Adotar um animal de abrigo: salvar uma vida

Escrito por theresa bettmann | Traduzido por marilei pissaia calegari
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail

Adotar um bichinho faz bem não só para os animais.

Adotar um animal de abrigo: salvar uma vida
Laura Guyden funcionária de um abrigo com um chihuahua que estava para adoção no Departamento de abrigos de animais de Los Angeles (David McNew/Getty Images News/Getty Images)

Os animais de abrigos são os companheiros mais leais e amorosos, porque parece que sabem que eles foram resgatados e salvos.

Os animais de estimação são integrantes muito importantes da família. São fontes de amor incondicional, companheirismo, diversão e podem também ser úteis para as pessoas com necessidades especiais. Muitos donos de bichinhos adotados acreditam que os animais de abrigos são mais leais e amorosos, porque parecem saber que eles foram resgatados e salvos. Estima-se que cerca de 3,1 milhões de cachorros encontram-se abandonados no Brasil (dados da Arca Brasil), sem contar os animais que não chegam aos refúgios. Além das organizações de resgate conhecidas como a Sociedade Protetora dos Animais, existem muitos outros esforços de resgate animal e ONGs por todo o país que também trabalham para encontrar famílias para estes animais sem lar.

Adotar de um abrigo

Gatos e cachorros acabam em abrigos por muitas razões, muitas vezes resultado de decisões dos donos e não do comportamento do animal. Uma mudança, uma morte na família, divórcio, situação financeira complicada e limitações de tempo são razões comuns para as pessoas levarem os animais aos abrigos. Muitos abrigos e organizações também resgatam aos animais de estimação de ambientes negligentes e de abusos, assim como de instalações inadequadas de criadores.

Os abrigos fazem a castração e esterilização dos animais para ajudar a reduzir a população de animais sem lar. Outro ponto é você compreender o que quer antes de se comprometer e se responsabilizar por um animal de estimação. Basicamente, as organizações de resgate não existiriam se as pessoas tomassem decisões responsáveis e bem informadas.

Adotar um animal de estimação não é só uma boa ação, também é economia para o seu bolso. O custo inicial para comprar um animal de estimação em uma loja, petshop ou canil é muito caro e não inclui nenhum outro serviço. Contudo, a maioria dos custos de adoção está em torno de R$ 100,00, incluídas todas as vacinas iniciais, vermifugação e esterilização ou castração. Este é um enorme benefício financeiro para o novo dono. Ainda assim, ser dono de um animal de estimação é um compromisso financeiro significativo. Os gastos básicos como comida, suprimentos, veterinário costumam ser altos.

Talvez adotar um animal adulto seja o mais adequado para você. Muitos animais adultos de abrigos já estão domesticados e treinados. Isto economiza tempo e dinheiro ao novo dono. Recorde que qualquer novo animal passará por um período de adaptação a nova família, apesar do treinamento prévio.

História de sucesso.

Quem trabalha com resgate de animais sabe como o trabalho é difícil. Parece que nunca existe tempo, dinheiro e espaço sufiscientes para acomodar todos os animais capturados. Muitos resgatadores dizem que não deixam de pensar em todos os animais que não puderam salvar. O que faz com que estas pessoas sigam em frente são as numerosas histórias de sucesso, os laços duradouros e os pequenos sinais de esperança.

Janet Tuner é a fundadora e presidente da Cody and Company of Harrison Inc., um programa de educação animal nos Estados Unidos. Turner disse que Cody, o animal pelo qual a organização foi batizada, era um cachorro de raça mestiça que encontraram quando tinha três ou quatro meses de idade. Turner o levou para a sua casa, apesar de todos os cachorros que já cuidava. Turner disse que Cody ficava bem com as crianças e começou a visitar salas de educação primária quando Cody tinha três anos. Ele se transformou em um animal de estimação querido que promovia a proteção animal.

Turner disse que este foi o trabalho do seu cachorro, até falecer de câncer aos 13 anos. “Na noite antes de morrer, eu prometi a ele que continuaria fazendo o seu trabalho”, afirma Turner. “Por isso desenvolvemos a ONG e continuamos o programa até hoje”.

Animais de estimação muitas vezes preenchem um vazio doloroso de solidão. Turner se lembra de um velho homem que acabara de perder sua esposa. Adestraram um pequeno cachorro de cor marrom, chamado Rusty, que imediatamente o cativou. O cão tinha sido atropelado e abandonado em uma estrada. No começo, ele foi diagnosticado com danos cerebrais e não se espera que sobrevivesse. No entanto, Rusty foi recuperado, mas sempre andava curvado. Turner diz que os cães como Rusty com lesões e doenças são mais difíceis de adotar. No entanto, neste caso, o par era inseparável. Foi um salvamento mútuo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível