Anatomia do esqueleto de cães

Escrito por dondi ratliff | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Anatomia do esqueleto de cães
O esqueleto de um cachorro possui semelhanças com o de outros animais carnívoros de quatro patas (Digital Vision./Digital Vision/Getty Images)

Os cães podem ser diferentes por fora, mas por dentro todos têm a mesma estrutura óssea geral. Tudo que se encontra dentro de um chihuahua também está em um cachorro dinamarquês. O esqueleto de um cão se divide em duas partes: o esqueleto apendicular e o axial. O apendicular inclui as patas dianteiras e traseiras e os quadris, enquanto o axial inclui a cabeça, coluna, cauda e peito.

Outras pessoas estão lendo

Cabeça, pescoço e coluna

O crânio de um cachorro compreende o maxilar inferior (mandíbula) e contém órbitas onde ficam os olhos. Ele possui uma construção forte para proteger o cérebro e contém 42 dentes. O pescoço, a coluna e a cauda são conhecidos coletivamente como a coluna vertebral. Um cachorro possui cinco seções na espinha dorsal: a cervical, no pescoço; a torácica, no torso,;a lombar, na parte inferior das costas, próximo aos quadris; e a caudal para a cauda. Vinte e sete ossos formam a coluna, desde o crânio até o começo da cauda.

Torso

A caixa torácica protege o torso de um cachorro e todos os órgãos ali dentro. Um cão tem 13 costelas na caixa torácica, embora o último par não seja preso um ao outro ou ao esterno. O esterno funciona como o de um humano: como a conexão principal da caixa torácica, como proteção adicional e dá estabilidade para a parte superior do corpo.

Pélvis e ombros

As patas do cachorro se conectam ao corpo em duas áreas: no torso e nos quadris. Para permitir essa conexão, o corpo canino desenvolveu duas estruturas ósseas: a omoplata e o sacro. Na parte dianteira de um cachorro, a omoplata funciona exatamente como a nossa ao conectar os ossos das patas dianteiras do animal à coluna vertebral. Na parte traseira, o sacro é um grande osso vertebral triangular conectado à última vértebra lombar para ligar a coluna à pélvis.

Patas dianteiras

As patas de um cachorro contêm vários ossos, alguns bastante pequenos. As dianteiras se conectam à omoplata através do úmero. No final do úmero estão os cotovelos, que se conectam ao rádio e à ulna — os ossos duplos nas patas dianteiras de um cão. O rádio, então, se conecta ao caropo, um grupo de pequenos ossos que formam o pulso do animal. De lá, o metacarpo aparece e se conecta aos ossos dos dedos, também chamados de falanges.

Patas traseiras

As patas traseiras começam na pélvis, o que inclui um encaixe para o fêmur. A partir desse grande osso vem a fíbula e a tíbia, os ossos duplos da pata traseira. O joelho fica entre o fêmur e a tíbia. A tíbia é mais forte, mas a fíbula se conecta ao aglomerado de ossos chamado de tarso, ou junta do tornozelo. O tarso se liga ao metatarso, e o cachorro possui um para cada dedo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível