Atrofia progressiva da retina em filhotes de cães

Escrito por tracy hodge | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Atrofia progressiva da retina em filhotes de cães
A atrofia progressiva de retina em filhotes pode levar à cegueira (Sitting Pug image by LOLA from Fotolia.com)

A atrofia progressiva de retina (ou APR) é um grupo de doenças degenerativas que são encontradas em muitas raças de cães. Essa condição pode levar à cegueira conforme o filhote cresce, embora a taxa de progressão possa variar em cada cão.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

A atrofia progressiva de retina é mais comum em cães que em gatos, e pode ocorrer em filhotes ou surgir mais tarde. Há múltiplas formas de APR, que podem determinar a idade na qual os sintomas ocorrem. A APR piora gradualmente ao longo do tempo, e pode começar com o filhote tendo cegueira noturna. Isso pode, enfim, levar à deterioração da visão à luz do dia e à cegueira.

Causas

Os fotorreceptores normais nos olhos de filhotes se desenvolvem depois do nascimento até aproximadamente oito semanas de idade. Os filhotes que têm APR têm o desenvolvimento dos fotorreceptores da retina retidos, ou uma degeneração inicial precoce de tais fotorreceptores. A displasia da retina é uma forma de APR que pode afetar o filhote aos dois meses de idade. Filhotes que sofrem dessa displasia podem estar completamente cegos antes de completarem um ano de idade.

Sintomas

Os sintomas da atrofia progressiva de retina em filhotes pode incluir a relutância em entrar em cômodos ou corredores escuros, e cegueira noturna. Nos estágios iniciais da APR, pode não haver nenhum sintoma físico, tal como vermelhidão ou lacrimejamento do olho, ou estrabismo. Conforme a doença progride, o dono do filhote pode notar uma dilatação das pupilas ou um reflexo de luz no olho. Conforme a cegueira progride, um "filme" pode fazer com que o olho pareça nublado.

Diagnóstico

A atrofia progressiva de retina em filhotes pode ser diagnosticada com um exame ocular no animal. Este exame pode ser realizado por um oftalmologista veterinário, que também pode realizar testes de diagnósticos como a eletrorretinografia. É um teste indolor que é bem tolerado pela maioria dos cães.

Prevenção/Solução

Infelizmente, não há cura para a atrofia progressiva da retina em filhotes, e não há forma de diminuir a progressão da doença. Filhotes que sofrem desta condição vão acabar ficando cegos. A APR é uma condição hereditária, e cães que tenham essa doença não devem se reproduzir para evitar que ela seja passada aos filhotes, assim como os pais e companheiros de ninhada de filhotes afetados.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível