Mais
×

Os atores mirins que emocionaram o mundo

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Introdução

Os astros mirins são um fenômeno tão antigo quanto o próprio cinema. A necessidade de incluir personagens infantis exigiu que atores cada vez mais jovens iniciassem sua carreira nas telas. Alguns foram tão bem que se tornaram sucesso absoluto, emocionando crianças e adultos. No entanto, a vida não foi tão doce para alguns deles: além de trabalharem muito para conquistarem a fama, enfrentaram dificuldades para continuar no estrelato após chegar à adolescência ou à idade adulta. Outros enfrentam pressões fortes dos pais, crises familiares ou problemas com drogas. Conheça 15 dos mais emblemáticos atores mirins de todos os tempos.

Getty Images

Shirley Temple

A primeira de todas as grandes estrelas mirins é hoje uma octogenária. Shirley Temple nasceu em 1928 e começou a trabalhar no cinema aos quatro anos. Participou de vários curtas e não demorou muito para protagonizar seus primeiros filmes: “Little Miss Marker” e “Olhos Encantados”, no qual conquistou o mundo cantando "On The Good Ship Lollipop". Até os dez anos, foi um sucesso absoluto de bilheteria, salvando os estúdios Fox da falência à época da Grande Depressão. Aos seis anos, ganhou um Oscar Especial, tornando-se a mais jovem estrela a receber a estatueta. No entanto, não obteve o mesmo sucesso como adolescente ou adulta. Aposentou-se do cinema em 1949 e seguiu a carreira diplomática.

Getty Images

Jackie Coogan

Quem nunca se emocionou com o menininho pobre que acompanha Carlitos em “O Garoto”? John Leslie Coogan, ou Jackie Coogan, foi contratado por Charles Chaplin ao fazer uma imitação de seu personagem mais famoso. Seu grande sucesso no filme, de 1921, o levou a estrelar “Oliver Twist”, no ano seguinte. Ficou milionário ainda criança, mas perdeu tudo com o divórcio dos pais. Anos depois, entrou com um processo contra ambos para reaver o dinheiro. Não conseguiu recuperar tudo, mas seu caso inspirou a criação de uma lei especial de proteção a artistas mirins. Anos depois, serviu as forças armadas na Segunda Guerra Mundial e retomou sua carreira de ator posteriormente. Morreu em 1984, aos 69 anos.

Andrew Kent/Getty Images Entertainment/Getty Images

Tatum O’Neal

Tatum Beatrice O'Neal foi a mais jovem a receber um Oscar por uma atuação específica em um filme. Em 1973, com apenas dez anos, foi eleita melhor atriz coadjuvante pela sua participação no filme “Lua de Papel”. Nascida em 1963, é filha dos atores Ryan O’Neal e Joanna Moore e o cinema sempre fez parte de sua vida. Dois anos após seu grande sucesso, fez “Garotos em Ponto de Bala”, mas depois sua carreira entrou em declínio e fez pouquíssimos trabalhos de destaque. Em sua autobiografia, “Vida de Papel” (foto), ela narrou os abusos físicos e psicológicos causados por seu pai, afirmou ter sido molestada por um amigo dele e ainda narrou seus problemas com drogas.

Vince Bucci/Getty Images Entertainment/Getty Images

Dakota Fanning

Dakota Fanning nasceu em 1994 e foi, por muitos anos, a “Sweet Darling” de Hollywood. Linda, meiga e inteligente, ela chamou a atenção logo cedo para seu talento como atriz. Aos cinco anos, fez suas primeiras aparições em comerciais. Aos sete, já participava de seriados na TV, como “Plantão Médico” e “CSI”. Não demorou muito e fez seu primeiro filme: “Uma Lição de Amor”, em 2001, contracenando com Sean Penn. Ao contrário de tantos astros mirins, manteve o sucesso ao crescer. Ainda adolescente, integrou o elenco da saga “Crepúsculo”, interpretando a vampira Jane Volturi em “Lua Nova” e nos trabalhos seguintes. Atualmente, segue fazendo filmes e pretende se lançar como cantora.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Haley Joel Osment

O olhar aguçado, e um tanto maduro, já prenunciava que aquele menino era precoce. Haley Joel Osment nasceu em 1988. Fez sua estreia no cinema com apenas seis anos, no filme “Forrest Gump – O Contador de Histórias”, interpretando o filho do personagem-título. Mas seu grande sucesso veio em 1999: o suspense “O Sexto Sentido”, em que contracenou com Bruce Willis. No papel do menino Cole Sear, pronunciou uma das frases mais célebres do cinema (“Eu vejo gente morta”) e chegou a ser indicado ao Oscar. Outros filmes vieram, como “A Corrente do Bem” e “A.I. – Inteligência Artificial”. Hoje, já adulto, tem se dedicado a dublagens de animações e jogos de videogame.

Scott Gries/Getty Images Entertainment/Getty Images

Macaulay Culkin

O garoto nascido em 1980 ficou famoso no mundo todo como protagonista da comédia “Esqueceram de Mim”, de 1990. No entanto, ele já participava de filmes desde os cinco anos, cativando a todos com seu sorriso peralta e simpático. Após o estrondoso sucesso aos dez anos, fez vários sucessos de bilheteria. Tornou-se um dos atores mirins mais bem pagos da história. Apesar do sucesso diante das câmeras, ele enfrentou um turbilhão familiar quando os pais se divorciaram e passaram a brigar pela sua fortuna. Na Justiça, Macaulay Culkin conseguiu ficar com a grana e se livrar dos pais, mas não conseguiu escapar do ostracismo e nem da dependência às drogas, males de muitos astros mirins que não conseguem se manter no topo.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Sean Astin

Nascido em 1971, Sean Astin foi o protagonista de um dos maiores filmes infanto-juvenis dos anos 1980: "Os Goonies". Ele interpreta Mikey, um garoto que encontra o mapa de um grande tesouro que pertencia ao pirata Willy Caolho. Com seus amigos, ele enfrenta várias armadilhas para encontrar as joias. Esse filme o colocou como um dos principais atores mirins do momento. Durante a adolescência, voltou a participar de outras produções sem grande êxito. Até que participou da super premiada trilogia de “O Senhor dos Anéis”, como Samwise Gamgee, o inseparável amigo do hobbit Frodo Bolseiro. Desde então, tem atuado em filmagens de relativo sucesso em Hollywood.

Kevin Winter/Getty Images Entertainment/Getty Images

Henry Thomas

O filme “ET – O Extraterrestre” revelou ao menos dois atores que ficariam famosos nos anos posteriores. Henry Thomas é um deles. Nascido em 1971, ele interpreta o pequeno Elliot, um garoto que faz amizade com o simpático alienígena e faz de tudo para escondê-lo das autoridades. O filme foi um sucesso estrondoso de bilheteria e catapultou a carreira do astro mirim, que também atuou em "Querido John" e “Os Heróis não têm Idade”. Ele ficou um pouco sumido nos anos seguintes. Já adulto, reapareceu em várias produções, como “Lendas da Paixão”, “Espírito Selvagem” e “Gangues de Nova York”, de Martin Scorsese.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Drew Barrymore

Outra estrela mirim revelada em “ET – O Extraterrestre” nasceu em 1975. Drew Barrimore interpretou Gertie, uma das crianças que fizeram amizade com o personagem-título. Seu rosto angelical logo chamou a atenção do público e ela se tornou famosa em todo o mundo. Participou de vários outros filmes, mas passou por momentos turbulentos durante a adolescência, quando precisou se internar duas vezes em clínicas de reabilitação contra álcool e drogas. Sua situação mudou em 1995, quando passou a protagonizar filmes que obtiveram boa bilheteria. Hoje, ela é nome de destaque em várias comédias românticas, como “Amor em Jogo”, “Como se fosse a Primeira Vez” e “Nunca Fui Beijada”, além dos filmes da franquia “As Panteras”.

Sean Gallup/Getty Images Entertainment/Getty Images

Vinícius de Oliveira

Sucesso de público e crítica, no Brasil e também no exterior, “Central do Brasil” revelou o talento do jovem Vinícius de Oliveira. Nascido em 1985, ele contracenou no filme de Walter Salles, aos 13 anos, ao lado de Fernanda Montenegro. A fama da película o tornou famoso da noite para o dia. Ele passou a participar de vários programas de televisão e algumas peças consagradas. O ator cresceu e continuou participando de outros filmes com Salles, como “Abril Despedaçado” e produções de outros diretores, como “Assalto ao Banco Central”. Apesar de ter mantido sua carreira em constante atividade, ele ainda não reeditou o grande êxito dos primeiros anos.

Diane Freed/Getty Images Entertainment/Getty Images

Christina Ricci

Entre as esquisitas figuras do filme “A Família Addams”, ganhava destaque a pequena Wednesday (no Brasil, Vandinha) e seu estilo calado e soturno. A personagem catapultou Christina Ricci para o sucesso em Hollywood, ainda na infância. A atriz, que nasceu em 1980, marcou presença em vários filmes no início dos anos 90, incluindo a sequência “A Família Addams 2”. Na adolescência, enfrentou problemas com anorexia e depressão, após o divórcio dos pais. Recuperada, retomou a carreira com filmes como “A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça” e “Monster – Desejo Assassino”. Atualmente, mantém sua própria produtora. Na frente das câmeras, atua na série televisiva “Pan Am”.

George De Sota/Getty Images Entertainment/Getty Images

Daniel Radcliffe

Nascido em 1989, o britânico Daniel Radcliffe já tem um desafio e tanto para sua jovem carreira: desvincular sua imagem da do personagem que interpretou no cinema entre 2001 e 2010: Harry Potter. Aos 11 anos, participou do primeiro filme da série, tornando-se o astro mirim da vez. Ao todo, foram oito filmes, que fizeram sucesso estrondoso de bilheteria e o transformaram em um dos atores mais ricos da atualidade. Nesse mesmo período, participou de algumas produções cinematográficas e televisivas. Já adulto, fez uma atuação de impacto na peça Equus, de Peter Shaffer, em que aparecia nu em algumas cenas.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Ashley e Mary Kate Olsen

Se uma atriz mirim já chama a atenção do público, imagine duas? O sucesso das irmãs gêmeas Mary-Kate e Ashley Olsen, nascidas em 1986, foi instantâneo. Aos seis anos, elas já participaram juntas de vários filmes, como “As Bruxinhas” ou “As Namoradas do Papai”. Com o sucesso de bilheteria de seus trabalhos, elas se tornaram as celebridades jovens mais ricas do mundo. A adolescência veio e elas continuaram emplacando um sucesso atrás do outro, como “No Pique de Nova York”. Ao completar 20 anos, passaram a investir também na carreira de estilistas. Embora tenham feito participações em filmes e séries, as irmãs estão cada vez mais focadas no mundo da moda.

Peter Kramer/Getty Images Entertainment/Getty Images

Jaden Smith

Will Smith, um dos maiores astros de Hollywood, foi o astro do drama “À Procura da Felicidade”. No entanto, as atenções ficaram com o garotinho de oito anos que contracenava com ele. Era seu filho, Jaden Smith, nascido em 1998. Em pouco tempo, o menino participou de outros trabalhos, como “O Dia em Que a Terra Parou” e o remake de “Karatê Kid”. Com essas participações, ele já começa a se destacar como ator e também cantor, seguindo os passos do pai. Desde 2012, já gravou uma série de canções, como “Flame”, "Give It To Em' " e "The Coolest".

Alberto E. Rodriguez/Getty Images Entertainment/Getty Images

Quvenzhané Wallis

O nome de grafia complicadíssima já chamou a atenção, mas não tanto quanto a interpretação espetacular. Com apenas nove anos, ela protagonizou o filme “Indomável Sonhadora” e se tornou a mais jovem a concorrer ao Oscar de melhor atriz, em 2013. O mais incrível, no entanto, é que a garota tinha apenas seis durante as filmagens. No filme, ela interpreta Hushpuppy, uma menina que vive com seu pai doente em uma comunidade pobre da Louisiana, nos Estados Unidos. Ela superou quatro mil candidatos para ter o papel e cativou rapidamente o diretor Benh Zeitlin. Com o sucesso, a precoce atriz já participa de outras produções, que devem chegar aos cinemas até 2014: “Twelve Years a Slave” e “Annie”.

Diane Freed/Getty Images Entertainment/Getty Images

Anna Paquin

A canadense Anna Paquin, nascida em 1982, jamais havia atuado antes, quando foi incentivada pela irmã a fazer um teste para o filme “O Piano”. Ela superou cinco mil candidatas e ganhou o papel da pequena Flora, no filme de Jane Campion. Sua interpretação lhe valeu o Oscar de atriz coadjuvante, com apenas 11 anos, em 1993. No entanto, ela só voltou ao cinema em 1996, com “Jane Eyre” e “Voando para Casa”. No ano seguinte, interpretou a rainha Isabel II da Espanha, em “Amistad”, de Spielberg. Voltou a ter destaque a partir de 2000, mas em papéis secundários, em produções como “Quase Famosos” e na trilogia “X-Men”. Atuou ainda na série televisiva “True Blood”.

Peter Kramer/Getty Images Entertainment/Getty Images

Abigail Breslin

Com apenas dez anos, Abigail Breslin ganhou destaque no mundo inteiro, ao participar do filme “Pequena Miss Sunshine”, de 2006. A atuação lhe valeu uma indicação, no ano seguinte, ao Oscar de melhor atriz coadjuvante. No entanto, ela já atuava desde os três anos de idade. Aos seis, fez sua estreia no cinema, em “Sinais”. Desde então, não parou mais. Esteve ainda em produções como “Definitely, Maybe”, “Sem Reservas”, “Uma Prova de Amor” e “Zombieland”. Em 2010, passou a trabalhar também no teatro. Sua primeira aparição na Broadway foi como Helen Keller na peça “The Miracle Worker”. Hoje, já adolescente, é conhecida como uma das atrizes mais promissoras de Hollywood.