Alimentos que contêm ômega 3 e ômega 6

Escrito por norah faith | Traduzido por andressa ferrari arevalo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Alimentos que contêm ômega 3 e ômega 6
Ovos são uma boa fonte de ômega 3. (Eggs, kumquat fruit, eggs and cress in a basket. Easter! Spring! image by Profotokris from Fotolia.com)

Quanto mais se sabe sobre o que cada nutriente faz para o corpo, mais aumenta o conhecimento de como excessos e deficiências podem levar à doença. Dois componentes vitais de cada dieta, ômega 3 e ômega 6, são encontrados em uma variedade de alimentos. A importância de examinar o consumo de alimentos que contenham ômega 3 e ômega 6 não pode ser subestimada.

Outras pessoas estão lendo

Definindo ômega 3 e ômega 6

Ômega 3 e ômega 6 são ácidos graxos essenciais. O ômega 3 tem uma reputação de ser a gordura "boa". Isto é porque, ao contrário das gorduras encontradas em manteiga e queijo, não adicionam o tipo "mau" de colesterol no organismo. Eles são necessários para muitos processos tais como produção de hormônios, crescimento e a manutenção do sistema imune. O ômega 6 tem sido retratado como o vilão, pois o consumo do mesmo em excesso pode levar a algumas das mesmas doenças que o ômega 3 previne. Ambos são essenciais para a boa saúde.

As vantagens do ômega 3 para a saúde

As pessoas que comem alimentos ricos em ômega 3 desfrutam de um aumento de benefícios em muitas áreas de sua saúde. Um desses é a redução da incidência de doenças do coração, pois as boas gorduras ajudam a diminuir a coagulação excessiva do sangue. Isto é obtido através da diminuição da tendência das plaquetas no sangue de se fixarem umas às outras. A boa gordura também diminui quantidade de outras gorduras menos benéficas no sangue, como colesterol e triglicérides. Ela protege ainda mais o sistema circulatório através da prevenção de espessamento arterial por inibir o crescimento das células em suas paredes.

Alimentos que contêm ômega 3

Os ovos são um alimento de fácil assimilação com altos níveis de ômega 3. Na hora das compras, procure por etiquetas especiais que indiquem que eles vêm de frangos alimentados com uma dieta que produz ovos com 100 a 200 mg de ômega 3, seis vezes mais do que um ovo comum. Níveis muito elevados de ômega 3 são encontrados na semente de linhaça e nozes. Soja e tofu também contêm grandes quantidades deste ácido graxo. Muitos frutos do mar como peixes, camarões e vieiras são boas fontes de ômega 3.

Óleos que contêm ômega 6

O ômega 6 é um ácido linoleico e é encontrado principalmente em óleos, tais como óleo de milho, óleo de semente de sésamo, óleo de girassol, óleo de soja, óleo de noz e óleo de gérmen de trigo. O óleo com mais ômega 6 é o óleo de cártamo. Há, no entanto, ômega 6 em vegetais de folhas verdes e grãos também.

Sintomas indicativos de deficiência de ômega 3

Aqueles que comem pouco alimento que contenha ômega 3 podem apresentar alguns dos seguintes sintomas: doença cardíaca; dor articular; ressecamento e danos de pele, cabelo e unhas; diabetes, depressão, fadiga e perda de concentração. Por causa da variedade dos sintomas, a deficiência é muito difícil de ser diagnosticada, logo, a suplementação pode evitar que estes problemas surjam.

Ômega 3 e ômega 6: demais ou muito pouco?

Produtos para consumo ricos em ômega 6 são fáceis de encontrar, já aqueles com ômega 3 não. A pesquisa indica que a população em geral está consumindo de forma demasiada do primeiro, e muito pouco do segundo. Os alimentos processados​​, em particular, são ricos em ômega 6 porque o óleo de milho, uma rica fonte de ômega 6, é normalmente usado. Preste atenção na ingestão desses alimentos, especialmente se não houver suplementação de ômega 3. Pesquisadores que se concentram no transtorno bipolar estão experimentando o equilíbrio entre estes dois níveis para aliviar os sintomas intensos de quem sofre desta doença. Típicas dietas ocidentais têm até 30 vezes a quantidade de ômega 6 em relação à ômega 3, sendo que uma proporção razoável é de quatro para um.

Como suplementar a ingestão de ômega 3

A adição de ômega 3 em qualquer dieta deve ser feita lentamente, utilizando uma fonte de confiança do ácido graxo. Tomar de 2 a 3 g por dia de ômega 3 é considerado um nível seguro e vai ajudar a minimizar a inflamação causada no corpo por níveis elevados de ômega 6. Você pode ajudar reduzindo a quantidade de alimentos processados ​​que você consome.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível