O que acontece com o paladar sem o olfato?

Escrito por lauren whitney | Traduzido por luana santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que acontece com o paladar sem o olfato?
Os sentidos do paladar e do olfato estão intimamente interligados (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

A língua detecta apenas cinco sabores: doce, azedo, salgado, amargo e umami, um gosto saboroso que os pesquisadores isolaram primeiro na forma de glutamato monossódico. Todas as outras características que as pessoas chamam de gosto são mais adequadamente atribuídas ao sentido do olfato. Mastigar alimentos libera aromas pela parte de trás das passagens nasais, onde os neurônios olfativos os percebem como sabores complexos. Sem o sentido do olfato - uma condição médica chamada anosmia - o paladar se torna severamente limitado.

Outras pessoas estão lendo

Diminuição do paladar

Com as condições temporárias, como um caso de sinusite ou um resfriado, a congestão nasal causa anosmia parcial que diminui o sabor dos alimentos e bebidas. O sinal dos neurônios olfativos na base das passagens nasais permanece ativo, mas menos ar passa por estes nervos sensoriais. Com uma corrente de ar menor, menos moléculas odoríferas passam pelos neurônios, deixando o alimento com sabor menos perceptível além dos cinco sabores básicos.

Incapacidade de saborear

A anosmia total - a completa incapacidade de cheirar - pode resultar de dano neurológico no cérebro ou nos neurônios olfativos. Doenças, ferimentos e desnutrição podem causar esse distúrbio. Pessoas que sofrem de anosmia total sentem apenas os sabores fundamentais. Elas ainda podem sentir o resfriamento da hortelã e o calor da pimenta ou raiz-forte, mas não conseguem perceber sabores complexos. Pessoas com anosmia total têm dificuldade em distinguir entre alimentos diferentes como maçãs e batatas.

Má nutrição

Como a completa perda de olfato leva a uma perda quase total de paladar, as pessoas com anosmia devem fazer um esforço consciente para comer alimentos em quantidade suficiente para se manterem saudáveis. A criatividade dos chefs e a quantidade de prateleiras dedicadas a novos sabores em supermercados provam a sofisticação do paladar humano. Quando este refinado sentido se torna um instrumento inferior para degustar uma refeição, os que têm anosmia perdem muito o interesse no alimento. O desejo de comer e apreciar a comida é tão primitivo que aqueles que o perdem correm o risco de se tornar desnutridos e até mesmo deprimidos.

Intoxicação alimentar

Pessoas com anosmia total e permanente devem se proteger contra doenças de origem alimentar com mais cuidado do que aqueles com um sentido intacto. O olfato evoluiu em parte para alertar um animal da presença de algo perigoso ou nocivo em sua comida. Embora o olfato humano não tenha a sofisticação de alguns animais, ele ajuda as pessoas a decidirem se devem beber o leite velho ou jogá-lo fora. Sem o olfato, as pessoas com anosmia devem contar com a inspeção visual dos alimentos. A menos que a comida seja acentuadamente azeda, uma pessoa anósmica não pode sentir a deterioração.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível