Benefícios do uso da Ritalina

Escrito por ethan gallagher | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Benefícios do uso da Ritalina
Ritalina melhora problemas cardiovasculares e metabólicos (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Ritalina, a fórmula mais popular da medicação estimulante metilfenidato, é prescrita para tratar condições como distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade, obesidade, narcolepsia, letargia e fadiga. O metilfenidato exerce sua ação terapêutica através do aumento dos níveis do neurotransmissor dopamina no cérebro, melhorando, assim, muitos distúrbios neurológicos e proporcionando efeitos benéficos para alguns problemas cardiovasculares e metabólicos.

Outras pessoas estão lendo

Melhorias nas funções cognitivas

A Ritalina é um estimulante do sistema nervoso central, que age primordialmente sobre o neurotransmissor dopamina e um pouco menos sobre o norepinefrina. Aumentar os níveis de dopamina no cérebro melhora a capacidade de concentração, a habilidade de organizar as diferentes fases de uma tarefa e aumenta a motivação e o comportamento voltado para a consecução de objetivos. Estes bebefícios são pronunciados em pacientes com distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade, que é caracterizado por impulsividade, incapacidade de concentração e ausência ou escassez de motivação para completar tarefas necessárias. Em pacientes com DDAH, a Ritalina reduz os sintomas e permite funcionamento cognitivo normal.

Reduz a narcolepsia e a fadiga

Através do aumento no cérebro dos níveis de dopamina e, a um menor grau, de norepinefrina, a Ritalina e outros estimulantes produzem um efeito semelhante ao produzido por estímulos excitantes ou recompensadores e, como resultado, diminui os níveis de fadiga e sonolência. A narcolepsia é um distúrbio caracterizado pela incapacidade de ficar acordado em situações em que dormir é inadequado ou perigoso, como no trabalho, escola ou dirigindo. Através da sua ação estimulante, a Ritalina pode melhorar os sintomas de narcolepsia e reduzir a letargia e fadiga nos pacientes em que alguma doença ou condição debilitante está presente.

Perda de peso

Além do DDAH e da narcolepsia, a Ritalina também tem sido utilizada para tratar a obesidade mórbida. Efeitos colaterais da sua ação estimulante no sistema nervoso central são aumento da frequência cardíaca e da taxa metabólica e diminuição do apetite. Embora sua ação terapêutica seja mediada principalmente pela dopamina em doenças neurológicas, seus efeitos físicos são produzidos pelo aumento da norepinefrina, parente próximo da adrenalina. Quando aliada a um programa de exercícios e dieta desenvolvida pelo médico, a Ritalina pode ajudar um paciente obeso a perder gordura e melhorar sua saúde. No entanto, devido ao seu efeito estimulante sobre o coração, a Ritalina pode representar perigo para pessoas com problemas cardíacos. Portanto, é vital que o paciente avalie os riscos e benefícios do tratamento com Ritalina com seu médico.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível