Por que a ansiedade pode causar dor pélvica?

Escrito por daniel hajdo | Traduzido por monica ferreira rocha lopes
Por que a ansiedade pode causar dor pélvica?
A dor pélvica pode trazer consequências graves para a qualidade de vida

A dor pélvica pode trazer consequências graves para a qualidade de vida e a saúde em geral. Existem muitas causas diferentes, mas a ansiedade pode desempenhar um papel importante.

Identificação

Transtorno somatoforme: É caracterizado por sintomas físicos que não podem ser explicados por qualquer outra condição médica orgânica, uso de drogas ou distúrbio mental.

Transtorno de ansiedade: É uma classe de transtornos mentais caracterizados por preocupação e medo excessivos. Esses transtornos estão associados com a alteração na função de certas áreas do cérebro e um desequilíbrio nos neurotransmissores que ajudam a regular o medo e a ansiedade.

Causas da dor pélvica

A dor pélvica possui muitas causas, incluindo cistos no ovário, adesões pélvicas (cicatrizes nos órgãos perto da pélvis), ou endometriose (em que o revestimento do útero cresce para fora dele). Nos homens, na maioria das vezes, a causa é a prostatite crônica bacteriana ou não-bacteriana, que causam uma dor pélvica crônica.

A dor pélvica crônica não é totalmente compreendida, sendo muitas vezes difícil de diagnosticar e tratar. As possíveis causas incluem distúrbios musculoesqueléticos e gastrointestinais, mas o mais provável é que a causa seja multifacetada. Pode envolver vários organismos, assim como condições psicológicas. Cerca de 15% das mulheres entre as idades de 18 a 50 anos podem sentir a dor pélvica crônica.

Ansiedade e dor pélvica

A dor pélvica pode ser um transtorno somatoforme, resultado da somatização. Memórias dolorosas ou condições psicológicas podem ser sentidas como uma dor física em outras partes do corpo, isso é a somatização. As mulheres com um histórico de abuso sexual muitas vezes sofrem desse transtorno, que frequentemente aparece como dor pélvica e pode vir acompanhada da ansiedade. A ansiedade em si, no entanto, também pode levar a um transtorno somatoforme, causando dor pélvica. Cerca de 82% dos casos dessa dor crônica podem desenvolver algum transtorno somatoforme. A sensibilidade à ansiedade, que é a ansiedade dos sintomas de ansiedade, pode também desempenhar um papel importante, aumentando a probabilidade de somatização.

Também é possível que a ansiedade cause dor pélvica através de sintomas físicos como tensão muscular ou a síndrome do intestino irritável, e ambos são sintomas comuns dessa condição. Na rigidez muscular, a dor pélvica pode aparecer onde a função sexual foi afetada pela ansiedade. A dor pode aumentar com a excitação, fazendo com que a pessoa evite a atividade sexual, causando a ansiedade por causa da atividade sexual, que por sua vez pode causar mais dor, criando um círculo vicioso. Por causa de todas essas razões, a ansiedade também pode agravar a dor pélvica causada por outras condições.

Considerações

Uma vez que a dor pélvica não é totalmente compreendida, não é possível ter uma conclusão definitiva sobre suas causas. Embora a ansiedade pareça desempenhar um papel importante, sua conexão permanece obscura.

Diagnóstico errado

Uma condição recentemente reconhecida chamada vulvodínia (dor crônica ou desconforto na vulva) pode assemelhar-se à dor pélvica crônica. Devido ao fato desta condição ainda não ser amplamente reconhecida, os pacientes podem, por vezes, serem diagnosticado erroneamente com um distúrbio somatoforme, como ansiedade ou depressão.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível