×
Loading ...

Anatomia dos órgãos internos do sapo

Atualizado em 24 março, 2017

O corpo do sapo é composto por uma cabeça, pescoço e tronco. O cérebro, boca, olhos, ouvidos e nariz estão todos contidos na parte da cabeça tipicamente plana do animal. Ao contrário dos humanos que possuem seus órgãos internos localizados no peito, abdome e pelve, o coração, os pulmões e órgãos da digestão do sapo estão todos localizados dentro do tronco, dentro de uma única cavidade, denominada celoma.

O corpo do sapo é composto por uma cabeça, pescoço e tronco (Comstock/Stockbyte/Getty Images)

Cérebro

O sistema nervoso do sapo, que consiste em seu cérebro, medula espinhal e nervos, é altamente desenvolvido. Um grande número de partes importantes do cérebro do sapo correspondem a partes semelhantes do cérebro humano. Estes incluem a medula, que regula a respiração e a digestão, e o cérebro, que regula a coordenação muscular e postura corporal. Quando comparada com a dos seres humanos, o cérebro de uma rã é proporcionalmente muito pequeno.

Loading...
O sistema nervoso do sapo, que consiste em seu cérebro, medula espinhal e nervos, é altamente desenvolvido (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Coração

O coração do sapo é constituído por duas câmaras superiores, denominados átrio direito e esquerdo e uma única câmara inferior, que é denominada como ventrículo. A cobertura de proteção, chamada de pericárdio, envolve o coração. Tanto sangue arterial quanto o sangue venoso, que contém gases residuais, estão presentes no ventrículo do sapo em todos os momentos. Os dois tipos de sangue no entanto são mantidos separadamente nos átrios, o sangue pobre em oxigênio entra na átrio direita, flui imediatamente para o fundo do ventrículo. Já o sangue rico em oxigênio que entra no átrio esquerdo também entra no ventrículo único, mas é sustentado pelo sangue pobre em oxigênio, que se situa na parte inferior do ventrículo. Existe tanto a porção sólida quanto a líquida do sangue. As células vermelhas e brancas do sangue são transportadas na parte líquida.

As células vermelhas e brancas do sangue são transportadas na parte líquida (Comstock Images/Stockbyte/Getty Images)

Pulmões

Embora o sapo seja capaz de respirar através de sua pele, especialmente quando debaixo d'água, estes animais possuem sacos simples que funcionam como pulmões. O ar que o sapo aspira por meio de suas duas narinas fluí através da traqueia do animal e chega até eles. Os sapos no entanto, não possuem qualquer diafragma ou nervuras, o que no caso dos seres humanos, são utilizados para auxiliar a respiração. Eles respiram abrindo a boca para permitir o fluxo de ar em suas traqueias, e também conseguem respirar fechando suas narinas e diminuindo o fundo de sua boca, o que faz com que a garganta do animal se expanda. Como as narinas do sapo estão abertas, o ar entra na boca alargada e é simplesmente forçado para os pulmões por contração dos músculos da boca, feito o processo as narinas são fechadas novamente.

Embora o sapo seja capaz de respirar através de sua pele, especialmente quando debaixo d'água, estes animais possuem sacos simples que funcionam como pulmões (Oxford Scientific/Photodisc/Getty Images)

Estômago

A digestão começa na boca do sapo, que contém pequenos e ineficazes dentes no maxilar superior. A boca também contém uma língua pegajosa que o sapo pode esticar para capturar a presa, que é levada através do esôfago para o estômago. O intestino delgado, as grandes glândulas digestivas, vesícula, pâncreas e fígado, formam o restante do sistema digestivo. Ambos os resíduos líquidos e sólidos deixam o corpo através do orifício cloacal.

A digestão começa na boca do sapo, que contém pequenos e ineficazes dentes no maxilar superior (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)
Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...