×
Loading ...

Os maiores arrependimentos das pessoas à beira da morte

Getty Images

Introdução

Quando estão perto da morte, é comum pessoas muito doentes arrependerem-se de escolhas feitas no passado e pensarem no que poderia ter feito diferente. Acordar cedo para ter mais tempo livre com os filhos. Trabalhar menos para se dedicar mais à família. Coragem pra fazer o que se quer. Cometer mais erros e não tentar ser sempre perfeito. Relaxar mais. Correr riscos. Viajar e ir a novos lugares. Ter problemas reais e não imaginários. Descubra quais são os 10 maiores arrependimentos de pessoas à beira da morte.

Reprodução kaohana.windward.hawaii.edu/?p=1589

Não aproveitei a vida do meu jeito

Muitas pessoas vivem a vida como uma imposição do destino, conforme preceitos e valores da sociedade. Assim, não questionam a forma de viver para buscar o que realmente é importante para elas. Ser uma pessoa exitosa, ganhar dinheiro e prestígio são ilusões que as motivam. Por isso, vivem vidas inconscientes. Mas quando se aproxima o fim da vida, percebem o quanto estiveram ocupadas com coisas que realmente não eram tão importantes. Muitas vezes, foram guiadas por opiniões alheias, para satisfazer o próximo e não a elas mesmas.

Getty Images

Não tive filhos

Ter filhos tem sido visto cada vez mais como empecilho para o desenvolvimento da carreira profissional e a busca de outros objetivos de vida. Contudo, à medida que envelhecem, algumas pessoas passam a sentir falta da presença de descententes. Elas se sentem solitárias e desejam uma companhia que as conforte e acompanhe na velhice. Filhos devem ser concebidos e criados com amor, mas é importante ter em mente que que serão eles quem cuidarão de você na maioridade e que levarão adiante seu nome e suas conquistas.

MariaDubova/iStock/Getty Images

Trabalhei demais

Quantas vezes, ao sair para trabalhar, você teve vontade de inventar uma desculpa qualquer para aproveitar o dia de outra forma? Isso é natural, afinal de contas o trabalho absorve grande parte das nossas vidas. Ao ver que a morte se aproxima, os pais costumam se arrepender de ter trabalhado em excesso e não ter desfrutado de mais momentos com seus filhos. Se seu trabalho enriquece você financeiramente e pessoalmente, esta cobrança acaba mascarada pelos êxitos alcançados. É mais comum cobrar-se o tempo perdido quando não se é feliz na atividade que realiza. Qualquer que seja a situação, o tempo investido no trabalho fará falta na contagem do tempo passado com os filhos.

Getty Images

Fui imaturo

Despedir-se de alguém pela última vez costuma ser bastante doloroso, principalmente quando problemas pendentes não foram resolvidos. Por isso, no leito de morte muitos percebem o tempo que perderam e a mágoa que cultivaram por causa de conflitos que poderiam ter se resolvido com um pouco de empenho. Desentendimentos fazem parte da vida e você não tem como evitá-los, mas jamais deixe a raiva perdurar. Quando os ânimos se acalmarem, deixe os problemas de lado ou resolva-os com maturidade.

Getty Images

Não fui atrás dos meus sonhos

Para satisfazer as pessoas que conhecemos, ou por medo, acabamos não buscando nossos objetivos pessoais. Com isso, muitos sonhos se perdem, muitas vidas medíocres são levadas adiante e talentos e vontades próprias são deixados para trás. Sem contar que muitas doenças se desenvolvem devido à amargura e ressentimento carregados. Porém, com o fim da vida, as pessoas manifestam o arrependimento pelo que poderiam ter sido e não se permitiram tentar. Por isso, mesmo na correria cotidiana, reserve um espaço para realizar seus desejos, antes que seja tarde demais.

Getty Images

Passei pouco tempo com meus amigos

Quando saúde e juventude se vão, dinheiro e outras conquistas materiais perdem importância. Então, algumas pessoas se dão conta do que é realmente importante — estar perto das pessoas de quem se gosta. Valiosas mesmo são aquelas pessoas a quem queremos e que nos apreciam. São elas que realmente fazem falta nos últimos momentos. Infelizmente, com as demandas diárias do trabalho, da família, etc. se torna mais difícil nutrir essas amizades. Se você não tomar a iniciativa de reservar um espaço na sua vida e na sua agenda para seus amigos, essas relações certamente vão se perder.

Getty Images

Não estive mais presente na minha família

As relações que construímos são uma das coisas mais importantes. Pais, irmãos, filhos, tios, primos: não importa quem seja, onde existe o afeto de um ser querido, existe um carinho a ser cultivado. Mas isso pode passar despercebido quando estamos tão envolvidos com nossas vidas. Não compreendemos que o intercâmbio com estas pessoas especiais gera altruísmo, cumplicidade, lealdade e benevolência. Neste último momento de vida, quando já não importa o que passou, é que percebemos a importância de cada um desses seres queridos para que pudéssemos ter tido uma vida mais feliz.

Getty Images

Não disse "Eu te amo" mais vezes

A importância do amor se torna maior à medidade que envelhecemos. Nessa etapa da vida, o afeto não retribuído se torna mais doloroso. Pode ser difícil expôr-se e expressar seus sentimentos, principalmente quando se teme uma rejeição. Mas não fazê-lo deixará em você uma dúvida inquietante, que poderá afetar seus relacionamentos futuros. Você tem medo de ferir seus sentimentos? Então, lembre-se de que é melhor dizer o que sente a passar o resto da sua vida pensando no que poderia ter sido e não foi.

Getty Images

Não fui feliz

Este arrependimento involve os anteriores. Muitas pessoas não se dão conta de que a felicidade é uma opção, uma escolha na vida. Durante a longa caminhada não seguem seus sentimentos e evitam essa busca, como uma forma de autossabotagem. A grande ideia aqui é se renovar sempre e não se prender a hábitos e costumes que fizeram parte do seu dia a dia, não ter medo de mudanças e entender que a felicidade é a sensação da falta de algo que somente se realizará com a ação. Só assim, seremos plenamente felizes.

Getty Images

Não guardei dinheiro para a aposentadoria

Não poupar durante a juventude, ao longo de muitos anos de trabalho pode criar uma situação difícil durante a velhice. Quando isso acontece, os últimos momentos de uma pessoa podem ser cheios de sofrimento. Na juventude, você talvez não se dê conta da importância de estar preparado para a maioridade, mas é importante planejar como disfrutar com segurança a aposentadoria. Evite gastar seu dinheiro hoje em coisas que você "quer". Em vez disso, invista naquilo que você "precisa". Assim, você proporcinará para si mesmo uma velhice mais confortável e sem sobressaltos.