Mais
×

Como fazer ágar nutriente em placas de petri

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

O caldo nutriente é utilizado para cultura de bactérias, tais como Escherichia coli. As receitas para esse caldo variam dependendo das espécies bacterianas, bem como da presença de modificações genéticas, como a resistência a antibióticos, por exemplo. O caldo pode ser solidificado por adição de ágar-ágar, o qual permite que as bactérias formem colônias distintas, enquanto que na cultura líquida elas simplesmente se dispersam por todo o volume. Essa é uma técnica básica, mas essencial para métodos avançados como a clonagem de genes ou ensaios microbiológicos. Esse artigo pressupõe que as cepas padrão Escherichia coli de laboratório serão cultivadas em placas de caldo Luria ágar (ou placas de Petri).

Instruções

Placas de petri (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)
  1. Meça 10 g de triptona bacteriana, 5 gramas de extrato de levedura, 5 gramas de cloreto de sódio, 15 gramas de ágar ou agarose e 1 ml de hidróxido de sódio 1N. Misture-os com um volume de água destilada estéril e autoclavada até 1 litro de meio ser obtido. Autoclave o meio em garrafas ou frascos semitampados por 25 minutos. Deixe-o esfriar até cerca de 50º C antes da adição de reagentes que possam ser destruídos pelo calor elevado, tais como antibióticos ou outros suplementos nutricionais.

  2. Deixe o meio autoclavado resfriar até 50º C e não menos que 45º C, já que o agar irá grudar no recipiente antes de ser despejado. Obtenha placas de Petri estéreis e despeje o suficiente para cobrir toda a área de superfície e pelo menos metade da sua profundidade. Evite o enchimento excessivo, e de preferência, não deixe o ágar chegar à borda superior da placa. Espere a solidificação em um ambiente estéril (por exemplo, sob uma câmara de fluxo laminar), deixando as tampas abertas e a um canto do exaustor.

  3. Seque as placas. Embora elas possam ser utilizadas logo que estiverem sólidas, alguma umidade estará presente na superfície do ágar, a qual irá impedir as colônias de bactérias de aderirem suficientemente. Portanto, é melhor secar as placas antes de se aplicar qualquer bactéria, por exemplo, deixando-as em temperatura ambiente durante alguns dias ou durante meia hora sob uma câmara de fluxo laminar ou em uma incubadora a 37º C.

  4. Armazene as placas. As placas secas devem ser empilhadas de cabeça para baixo (invertidas) e recolocadas em sua embalagem original, fechadas com fita e embrulhadas em papel alumínio, para protegê-las da luz, ou em um recipiente apropriado. Sempre escreva a data de preparação e evite o uso se as placas tiverem mais de dois meses de idade.

Dicas

  • Realize o maior número possível das etapas anteriores (de preferência todas) em um ambiente estéril (por exemplo, sob uma chama ou uma capela de fluxo laminar) para evitar que contaminantes bacterianos do ar entrem e cresçam no meio.

O que você precisa

  • 10 gramas de bacto-triptona
  • 5 gramas de extrato de levedura
  • 5 gramas de NaCl
  • 1 mililitro de NaOH 1N
  • 15 gramas de ágar ou agarose
  • Suplementos, como antibióticos ou galactosídeos
  • Autoclave
  • Vidraria de laboratório
  • Placas de petri
  • Fluxo laminar
  • Bico de Bunsen
  • Autoclave e consumíveis
  • Balanças e produtos de consumo
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article