Porque a água-viva noctiluca brilha no escuro

Escrito por douglas bintzler | Traduzido por rodrigo castilhos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Porque a água-viva noctiluca brilha no escuro
As águas-vivas como a noctiluca são capaz de produzir luz para brilhar no escuro (Photodisc/Photodisc/Getty Images)

A bioluminescência é um fenômeno fascinante em que a luz é produzida quimicamente por um ser vivo. A produção de luz pela fauna marinha pode causar uma sensação de pavor entre os espectadores. A noctiluca é um tipo de água-viva capaz de produzir luz. Para os nadadores noturnos isso serve como um aviso. A noctiluca é relativamente grande e tem uma picada muito dolorosa. Professores de ensino médio e ensino superior podem utilizar essa água-viva como uma oportunidade única para ensinar aos seus alunos sobre como o processo químico natural é usado na produção de luz.

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Imagens da água-viva noctiluca
  • Imagens de vaga-lumes

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Providencie algum material visual efetivo sobre águas-vivas noctiluca para os alunos. Apesar de serem perigosas, elas são muito bonitas quando vistas em seu habitat natural. A noctiluca tem uma cor púrpura peculiar que dificulta que a presa a perceba, assim como algum peixe desatento. A água-viva realiza movimentos graciosos ao nadar.

  2. 2

    Explique aos estudantes que a produção de luz por animais marinhos ocorre graças a reações químicas. Os animais que produzem luz usam reações químicas que concentram a energia na produção de luz, e não calor. Diferentemente das lâmpadas incandescentes que produzem calor, a bioluminescência é descrita como uma luz fria.

  3. 3

    Faça uma relação das substâncias químicas usadas pela noctiluca na produção de luz. As principais substâncias químicas são a luciferina e a enzima luciferase. Os animais marinhos produtores de luz adquirem a luciferina pela absorção ou pela ingestão. A enzima é um produto da expressão genética da água-viva. Outras substâncias químicas envolvidas incluem a oxiluciferina como produto final resultante.

  4. 4

    Explique que a luciferina é catalizada pela luciferase produzindo oxiluciferina. Durante esse processo, a oxiluciferina é liberada para o meio ambiente, emitindo energia em forma de luz.

  5. 5

    Compare a diferença entre a bioluminescência e a fluorescência. A fluorescência é semelhante à bioluminescência por ser uma fonte de luz fria. Produz muito pouco calor. No entanto, o que ocorre na fluorescência é que a energia luminosa é absorvida de outra fonte e depois liberada. A bioluminescência é um processo químico em que a luz é produzida independentemente de outra fonte de luz.

  6. 6

    Discuta sobre outros seres vivos capazes da bioluminescência. A produção de luz não se limita à vida marinha. Espécies terrestres, como alguns vermes e vaga-lumes, também produzem luz. O processo químico é similar ao dos animais marinhos.

Dicas & Advertências

  • O melhor momento para observar a luz produzida pelos animais marinhos no oceano é à noite. Há várias espécies de peixes, estrelas-do-mar e dinoflagelados capazes de criar o interessante fenômeno conhecido como bioluminescência. Às vezes, os oceanos ficam claros como o céu, com milhões de dinoflagelados cintilantes.
  • A água-viva noctiluca gera uma ardência dolorosa quando seus tentáculos entram em contato com a pele. Não é recomendável que estudantes, nadadores ou mergulhadores se aventurem em águas onde haja águas-vivas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível