×
Loading ...

Por que o Brasil produz tantos grandes jogadores de futebol

O Brasil é pentacampeão de futebol e também o único a participar de todas as edições da Copa do Mundo. Revelou o maior jogador de todos os tempos, Pelé, e ainda exibe uma galeria fantástica de craques, como Garrincha, Zizinho, Leônidas da Silva, Zico, Sócrates, Romário, Ronaldo, Rivaldo e tantos outros. Os clubes de futebol do País são conhecidos internacionalmente pelos fantásticos esquadrões que montaram no passado e pelos muitos títulos internacionais que colecionam até hoje. Por que o Brasil é essa potência do futebol? Vários fatores podem explicar esse fenômeno. Conheça alguns deles.

O Brasil tem cinco títulos mundiais e foi a todas as Copas do Mundo (AfricaImages/iStock/Getty Images)

Grande população e extensão territorial

Pode parecer simples e ingênuo, mas o fato é que ter uma grande população e uma área territorial imensa ajuda – e muito – para que o Brasil tenha muitos craques em sua história. Afinal de contas, é da quantidade que se pode extrair a qualidade. Se no eixo Rio-São Paulo temos as equipes mais fortes do País, também é verdade que vários talentos surgem no Nordeste (Vavá e Rivaldo) e no Sul (Falcão e Renato Gaúcho), por exemplo. Certamente nossa seleção seria menos forte se o País fosse menor.

Loading...

Campeonatos estaduais

O Brasil é o único país do mundo que conta com campeonatos estaduais profissionais e isso desde o início do século 20. Nenhuma outra nação possui ligas regulares e organizadas para seus estados, províncias ou departamentos. Se por um lado isso fez com que o Brasileirão demorasse décadas para se fortalecer, por outro serviu para regionalizar o crescimento do futebol brasileiro. Muitos campeonatos, como o Paulista e o Carioca, são tão fortes e competitivos quanto alguns torneios nacionais sul-americanos ou mesmo da Europa.

Maior visibilidade

Com mais campeonatos em disputa, cresce consideravelmente o número de clubes espalhados pelo País. É praticamente impossível percorrer um trecho de 200 km, em qualquer direção, sem se deparar com algum time disputando um torneio estadual, não importa em qual divisão. Um levantamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizado em 2009, apontou que o País contava com 783 equipes profissionais. Claro que só há tantos clubes assim porque existe um número de jogadores em potencial suficiente para ocupar as vagas disponíveis. Por isso, é muito mais fácil encontrar um craque no Brasil do que em países de menor porte.

Mais clubes “grandes”

A maior parte dos países conta com no máximo quatro grandes clubes, que lutam pelo título nacional na maior parte das edições. O Brasil é um caso à parte, justamente por causa do seu futebol regionalizado. Temos 13 clubes considerados grandes (Internacional, Grêmio, Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Santos, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro, Atlético-MG e Bahia), além de outros com forte tradição, como Coritiba, Atlético-PR, Sport, Vitória e muitos outros. A cada ano, ao menos quatro dessas equipes entra forte para lutar pelo título brasileiro e até da Copa Libertadores da América.

Uma paixão nacional

Vários povos amam o futebol, mas também apreciam outros esportes. Nos Estados Unidos, por exemplo, a preferência se divide entre basquete, hóquei, beisebol e futebol americano. Na França, o futebol duela com o ciclismo. Mesmo na Argentina, cuja população é tão ou mais apaixonada pelo Esporte Bretão, ainda há espaço importante para o rúgbi. No Brasil, é difícil mesmo falar em “segundo esporte”, tal a distância entre o futebol e outras modalidades, como o vôlei. Aqui, as crianças crescem sonhando em jogar nos seus clubes de coração. E, assim, mais craques aparecem.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...