Blastomicose canina: Tratamento e medicação

Escrito por judy wolfe Google | Traduzido por ricardo castiglioni
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A blastomicose canina é uma infecção fúngica norte-americana que cães adquirem ao inalar os esporos de blastomyces dermatitidis, um mofo encontrado na decomposição de vegetação e umidade do solo. Dentro dos pulmões de um cão, esses esporos desenvolvem-se em leveduras grandes e se espalham para outros tecidos.

Se não for tratada, a blastomicose pode levar à pneumonia ou danificar as articulações, a pele ou os olhos do cão. Todos os cães são suscetíveis a infecções de blastomicose, ela é encontrada com mais frequência em cães de caça e de trabalho que passam muito tempo ao ar livre.

Outras pessoas estão lendo

Itraconazol

A University of Wisconsin Madison's School of Veterinary Medicine recomenda cápsulas de itraconazol como um tratamento para o cão com blastomicose.

A menos que um veterinário instrua o contrário, comece o tratamento do cão com uma dose de 5 mg de itraconazol por quilograma (2,2 libras) do seu peso a cada 12 horas durante cinco dias, conforme afirma a University of Georgia College of Veterinary Medicine. Essa dosagem acelera os efeitos contra a infecção blastomicose.

Um problema que ocorre com o itraconazol é que ele é vendido em cápsulas de 100 mg. Fornecer uma dose diária eficaz e segura para o animal de estimação quando se está limitado a cápsulas desse tamanho pode ser difícil. Evite o problema encontrando uma farmácia de manipulação que use receitas prescritas de itraconazol para fazer cápsulas do tamanho adequado para o cão.

Após cinco dias, administre o itraconazol, uma vez por dia. Continue o tratamento do cão por pelo menos 60 dias, ou um mês depois que os sintomas pararem. Se os pulmões do cão estiverem muito infectados, trate-o por pelo menos 90 dias. A função do fígado do cão deve ser testada periodicamente durante o tratamento, pois o itraconazol pode causar danos ao fígado.

O itraconazol cura a blastomicose em cerca de 70% dos cães afetados, mas a infecção eventualmente ressurge para outros 20%. Se o cão está nos 20%, trate-o novamente com itraconazol.

Durante o tratamento

Não entre em pânico se os sintomas do cachorro piorarem logo após iniciar o tratamento, especialmente se a blastomicose estiver afetando os pulmões. Grandes quantidades de fungos morrendo podem agravar os problemas respiratórios.

Limite as atividades como jogar ou subir escadas que possam afetar o sistema respiratório. Se o cão não melhorou após duas semanas de medicação, um veterinário deverá examiná-lo. Exames mensais serão suficientes depois disso.

Fique atento para os efeitos colaterais como icterícia (amarelamento) das gengivas, pele ou olhos, perda de peso, diarreia e vômito, que podem ser sinais de danos ao fígado. Se o cão apresenta esses sintomas, pare de usar o medicamento e fale com o veterinário sobre alternativas. Uma vez que os sintomas tenham desaparecido, retome o itraconazol em doses mais baixas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível