O que acontece ao ingerir álcool durante tratamento com antibióticos?

Escrito por contributing writer | Traduzido por marcelo couto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que acontece ao ingerir álcool durante tratamento com antibióticos?
O consumo de álcool com antibióticos pode prejudicar o funcionamento do fígado (Beer image by cegli from Fotolia.com)

Os antibióticos são drogas fabricadas, completamente ou em parte, a partir de micro-organismos como bactérias, bolores e fungos. Eles são feitos para tratar e matar bactérias ou fungos que se infiltram no organismo e causam doenças, mas só curam bactérias, e não viroses. Entretanto, apesar de serem ineficazes contra o resfriado comum, a maioria das formas de inflamação na garganta e a gripe, os antibióticos ainda salvam vidas ao curar doenças e prevenir infecções.

A maioria dos antibióticos é relativamente segura, apesar de existirem alguns efeitos colaterais associados a eles. Não devem ser usados, por exemplo, em doses muito grandes ou quando não há necessidade, pois o corpo cria imunidade e se torna resistente à sua ação. Quando isso acontece, os antibióticos são eficazes contra doenças.

Apesar de serem drogas relativamente seguras, como afirmado, existem alguns efeitos colaterais, que podem se tornar potencialmente exacerbados se a pessoa ingerir álcool juntamente com o remédio. Além disso, a mistura das duas substâncias pode trazer alguns perigos para o corpo.

Outras pessoas estão lendo

Álcool e a eficácia dos antibióticos

O álcool não afeta a eficiência da maioria dos antibióticos. Entretanto, antibióticos do grupo das tetraciclinas, incluindo a doxiciclina, são prejudicados pela bebida. Se consumido enquanto estiver sob tratamento, o remédio pode ser menos eficaz no tratamento da bactéria ou vírus, o que exigiria seu uso por um período maior de tempo. Isso pode ser arriscado, pois irá aumentar a resistência do corpo ao antibiótico e diminuirá sua eficiência em tratamentos futuros.

Antibióticos do grupo das tetraciclinas que são afetados pelo álcool

Os antibióticos do grupo das tetraciclinas incluem: doxiciclinas, como Doryx, Bio-tab, Vibra-Tabs, Doxy-Caps, Periostat, Monodox, Vibramycin e Doxychel; cloridratos de minociclina, como Minocin, Dynacin e Vectrin; cloridratos de oxitetraciclina, que incluem Uri-Tet e Terramycin; cloridratos de tetraciclina, tais como Panmycin, Sumycin, Tetralan, Robitet, Achromycin V, Tetracyn, Teline e Tetracao; e, finalmente, cloridratos demeclociclina, como Declomycin.

Álcool, antibióticos e o fígado

Os antibióticos viajam através da corrente sanguínea até o local que a bactéria ou fungo se encontra. Assim que começam a agir, eles são metabolizados e eliminados do organismo. Esse processo em que as enzimas corporais metabolizam o remédio e o removem do corpo, acontece no fígado.

O álcool também é metabolizado e removido do corpo no fígado. Quando as duas substâncias competem pelos recursos do órgão, uma delas pode ficar mais tempo no organismo do que deveria, se o processo metabólico não for prejudicado pela interação.

Essa reação aumenta o risco de efeitos colaterais perigosos, tanto do excesso de consumo de álcool quanto de antibióticos.

Possíveis efeitos colaterais do álcool e antibióticos

Qualquer efeito colateral associado ao uso de antibióticos pode ser exacerbado ao ingerir álcool, pelas razões já descritas acima. Os efeitos mais prováveis de acontecer devido à competição das substâncias pelos recursos do fígado incluem febre, náusea, diarreia e reações alérgicas.

Reações químicas

Certos antibióticos podem gerar uma reação química ao serem misturados com álcool no organismo. Entre eles estão cefoperazona, cefmenoxime, cephamandole, cotrimoxazol, metronidazol, cetoconazol, latamoxef, latamoxef e tinidazol. Se algum desses remédios for misturado com álcool, a reação resultante pode causar náusea, vômito ou dificuldade para respirar.

Uso de álcool e antibióticos por um longo prazo

A longo prazo, o abuso de álcool pode causar problemas no fígado que resultam na metabolização muito rápida de remédios. Se isso acontecer, os antibióticos saem do corpo mais rápido do que deveriam e não terão a mesma eficácia contra doenças.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível