Asma, e os purificadores de ar iônicos

Escrito por b.t. alo | Traduzido por andressa gonzalez
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Asma, e os purificadores de ar iônicos
Os asmáticos podem perceber que, quando um purificador de ar iônico está ligado em sua casa, eles começam a tossir, respirar com dificuldade ou ter dor no peito (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

Com o crescente número de poluentes no ar, os purificadores de ar disponíveis no mercado são dispositivos populares para ajudar a resolver esse problema. Eles são comercializados como sendo úteis para prevenir alergias e a asma, tirando irritantes comuns e alérgenos, como pólen, poeira, esporos e pelos do ar. Embora isso possa ser verdade, o ozônio, emissão comum da maioria dos purificadores de ar iônicos, pode causar mais irritação para quem sofre de asma do que o bem que o purificador pode fazer.

Outras pessoas estão lendo

Funcionamento

Os purificadores de ar iônicos funcionam através da criação de íons negativos no ar, alterando a polaridade natural das partículas transportadas, que são então atraídas para os metais dentro deles. Esses tipos de purificadores são capazes de remover tanto partículas quanto gases poluentes do ar. Muitos deles possuem o ozônio como um subproduto ou utilizam-no como um desodorizante.

História

De acordo com o site Achoo Allergy, os primeiros purificadores de ar foram projetados para o uso no combate a incêndios em torno de 1823. Os primeiros sistemas de filtragem de ar em casa foram projetados na Alemanha na década de 1960, mas os filtros HEPA, dispositivos de filtração mais abrangentes, foram desenvolvidos por militares dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial. Na década de 1990, foram criados purificadores iônicos e eletromagnéticos e seu uso se espalhou pelo mundo.

Sintomas

Os asmáticos podem perceber que, quando um purificador de ar iônico está ligado em sua casa, eles começam a tossir, respirar com dificuldade ou ter dor no peito; isso ocorre porque, de acordo com a Universidade da Califórnia, o acúmulo concentrado de ozônio agrava sua condição. O ozônio também reduz a capacidade de quem sofre de asma, e até mesmo pessoas saudáveis, ​de combater a infecção pulmonar, e pode causar danos pulmonares permanentes após um período prolongado de exposição.

Perigos

Embora os purificadores de ar iônicos sejam feitos para emitir menos ozônio do que o nível considerado seguro, que é 50 partes por bilhão (ppb), isso terá pouco significado se um purificador de ar iônico estiver localizado em uma pequena sala mal ventilada. De acordo com a Universidade da Califórnia, mesmo que um purificador de ar iônico emita apenas 20 ppb, o ozônio já existente na sala une-se a essa emissão para criar níveis inseguros de ozônio em poucas horas (em alguns casos tão alto quanto 350 ppb). Isso é o suficiente para causar sério agravamento da asma e dos sintomas asmáticos em pessoas que normalmente não sofrem dessa condição.

Advertências

Os purificadores de ar iônicos podem ajudar a remover os alérgenos do ar, mas se não forem usados em um quarto bem ventilado e de tamanho suficiente, as emissões de ozônio que eles criarem serão muito mais perigosas do que as partículas que estavam anteriormente no ar. Os consumidores interessados ​​em adquirir purificadores de ar para sua casa devem sempre verificar as emissões de ozônio do produto e considerar cuidadosamente o tamanho e a ventilação do ambiente em que o dispositivo de filtragem de ar será colocado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível