Mais
×

Cachorros: sinais e sintomas da doença inflamatória intestinal

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

A doença inflamatória intestinal (DII) (ou colite) em cachorros é bem comum. A causa para a maioria dos casos crônicos não é bem compreendida. Os sinais e sintomas podem ser confundidos com várias outras condições, como ações parasitárias ou alergias alimentares. Após o diagnóstico correto ter sido feito, a doença inflamatória intestinal é facilmente administrada.

A DII é bastante comum em cães, sendo muito confundida com outras doenças (Jupiterimages/PhotoObjects.net/Getty Images)

Características

A DII significa a inflamação das membranas mucosas do trato gastrointestinal. Se essa inflamação ocorrer no estômago ou no intestino delgado, o cão vomitará. Já no intestino grosso, ocorrerá a diarreia.

Sintomas da DII

Enquanto incidentes isolados de diarreia ou vômitos não trazem preocupação se o animal parecer normal, casos repetitivos requerem um exame feito pelo veterinário. Em situações mais severas, o cão fica com dor e nauseado, podendo até parar de comer ou parecer depressivo e letárgico.

Vômitos e diarreia crônica são debilitantes e podem causar a desidratação. Isso pode ser fatal em filhotes, uma vez que eles ficam cronicamente desidratados, levando a uma rápida falência de órgãos.

Cheque tal desidratação gentilmente beliscando a pele do animal entre as omoplatas. A pele deve voltar ao estado normal imediatamente. Um outro teste é sentir as gengivas: se estiverem grudentas e secas em vez de cobertas de saliva, ele provavelmente está desidratado e deve ir ao veterinário imediatamente.

Diagnóstico

Sempre que um cachorro tiver diarreia ou óbvios problemas de estômago, leve uma amostra fresca das fezes ao veterinário (não deixe passar de oito horas). Ele realizará testes sobre o crescimento de parasitas e bactérias. Essas são as causas mais comuns para diarreia e vômitos. Mesmo que a amostra fecal esteja normal, alguns organismos nem sempre se mostram visíveis. Dessa forma, a prescrição de um vermifugador e antibiótico acontecerá de qualquer forma.

Exames de sangue ainda podem ser feitos, de maneira a checar doenças glandulares, como a doença de Addison e a síndrome de Cushing, que possuem sintomas similares à DII.

Se o animal não responder ao tratamento básico e nenhuma outra causa tiver sido detectada, pressuponha que ele tenha a doença inflamatória intestinal. Nesse caso, seu veterinário deve sugerir uma prescrição para uma ração especial.

Dieta

É especulado que muitos cães que demonstram os sintomas da DII crônica podem ser intolerantes a proporções altas de grãos cozidos encontrados em rações mais comerciais. Esses animais não se darão bem nem mesmo com rações secas prescritas, uma vez que muitas têm como base os tais grãos.

Considere a troca por uma dieta caseira ou crua, ou por alimentos sem a presença desse ingrediente. Esses possuem uma alta concentração de carne e usam as batatas em substituição aos grãos. Essa opção está disponível em muitas lojas especializadas.

Nesse caso, cães que têm intolerância ou alergia a grãos apresentarão uma melhora quase que imediata. Uma simples troca de comida por uma semana o deixará ciente se a DII está relacionada às dietas com base em grãos.

Alternativas

Se você não achou outra causa, probióticos e enzimas digestivas podem ajudar. Eles são adquiridos em fórmulas específicas para cachorros, apesar de que as humanas funcionam tão bem quanto. Pergunte ao seu veterinário sobre esses suplementos.

Os probióticos são "boas" bactérias, que normalizam o trato gastrointestinal saudável. Se o cachorro estiver sob o efeito de antibióticos, elas serão esgotadas e os probióticos funcionarão como um reabastecimento.

Alguns cães possuem enzimas digestivas insuficientes para a digestão e absorção de alimentos apropriada. Acrescentar tais enzimas às refeições pode prevenir a diarreia e o vômito.

bibliography-icon icon for annotation tool Cite this Article