormente, da comunidade gay, além de ser cantado e adorado por todo mundo.

Ethan Miller/Getty Images Entertainment/Getty Images

Like a Virgin - Madonna

A rainha do pop não poderia ficar de fora da lista. Entre tantos hits cantados no mundo inteiro, o mais repetido nos caraokês é “Like a Virgin”. Também pudera! Madonna “causou” até no Vaticano quando lançou essa música. O clipe da música que mostra um beijo da cantora com um santo negro foi proibido em vários países. Mas, com o álbum “Like a virgin” a cantora adquiriu o status de estrela pop. O disco vendeu mais de 25 milhões de cópias em todo o mundo.

Will Conran/Getty Images Entertainment/Getty Images

It's raining men - Weather Girls

Assim como “I Will Survive”, de Gloria Gaynor, “It’s Rainning Men” (também gravado por Gloria) é considerada um símbolo da luta e da alegria da comunidade gay, além de ser um clássico da disco music. “It's raining men” tem que estar presente em qualquer caraokê ou festa que se preze. Sua letra divertida e o balanço contagiante bota todo mundo para dançar e cantar! A canção de 1982 foi gravada pelo grupo Weather Girls e, em 2001, regravada pela cantora britânica Geri Halliwell.