×
Loading ...

Cadeia alimentar no deserto

Atualizado em 19 julho, 2017

Um deserto pode parecer uma região estéril, com pouca vida e atividade. Porém, uma investigação mais aprofundada revela uma cadeia alimentar vibrante com uma variedade de adaptações que permitem a vida nessas condições rigorosas.

O ecossistema desértico contém mais vida do que parece (desert plants image by Carol Tomalty from Fotolia.com)

Cadeia alimentar

A cadeia alimentar em qualquer ecossistema é parecida com uma teia alimentar. Plantas e animais precisam de energia para sobreviver, energia que é obtida por meio de alimentos. Todo organismo consome um tipo diferente de alimento. Nós podemos dividir esses organismos em plantas, herbívoros e carnívoros.

Loading...

Plantas

As plantas são os primeiros organismos a produzir energia em um ambiente e são classificadas como produtores primários. Elas obtêm energia da luz solar e a convertem em carboidratos que são usados para o crescimento e manutenção das células; esse processo é chamado de fotossíntese. Elas são o alimento mais abundante em qualquer ecossistema. Por possuírem a energia necessária, não só para os organismos que se alimentam diretamente delas, mas também para os animais do topo da cadeia alimentar, elas devem ter um fornecimento abundante de energia em forma de carboidratos.

Em um ambiente desértico, produtores primários têm luz solar abundante para converter em energia; no entanto, fontes de água são escassas, reduzindo a taxa de fotossíntese. Isso limita a habilidade de crescimento e reprodução, e por essa razão, os desertos possuem menos plantas do que ecossistemas mais férteis como florestas tropicais.

Herbívoros

Um herbívoro é um animal que se alimenta de plantas. A energia obtida de uma planta é bem menor do que a quantidade de energia originalmente adquirida por ela. Entre 15 e 70% da energia alcançada por meio da luz solar é usada para a manutenção e respiração da planta, e os herbívoros obtêm o restante.

Devido ao fornecimento escasso de plantas, os desertos não suportam grandes populações de herbívoros. Terrenos áridos são os menos produtivos no quesito de crescimento de plantas e animais herbívoros. Roedores são muito comuns no deserto, pois seus corpos pequenos necessitam de menos energia.

Carnívoros

Os predadores de roedores e outros herbívoros são a terceira categoria da cadeia alimentar. Esses animais são chamados de carnívoros e obtêm uma quantidade ainda menor da energia que foi originalmente introduzida ao ecossistema por meio da fotossíntese. O animal que é consumido possui pelos, ossos e outros materiais não digestíveis que são inúteis para o carnívoro. Em média, o consumo de outro animal fornece ao carnívoro cerca de 5 a 20% da energia da presa. Os carnívoros que habitam o deserto incluem raposas, cobras e aves de rapina.

Adaptação

Os organismos precisam se adaptar para sobreviver em habitats severos como os desertos, onde a água é escassa e a temperatura do dia é muito alta. As plantas se adaptam aumentando a taxa de produção por unidade de água. A produção de carboidratos pelas plantas em ambientes onde a água é limitada crescerá cerca de 0,4 g por kg de água.

Animais se adaptam à alta temperatura e à baixa disponibilidade de água de várias maneiras, como hábitos noturnos. Além de menores, os carnívoros que habitam ecossistemas áridos necessitam de menos água do que aqueles que vivem em outros ambientes. Na escassez de água, animais como coiotes e raposas consumirão mais comida, retendo a água contida nela e utilizando baixas taxas de metabolismo para evitar uma maior perda durante a digestão.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...