Mais
×

Cães: qual a aparência das tênias?

As tênias são parasitas conhecidos por infestar o intestino delgado dos cães. O tipo mais comum pertence à espécie Dipylidium caninum. Segundo o veterinário Bari Spielman, as pulgas são hospedeiros intermediários e, dessa maneira, sob a suspeita da presença das tênias, é fundamental tratar tanto o animal afetado quanto o ambiente em que ele vive, prevenindo uma reinfestação. O reconhecimento das tênias é bem fácil, uma vez que os donos saibam como elas se parecem.

As pulgas são hospedeiras intermediárias das tênias (Ronja 5 image by Nadine Wendt from Fotolia.com)

Aparência

Segmentos de tênia cheios de ovos são o que os donos mais provavelmente veem. Eles lembram grãos de arroz ou sementes de gergelim e são mais comumente achados nas fezes ou ao redor da região anal. Alguns ainda são encontrados na cama onde o animal dorme. Tais segmentos são ativos, significando que eles podem ser vistos se movendo lentamente, quando aquecidos. Contudo, uma vez secos, eles param de se mexer e quebram, liberando os ovos que ali estão. De acordo com a veterinária Holly Nash, os segmentos ativos, normalmente, fazem com que o cachorro lamba a sua área anal ou arraste-a pelo chão.

Equívocos

Muitas vezes, os donos se referem aos segmentos com formato de arroz como se fossem os vermes propriamente ditos. Entretanto, a tênia em si é fixada na parede intestinal do cachorro, podendo alcançar 15 cm ou mais de comprimento. Uma vez que ela amadurece, os segmentos, conhecidos como proglótides, quebram-se e passam para as fezes. Segundo a Mar Vista Animal Medical Center, separados, tais segmentos viram entidades independentes equipadas com um sistema digestivo e trato reprodutor.

Considerações

Parasitas e vermes normalmente podem ser diagnosticados em cachorros através do simples envio de uma amostra fecal ao consultório veterinário. Contudo, no caso das tênias, a melhor forma de diagnóstico é com uma inspeção visual à região anal do cachorro e, também às fezes. Entretanto, os ovos de tênia não são, normalmente, liberados nas necessidades do animal. Dessa forma, os testes rotineiros feitos pelos veterinários terão dificuldade em detectá-los, de acordo com o Centers for Disease Control.

Identificação

É sempre bom que um veterinário veja os supostos segmentos, confirmando a sua presença. Eles podem ser coletados através do uso de um pedaço de fita crepe e posicionando-o contra o pelo, ao redor do reto. Os segmentos devem, facilmente, fixarem-se à fita. Uma vez coletados, são postos em um recipiente selado, para identificação. Segundo o veterinário N.J.Hayes, frequentemente, os segmentos de tênias são, erroneamente, confundidos com as larvas. Contudo, estas não são normalmente achadas em fezes frescas.

Tratamento

Uma vez a presença da tênia confirmada, o próximo passo é dar início ao tratamento apropriado. Um dos vermífugos mais comuns prescritos para cães é o Droncit, nome comercial para o praziquantel. Segundo o site vetinfo.com, os donos não devem esperar que as tênias sejam expelidas nas fezes, já que o medicamento trabalha através da eliminação da resistência do verme a ser digerido. Entretanto, a tênia é dissolvida e processada pelo sistema digestivo, como qualquer outro alimento.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article