Mais
×

Animais nos Himalaias

Atualizado em 17 abril, 2017

As montanhas do Himalaia formam um dos acidentes geográficos mais bonitos e remotos, incluindo 14 dos picos mais altos do mundo. Os himalaias orientais se estendem por 2.414 km, criando uma barreira natural entre as terras baixas do subcontinente indiano e o platô tibetano. Dentro dessa região tão diversa de terras com pradarias, florestas temperadas e encostas alpinas, uma variedade estonteante de animais do Himalaia, muitos únicos e raros, faz das montanhas sua casa.

Parecido com um guaxinim, o panda vermelho é nativo das montanhas do Himalaia (Hemera Technologies/Photos.com/Getty Images)

A biodiversidade do Himalaia

Localizado em uma encruzilhada geológica forjada pela colisão de duas placas tectônicas massivas, as montanhas do Himalaia apresentam uma coleção incrível de especies animais. Os Himalaias orientais, sozinhos, são o lar de mais de 300 espécies de pássaros e centenas de répteis, anfíbios e peixes. A Conservation International rotulou esse bioma único como grande ponto de biodiversidade. O The World Wildlife Fund relata que ao menos 163 dessas espécies são globalmente ameaçadas.

Animais do Himalaia

Os Himalaias são o lar de muitos animais raros. O takin, animal nacional do Butão, é uma combinação peluda de cabra com antílope. A região também é o lar do raro langur-de-ouro, uma espécie de macaco encontrada apenas nos Himalaias. Uma das populações mais primárias do rinoceronte-indiano, o maior dentre as espécies de rinocerontes asiáticos também se encontra lá. Com uma população estimada de menos de 3.000, esses rinocerontes podem pesar de uma a três toneladas. A maior população do tigre de bengala também se encontra nas encostas do Himalaia. O raro leopardo branco de altitudes elevadas é estimado em menos de 200 indivíduos, e o leopardo das nuvens também vive lá. Os Himalaias são o lar inclusive dos elefantes asiáticos e do panda vermelho.

Animais do Himalaia recém-descobertos

Em 2009, a WWF (World Wildlife Fund) anunciou a descoberta de 350 novas espécies nos Himalaias, incluindo dois novos mamíferos. O pequenino muntiacus é a menor espécie de cervo do mundo, crescendo apenas de 60 a 81 cm em tamanho. Além de seu tamanho único, ele é um membro do grupo de cervos mais antigos. Em 2005, os primeiros novos primatas descobertos em 100 anos surgiram no Himalaia. O macaco de Arunachal é um macaco troncudo com pelo marrom e um rosto escuro. Essa espécie de macaco habita altitudes elevadas nos Himalaias e prefere viver entre 1.585 a 3.505 m.

O lendário Yeti

Nenhuma discussão sobre os animais dos Himalaias poderia ser completa sem a menção à antiga lenda do Yeti, conhecida pelos locais com o guardião da montanha. Acredita-se que ele seja um primata bípede com um rosto como o de um macaco e a cabeça coberta com um pelo marrom avermelhado. Apesar de não haver evidências de sua existência, há uma longa tradição de avistamentos, incluindo muitas expedições internacionais a altitudes elevadas. As descobertas recentes de novos macacos demonstram que existe potencial para a descoberta de novos primatas, apesar de raros. A descoberta da existência do Yeti ainda é incerta.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article