Árvores de Natal à moda antiga com pingentes de alumínio

Escrito por kathryn rateliff barr Google | Traduzido por luana santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Árvores de Natal à moda antiga com pingentes de alumínio
A história das lantejoulas começa na Alemanha em 1600 (Thomas Northcut/Photodisc/Getty Images)

As fotos de árvores de Natal decoradas do início a meados do século XX muitas vezes incluem enfeites de lantejoulas de prata pendurados nos galhos. Enquanto os pingentes de gelo pareçam ser de alumínio, eles continham chumbo e estanho e tiveram origem muitos séculos antes de sua popularidade nos Estados Unidos. A icônica lantejoula do Natal tem uma história interessante.

Outras pessoas estão lendo

Decorando a árvore

As famílias penduravam as luzes seguidas pelos enfeites da árvore de Natal. Os pingentes de gelo e o topo apareceram como um toque final. As pessoas penduravam cada enfeite de uma vez para garantir que eles não se emaranhassem ou rasgassem. Os pingentes eram pendurados em quase todos os galhos, criando um efeito deslumbrante para refletir as luzes de Natal. A combinação de estanho e chumbo que mantinha essas decorações suspensas nos ramos das árvores ajudava a mantê-las limpas e nítidas ano após ano. Como as lantejoulas eram resistentes e não quebravam quando caíam, toda a família podia participar dessa etapa final na decoração. Cada membro colocava as fitas de prata naqueles galhos que alcançava.

Pingentes de metal retorcido

Nos anos 1930 e 1940, a empresa Vênus fabricou um produto chamado "Diamond Ray Jeweled Icicles" (Pingentes de Diamantes Ray) que era de metal retorcido com prata de um lado e tons de amarelo, vermelho, azul ou verde do outro. Os pingentes de gelo tinham um pequeno buraco em uma extremidade com um cordão de cor dourada para pendurá-los na árvore. Esses e outros ornamentos antigos podem ser encontrados em lojas de antiguidades. Quem quisesse uma aparência clássica na decoração poderia incorporar esses tipos de enfeites na árvore. Algumas pessoas faziam seus próprios pingentes cortando e enrolando tiras de latas de alumínio descartadas.

Árvores de Natal de alumínio

Em 1959, a fábrica Aluminum Specialty produziu uma árvore de alumínio que foi comercializada como uma árvore permanente. Com todos os ramos fabricados exatamente do mesmo jeito, ela era fácil de montar, mas não parecia natural. Dentro de poucos anos, outras empresas produziram árvores de alumínio que vieram em algumas cores sortidas. Os fabricantes desencorajavam o uso de piscas-piscas por causa da possibilidade de choque elétrico e a moda da árvore de alumínio durou menos de dez anos, terminando quando a demanda do consumidor mudou para árvores que pareciam mais naturais.

História das lantejoulas

As lantejoulas, antepassadas dos pingentes de gelo de estanho e chumbo, teve origem na Alemanha em algum momento do século XVII. Os alemães fizeram as cortinas originais de tiras finas de prata real, mas ela manchava facilmente quando exposta a velas populares em árvores de Natal. Eles então experimentaram usar pingentes de estanho, mas essa opção tinha seus próprios problemas, incluindo o peso dos fios e a cor maçante. O pingente vinha em algumas cores, mas a maioria era de prata. Até o século XX, o estanho e o chumbo foram incorporados nos pingentes. Em 1971, a Organização de Alimentos e Medicamentos (FDA) proibiu a fabricação desses enfeites e isso baniu a venda dos itens no ano seguinte.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível