O que acontece quando cães da mesma ninhada cruzam

Escrito por jo chester | Traduzido por daniel tamayo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que acontece quando cães da mesma ninhada cruzam
Collie Sable puro (com pedigree) (collie image by Ivonne Wierink from Fotolia.com)

O cruzamento de cães não pode ser uma tarefa leviana. Qualquer pessoa que crie uma ninhada deve conhecer a razão pela qual a raça foi desenvolvida, pelo menos três gerações dos ancestrais dos cachorros que irão cruzar e qualquer doença genética que eles possam ter. É de extrema importância que o criador saiba a diferença entre cruzamento em linhagem, endocruzamento e cruzamento externo, para evitar problemas de saúde nos filhotes gerados.

Outras pessoas estão lendo

Cruzamento pela aparência ou pedigree contra genética

De acordo com a Dra. Carmen L. Battaglia, palestrante da Conferência sobre Cruzamento Canino e Felino, e Genética da Universidade de Tufts, nos Estados Unidos: "os criadores tinham que confiar em sua habilidade para reconhecer e associar nomes e títulos com as características e feições de cada ancestral". Algumas décadas atrás, os criadores de cachorros tinham que escolher entre dois cães baseando-se apenas em semelhanças desejáveis na aparência, para produzir a próxima geração de filhotes. Alternativamente, eles podiam cruzar cães com pedigree e ancestrais que eram muito desejados, seja em termos de traços "funcionais" ou na aparência. Os criadores de hoje, porém, também podem ter acesso aos perfis e testes genéticos para assegurar uma boa saúde nas gerações futuras dos cães escolhidos.

Cruzamento de linhagem, endocruzamento e cruzamento externo

De acordo com o site Dog Breeders Net, o cruzamento de linhagem é "uma forma branda de endocruzamento", que é a "chave para a reprodução seletiva". Um criador pode escolher cruzar um avô com uma neta, por exemplo, ou uma tia com um sobrinho. O cruzamento de linhagem irá concentrar os genes desejados e indesejados da mesma maneira que o endocruzamento, mas é um processo mais gradual.

O endocruzamento ocorre quando dois parentes muito próximos cruzam: mãe e filho, pai e filha ou irmãos de ninhada.

O cruzamento externo acontece quando dois cães, aparentemente sem relações entre si, cruzam. Já que a maioria das ninhadas tem pouca diversidade genética, o cruzamento externo pode considerar juntar cães distantes quatro, cinco ou seis gerações entre si.

Doenças genéticas e coeficiente de endocruzamento (COI)

O coeficiente de endocruzamento (do inglês, COI) é um parâmetro usado para determinar a probabilidade de um gene específico vir de um ancestral em particular. Como explicado no Dog Breeders Net, dois cães que são completamente não relacionados irão produzir filhotes com COI zero. Porém, cruzar dois irmãos irá produzir um COI de 50%, não 100% como seria de esperar, se os seus pais não forem parentes próximos. Leva muitas gerações de cruzamento entre irmãos para que o COI atinga 100%. É desejado que se mantenha o COI o menor possível, porém, a Dra Battaglia explica que "pode ser benéfico e danoso, mas não irá gerar novos genes ou genes indesejados. Irá apenas expor os genes carregados pelo pai e concentrá-los [tornando os genes mais uniformes]".

Cruzando irmãos de ninhada

Como pode ser visto acima, nada de extraordinário virá de uma única geração de cruzamento entre irmãos. Existe uma probabilidade um pouco maior de que ocorra um defeito de nascença ou problema genético caso ele já exista na linhagem; porém, também é possível que aconteça o contrário. Nas mãos de um criador experiente e conhecedor, o endocruzamento pode ser uma ferramenta fantástica para revelar defeitos genéticos em sua matilha, que poderão ser reduzidos e eliminados pela seleção no cruzamento de linhagens.

A verdade sobre "vigor híbrido" em cachorros

Já que todos os cachorros são da mesma espécie, não existe um verdadeiro híbrido quando as ninhadas são misturadas. De fato, problemas genéticos ficam mais difíceis de rastrear e podem reaparecer inesperadamente nas futuras gerações. Donna Noland, ao escrever para o The Dog Press, cita um artigo que identifica 102 problemas genéticos que podem aparecer em cachorros de linhagem misturada. Por exemplo, se um collie com atrofia de retina progressiva (APR) e displasia de quadril cruza com um pastor alemão que tem um leve grau de displasia, seus filhotes terão probabilidade de carregar a APR. Se filhotes da mesma ninhada cruzarem, há uma chance de que os filhotes resultantes terão uma maior propensão a realmente sofrerem de APR, além de vários graus de displasia. Está claro então que, se existe um vigor híbrido entre cães, seus efeitos são bem limitados no tempo. Se o endocruzamento for realizado em ninhadas misturadas, pode ter os mesmos efeitos prejudiciais do endocruzamento de cães com pedigree.

O que acontece quando cães da mesma ninhada cruzam
Essa mistura de collie carrega a APR e outros problemas genéticos (Collie mix enjoying the shade next to the river image by John Sfondilias from Fotolia.com)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível