Como ajudar um membro da família a lidar com depressão e ansiedade pós-cirúrgica

Escrito por thomas anderson | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como ajudar um membro da família a lidar com depressão e ansiedade pós-cirúrgica
Saiba como lidar com a depressão e ansiedade pós-cirúrgica de um ente querido (Thomas Northcut/Digital Vision/Getty Images)

A depressão e ansiedade pós-cirúrgica (DAPC) é uma reação emocional comum em pacientes após procedimentos cirúrgicos graves. É uma doença mental grave, uma vez que pode ocorrer imediatamente após uma cirurgia ou não se manifestar até meses mais tarde. Os sintomas variam de disforia leve à depressão severa. De acordo com o site Autoimmunity.com, ela pode ser causada por uma série de efeitos cirúrgicos, incluindo após os efeitos da anestesia (os quais podem afetar as respostas emocionais e ansiedade), medicamentos e a necessidade de ficar na cama após a cirurgia. As pessoas próximas ao paciente também podem ter um efeito significativo sobre a recuperação dele e devem ter o cuidado com a sua influência.

Nível de dificuldade:
Moderadamente desafiante

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Demonstre sua empatia com os sentimentos de depressão e ansiedade do paciente. Ele pode sentir-se sozinho e com medo, independentemente do número de pessoas disponíveis para ajudá-lo, por isso é importante garantir ao paciente que você estará presente para auxiliá-lo.

  2. 2

    Entenda que as pessoas que sofrem com a DAPC questionam principalmente eles mesmos, não os outros em seus relacionamentos. Algumas podem afastar seus parceiros devido a novas sensações assustadoras de intimidade, e isso não deve ser interpretado como rejeição. Dê espaço para a pessoa, mas continue a apoiá-la.

  3. 3

    Incentive a pessoa a se submeter à terapia cognitivo-comportamental (TCC) para combater sua depressão ou ansiedade. De acordo com o site Mentalhelp.net, foi demonstrado que a TCC é mais eficaz e duradoura do que o cuidado habitual e o apoio ao controle do estresse.

  4. 4

    Encoraje a pessoa a realizar todo o trabalho que o tratamento e os planos de recuperação exigem. Quanto mais esforço um paciente colocar em métodos terapêuticos, mais eficazes eles serão, portanto isso depende da boa vontade dele em dar o seu melhor. Permaneça solidário ​​ao incentivar a pessoa a se esforçar para melhorar.

  5. 5

    Esteja preparado para novas perspectivas e traços de personalidade, como resultado da depressão e ansiedade. Muitas vezes os pacientes podem ficar significativamente alterados quanto a sua personalidade devido à depressão e ansiedade pós-cirúrgica, seja para melhor ou para pior. Além disso, esteja preparado para aceitar a mudança de perspectiva da pessoa e continue a amar e cuidar dela incondicionalmente.

Dicas & Advertências

  • Consulte o médico dele(a) para ter um aconselhamento sobre como ajudar seu ente querido.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível