Mais
×

Asilos: prós e contras

Durante os últimos anos, tem-se observado um rápido envelhecimento da população no mundo, especialmente nos países em desenvolvimento, como o Brasil. No País, estima-se que o número de idosos salte de 23 milhões para 35 milhões nos próximos 15 anos. O avanço da medicina é considerado o principal fator que permite com que os idosos tenham uma vida mais longa e mais saudável. Muitos deles vivem em instituições próprias para idosos, os chamados asilos, ou instituições de longa permanência de idosos. O senso comum tende ainda a ver tais instituições como locais de crueldade. Outros argumentam que são locais com preparo para lidar com idosos. Confira os principais argumentos sobre o assunto.

No País, estima-se que o número de idosos salte de 23 milhões para 35 milhões nos próximos 15 anos (Digital Vision./Digital Vision/Getty Images)

Prós: negligência dos familiares

Muitos idosos sofrem com negligência dos familiares e abandono. Isso sem contar na falta de leitos hospitalares em todo o Brasil. Esses são os principais argumentos de quem defende o asilo como solução para abrigar os brasileiros idosos. No dia a dia familiar, poucas famílias estariam com tempo disponível para se dedicar aos idosos. No caso do Alzheimer, o quadro é pior ainda, já que o paciente necessita de cuidados em tempo integral. Em contrapartida, profissionais especializados em bons asilos possuem tempo, técnica e preparo para cuidar dos velinhos da forma como eles merecem.

Muitos idosos sofrem com negligência dos familiares e abandono (Siri Stafford/Digital Vision/Getty Images)

Prós: casos de grande dependência

Quanto mais velho o idoso, mais dependência ele terá de ajuda especializada. Estima-se que existam atualmente 4 milhões de pessoas na categoria de alta dependência do Brasil. São pacientes vítimas de acidentes cardiovasculares, de Alzheimer, derrames ou de imobilidade. Para muitas famílias, manter esses idosos em casa com ajuda técnica adequada sairia muito caro. A solução, então, seria encontrar um asilo onde o idoso seja tratado com todo o carinho e a atenção que merece. Além disso, ele terá contato com pessoas da mesma idade e realizará atividades físicas e mentais apropriadas.

No asilo, o idoso tem contato com pessoas da mesma idade (Keith Brofsky/Photodisc/Getty Images)

Contra: falta da família

Um dos maiores problemas envolvendo a habitação em asilos está obviamente na falta que os velinhos sentem dos familiares. Esse é justamente um dos argumentos contra os asilos. Se houver condição, o idoso se sentirá mais bem acolhido junto dos familiares, mesmo que o contato não seja tão frequente. Essa é a solução mais indicada por médicos geriatras, no que diz respeito ao tratamento de pacientes idosos. Os especialistas argumentam que ficar perto da família ajuda, inclusive, na recuperação mais rápida de enfermidades.

A falta da família é um dos maiores problemas na vida de quem está em asilo (Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Contras: instituições despreparadas

Se é verdade que existem bons asilos no Brasil, não se pode ignorar que existem os péssimos. Historicamente, essas instituições surgiram como locais onde se internavam doentes mentais ou pessoas consideradas à margem, como os velhos. Desde então, muita coisa mudou. Mas ainda existem asilos que funcionam como modestos empreendimentos cujos proprietários apropriam-se dos benefícios dos internos, como recursos de aposentadorias e pensões, por exemplo. Alguns negligenciam o tratamento com os idosos e não dispõem de profissionais qualificados. Por isso, na hora de escolher uma instituição, o melhor é pesquisar bastante.

Algumas instituições não estão preparadas para atender idosos (Jupiterimages/Stockbyte/Getty Images)
Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article