Mais
×

Como ajudar a reduzir os acidentes de trânsito

Thinkstock/Comstock/Getty Images

Introdução

Não tem sido fácil acompanhar o noticiário sobre o trânsito nos últimos tempos. São informações nada palatáveis sobre mortes, capotamentos, vias intransitáveis, excesso de automóveis, carros quebrados e muitos acidentes. Segundo pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), o trânsito brasileiro mata 40 mil pessoas por ano – uma média de 110 mortes por dia. Uma rotina sangrenta que coloca o Brasil no posto de quinta nação com mais acidentes de trânsito. À nossa frente estão apenas Índia, China, Estados Unidos e Rússia. Mas nada de pânico, afinal, com algumas dicas você pode ajudar a reduzir os acidentes nas vias brasileiras.

Andy Sotiriou/Photodisc/Getty Images

Uso dos faróis

O Detran recomenda aos motoristas trafegarem, sempre que possível, com luz baixa. A exceção se dá no caso de se dirigir em via escura, onde é necessário usar a lanterna do automóvel com maior intensidade. No entanto, em casos assim, quando a via for de duplo sentido, o indicado é baixar a luz quando outro veículo se aproximar na pista contrária. O mesmo exemplo de uso de farol alto vale para quando se trafega atrás de outro carro. A luz alta incide no retrovisor do veículo da frente e pode causar cegueira temporária no condutor, provocando acidentes.

Thomas Northcut/Lifesize/Getty Images

Cuidados com a estrada

É difícil associar o Brasil com estradas em perfeitas condições de uso. A dica é: se você vai viajar de carro e descobriu que no caminho existem estradas esburacadas, tenha muito cuidado. Ao dirigir por locais assim, adeque sua velocidade de acordo com o estado da via, tenha muita atenção aos desvios, nos trechos sem acostamento e nas vias sem sinalização. Para os casos de tráfego na descida, é recomendado o uso suave do freio. Além disso, é obrigatório que a marcha esteja sempre engatada, evitando o uso da famosa ‘banguela’, recurso que economiza combustível mas causa total instabilidade no automóvel.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Responsabilidade do motorista

Mesmo que o ato de dirigir embriagado seja um dos mais combatidos no Brasil, ele não é o único a provocar acidentes causados por falhas humanas nas vias e estradas brasileiras. O cansaço, além de problemas de visão e audição também podem comprometer o desempenho do motorista e provocar acidentes tão graves quanto os causados por um motorista embriagado. Fatores de ordem emocional e psicológica também entram na lista de causadores de acidentes. Afinal, nervosismo, tensão, excitação e tristeza podem fazer com que o condutor do veículo perca o foco e a atenção ao trânsito.

Thinkstock/Comstock/Getty Images

Cuidados ensinados na auto escola

Manter distância do carro da frente, sinalizar corretamente, observar a preferência nos cruzamentos e rotatórias, dar marcha ré lentamente e com atenção aos espelhos retrovisores, não usar o celular enquanto dirige. Essas atitudes que ajudam a evitar colisões costumam ser tópicos nas aulas para formação de condutores e são, cabe destacar, desrespeitadas por parte dos motoristas habilitados do país. Nesse caso, vale lembrar de um dado recente da Organização Mundial de Saúde: 90% dos acidentes de trânsito são causados por falha humana. Isso quer dizer que, para evitar colisões e acidentes, às vezes, basta respeitar as leis de trânsito.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Manutenção do veículo

"Prevenir é melhor do que remediar" pode até ser um clichê dos mais batidos, mas faz todo sentido. No caso de seu carro, prevenir possíveis defeitos de funcionamento quase sempre significa prevenir colisões ou acidentes causados por falha mecânica. A dica é fazer manutenção periódica, verificar a calibragem e o desgaste dos pneus, as paletas dos limpadores do pára-brisa, o nível do óleo e da água, as condições da pastilha e do disco de freio e o funcionamento do motor. Estes são fatores que precisam ser observados diariamente e não apenas durante a manutenção periódica do veículo.

David De Lossy/Photodisc/Getty Images

Ultrapassagem segura

Saber ultrapassar outro veiculo de modo seguro na via pode não ser garantia para evitar colisões no trânsito, mas ajuda a evitar acidentes. Para tanto, é necessário alguns cuidados, seja para os condutores que ultrapassam ou para os que são ultrapassados. Quando for ultrapassar outro veículo em local permitido, sinalize devidamente todas as manobras que você estiver fazendo e não ultrapasse nas curvas ou em locais onde a visibilidade dos outros veículos é baixa. Além disso, certifique-se que o seu carro tem força suficiente para avançar e nunca hesite nas manobras. Mantenha distância segura dos veículos ultrapassados e facilite outras ultrapassagens.

Siri Stafford/Digital Vision/Getty Images

Não dirija falando ao celular

Falar ao celular enquanto dirige, além de ser infração de natureza grave, reduz drasticamente um dos principais elementos da direção defensiva: a atenção. O ato de dirigir falando ao celular, mesmo com o viva-voz, é um dos grandes causadores de acidentes graves e pequenas colisões no trânsito. Embora não existam estatísticas precisas sobre o tema, todo mundo tem uma história negativa para contar sobre a combinação carro e celular. Na dúvida, se precisar resolver algum assunto urgente ao telefone, pare o carro em local seguro. Faça sua parte: não fale ao celular enquanto dirige.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Respeito aos limites da via

Respeitar os limites de velocidade é essencial para uma direção segura. Os limites estabelecidos levam em consideração o declive ou aclive, a quantidade de curvas, o tráfego de veículos e as condições da pista para uma direção segura. Se você conhece alguém que está acostumado a ultrapassar o limite de velocidade, aconselhe-o a ir mais devagar. São muito graves e geralmente irreversíveis os efeitos de um acidente no qual o condutor em alta velocidade se choca contra outro veículo vindo na direção contrária da via ou com um obstáculo.