Caixas de plástico para compostagem

Escrito por jack s. waverly | Traduzido por daniel tamayo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Caixas de plástico para compostagem
Compostagem com minhocas (Steve Baccon/Digital Vision/Getty Images)

Caixas de plástico são usadas em um processo de compostagem chamado vermicultura, que é um método fácil para criar um processo auto-sustentável, com ciclo de um ano. Usar caixas de plástico permite fazer compostagem no interior e no exterior das casas. As minhocas são usadas como "trabalhadores" que alimentam-se do material e transforma o resíduo produzido em um composto útil.

Outras pessoas estão lendo

Recipientes ideais

Caixas de plástico são usadas em compostagem por conta de sua durabilidade. Procure por recipientes de plástico rígido com 56 litros, de alta qualidade e paredes espessas. Compre duas caixas com tampa. A ideia é fazer um conjunto de caixas que, além de mover, você possa coletar o material "virando" as mesmas.

Montagem

As duas caixas devem ter buracos furados na tampa e no fundo. Os buracos da base servem como drenagem. Os buracos na tampa permitem o fluxo de ar. Cada conjunto de buraco é colocado a 1 cm de distância das bordas, num total de 8 a 10 buracos em cada. Coloque uma forma de metal embaixo da caixa, que deixe uma borda de 2,5 cm para pegar a drenagem da compostagem. Coloque uma das caixas diretamente acima da forma; armazene a outra caixa embaixo da mesa.

Fazendo o leito

O leito para as minhocas pode ser uma mistura de material, como jornal picado, palha e grama. Faça uma camada de leito no fundo da caixa e acrescente uma camada de 5 cm de solo sobre o leito. Umedeça-o e deixe-o descansar pela noite. Esse será o habitat das minhocas.

Compostagem

Uma vez que o leito esteja pronto, coloque as minhocas. A minhoca vermelha é a mais recomendada para a vermicultura. Isso porque elas vivem enterradas no material e aproveitam a matéria orgânica para formar o composto final. Elas devem ser espalhadas de maneira homogênea sobre o leito para que todas possam se alimentar. Coloque uma tampa sobre a caixa e deixe uma luz acessa para evitar que as minhocas saiam. Comece a acrescentar material orgânico no dia seguinte, e a cada dia depois. Restos da cozinha, vegetais, pó de café, miolo de maça e pera; além de grama cortada, plantas mortas, ervas daninhas e flores são ótimos materiais para compostagem. Certifique-se que as plantas e ervas não irão se enraizar na caixa, evite ter algo crescendo lá dentro. Os materiais orgânicos verdes acrescentam nitrogênio ao composto. Mantenha a proporção entre materiais verdes e materiais marrons o mais igual possível. Também mantenha a razão de três vezes mais material seco do que úmido.

Virando

Encha a caixa até o topo. Quando ela estiver cheia, estará pronta para ser virada. Posicione a caixa na mesa de forma que a segunda caixa também caiba. Tenha cuidado ao movimentar, pois ela está cheia de líquido por baixo. Retire todo o líquido da caixa antes. Com duas pessoas, transfira os conteúdos da caixa cheia para a vazia, jogando de uma para outra. As minhocas ficarão no topo do material da nova caixa. Cubra-a e coloque uma luz brilhante sobre ela para fazer as minhocas irem para o fundo, isso pode demorar um dia inteiro. Passe o líquido da forma para um balde. Esse líquido é rico em nutrientes e pode ser utilizado como fertilizando, através de um spray. Coloque um funil em uma garrafa com spray e passe o líquido para ela. Substitua a caixa antiga pela nova na forma. No dia seguinte, retire o material decomposto e armazene em sacos. Recoloque a tampa na caixa e recomece o processo de compostagem. Essa virada cria um processo auto-sustentável contínuo.

Limitações

Dois problemas devem ser considerados na vermicultura: limitações de tamanho e temperatura. Se você quiser fazer grandes quantidades de composto, vai precisar de várias caixas para manter a mesma quantidade de material de uma pilha de compostagem. Deve-se manter as temperaturas entre 12 e 26°C para diminuir a perda de umidade na colônia de minhocas. Fora desses limites, as minhocas irão ressecar e morrer, ou tentar sair da caixa.

Controle da umidade

Há uma variedade de problemas que podem retardar o processo de compostagem, tais como controle de umidade, odor, moscas de fruta e um decréscimo da população de minhocas. Os três últimos podem estar ligados com o primeiro. O excesso de umidade ocorre por ter muito material úmido, ou buracos de drenagem bloqueados. Remova toda a água com uma pipeta. Desobstrua qualquer buraco com uma chave Philips. Remova comida em decomposição. Substitua o leito saturado por jornal picado. Pare de alimentar as minhocas por sete dias. Aos poucos, comece a acrescentar pequenas quantidades de material orgânico. Se a comida continua a apodrecer, coloque mais minhocas para manter o nível de material orgânico baixo. Use um ancinho de mão para revirar o material, para aerar. As minhocas podem sufocar e se afogar em material saturado. Isole a caixa de vibrações; ou as minhocas irão se mover para locais mais estáveis.

Controle de pestes

Se você encontrar vermes mortos, remova-os e coloque uma armadilha para formigas. Depois de alguns dias, retire a armadilha e as formigas mortas. Frutas apodrecidas podem atrair moscas também. Enterre os materiais não compostos embaixo do leito. Coloque papelão sobre o leito, com as minhocas embaixo. Encha um copo plástico com quantidades iguais de cidra de maçã, vinagre e sabão. Cubra o copo com filme plástico e coloque um elástico para mantê-lo preso. Faça furos no plástico em cima do copo. Coloque o copo no papelão para prender as moscas. Não alimente as minhocas por sete dias.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível