Benefícios da romã para a pele

Escrito por stefania medvedik | Traduzido por marina mendes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Benefícios da romã para a pele
Os antioxidantes da romã protegem a pele dos danos causados pelo sol (pomegranate close-up image by Eric E from Fotolia.com)

Romã, fruta de casca dura e avermelhada e pequenas sementes vermelhas comestíveis em seu interior, possui um longo histórico de uso em medicina tradicional em todo o mundo e está presente em muitos produtos de pele e suplementos dietéticos. É rica em vários compostos benéficos de plantas e possui forte atividade antioxidante e algumas de suas substâncias podem ajudar a proteger a pele dos efeitos danificadores da exposição ao sol. Isso tudo segundo o pesquisador Hye Min Park e seus colegas do departamento de ciências médicas da universidade de Kyung Hee (Department of Medical Science at the Graduate School of East-West Medical Science at Kyung Hee University Global Campus), na Coréia do Sul, em um estudo publicado em março de 2010 na revista "International Journal of Dermatology".

Outras pessoas estão lendo

Rugas

A romã contém ácido elágico, polifenol que ao ser aplicado reduz a quebra do colágeno e inflamações das células da pele humana e de ratos expostos aos raios UVB, segundo o pesquisador Ji-Young Bae e seus colegas do departamento de alimento e nutrição da universidade de Hallym na Coréia (Department of Food and Nutrition at Hallym University in Korea),em um estudo publicado em janeiro de 2010 na revista "Experimental Dermatology". Eles concluíram que intervenções dietéticas e farmacológicas com frutas ricas em ácido elágico podem ser estratégias promissoras de tratamento de rugas e inflamações da pele associadas à exposição crônica ao raios UV, que leva ao fotoenvelhecimento (ver em Referências 3 no fim deste artigo).

Outros polifenóis da romã, particularmente a catequina presente em extratos da fruta, também ajudaram a proteger as células da pele humana tratadas com luz UVB de fotoenvelhecimento, o que aumentou a síntese de colágeno, de acordo com o estudo de 2010 do pesquisador Park e seus colegas (ver em Referências 2).

Hiperpigmentação e sardas

Foi descoberto que as romãs estão na lista de compostos e plantas com propriedades antioxidantes que mais beneficiam a hiperpigmentação, de acordo com o Dr. Joesph F. Fowler Jr. e colegas da universidade de Louisville, divisão de dermatologia, em Louisville, Kentucky (E.U.A), em um estudo publicado em junho de 2010 na revista "Drugs and Dermatology". As mulheres que consomem extrato de romã com altos níveis de ácido elágico -- 200 mg por dia -- mostraram uma pele mais clara e uma melhora na pigmentação e sarda, como observadas pelo pesquisador Kouichi Kasai e seus colegas, da divisão de pesquisa e desenvolvimento da empresa Kikkoman Corp, no Japão, em um estudo de março de 2006 na revista "Journal of Nutritional Science and Vitaminology". O ácido elágico funciona como um inibidor da produção de melanina ao bloquear a atividade da enzima tirosinase que produz a melanina.

Inflamação

O ácido elágico, encontrado nas romãs, também ajudou a reduzir a inflamação da pele dos ratos sem pelos expostos a luz UVB, de acordo com um estudo em janeiro de 2010 feito por Bae e colegas. O ácido elágico diminuiu a produção e a presença de substâncias pró-inflamatórias da pele chamadas citocinas, que podem aparecer após a exposição aos raios UVB.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível