Que tipo de câncer de mama que está associado à secreção mamilar?

Escrito por michele martinez | Traduzido por fabiana silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Que tipo de câncer de mama que está associado à secreção mamilar?
Um mamilo com secreção nem sempre sinaliza uma doença (Wikimedia Commons.org)

Quando os profissionais médicos se referem à secreção mamilar, estão se referindo ao vazamento de fluido dos seios de uma mulher não lactante. Isso nem sempre significa câncer. De acordo com um estudo feito pelo The Royal College of Surgeons, na Inglaterra, e mencionado no site do Annals on the National Institute of Health (Anais do Instituto Nacional de Saúde, em tradução livre), "um mamilo que apresenta secreção não indica, por si só, a presença de câncer de mama". A doença normalmente é acompanhada de uma massa, que é detectada através de um exame de mamografia. No entanto, existe um tipo de câncer de mama associado à secreção mamilar.

Outras pessoas estão lendo

CDIS

Quando o crescimento celular fica anormal e invade os dutos mamários, ocorre a formação de um câncer chamado de carcinoma ductal in situ (CDIS). Embora esse tipo de lesão não seja maligna, ela deve ser tratada, caso contrário, se desenvolverá em câncer de mama.

Características

O líquido da secreção mamilar pode ter vários aspectos. Ele pode ser parecido com leite, ter a cor verde, amarela e marrom e vir acompanhado com sangue. A textura do líquido pode ser aquosa e fina ou viscoso e espesso.

Sintomas

Além da secreção mamilar, a mulher pode não ter outros sintomas para informá-la do desenvolvimento de um câncer. Geralmente, a única maneira de detecção é através de uma mamografia de rotina. Nesse exame, o médico pode detectar depósitos de cálcio, que indicam a presença do tumor ou o seu desenvolvimento.

Causas

A causa exata desse tipo de câncer não é conhecida. No entanto, os pesquisadores estão estudando se seu surgimento está associado com o meio ambiente, com os hormônios ou com o envolvimento genético. Os fatores de risco incluem histórico de câncer de mama na família, gravidez após os 30 anos ou ausência de gravidez e a idade da mulher.

Cuidados médicos

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), após os 40 anos de idade, as mulheres devem realizar exames de mamografia a cada dois anos. Antes disso, os exames deverão ser realizados anualmente, caso estejam no grupo de risco. Além dessas avaliações de rotina, as mulheres devem realizar regularmente o exame das mamas e relatar ao médico caso percebam alguma alteração.

Lendo a mamografia

Os radiologistas, ao interpretar os exames de mamografia, buscam por pontos brancos e sombras nas imagens. Caso encontrem alguma alteração, uma biópsia da área será solicitada para avaliações adicionais. O procedimento escolhido pode variar desde por agulha grossa, estereotaxia e ciúrgico.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível