Mais
×

As capitais mundiais das drogas

As capitais mundiais das drogas
Getty Images

Introdução

Dizem que o dinheiro é a raiz de todos os males. Com o tráfico de drogas arrecadando cerca de R$ 750 milhões por ano e respondendo por quase 1% do PIB mundial, a conexão entre dinheiro e maldade não é difícil de fazer. A cocaína está 74% mais barata do que há 30 anos, levando a um consenso nos grupos de reflexão e de forças de segurança de que a chamada "guerra" contra as drogas praticamente não fez nem um arranhão no tráfico. Há, certamente, cidades em que há uma explosão do tráfico de drogas, sem falar em índices de assassinato, tráfico humano e crimes que geralmente andam juntos.

Amsterdã
Michael Blann/Digital Vision/Getty Images

Amsterdã, Holanda

Quando se trata de "turismo de drogas", a Holanda domina o mercado. Recentemente, o governo reclassificou algumas substâncias e fechou "coffee shops" em uma tentativa de se afastar do "turismo de drogas" que eles atraem. Mas a conexão histórica da cidade com o comércio de entorpecentes significa que traficantes adotaram o lugar como lar e usam o dinheiro para operar esquemas de tráfico humano.

Tráfico
Getty Images

Glasgow, Reino Unido

Quando se trata de consumo de drogas, a Grã-Bretanha lidera a lista de países europeus. Um relatório da agência de drogas da União Europeia aponta que o abuso de drogas classe A entre os britânicos era o mais alto do que o de qualquer outro país, e o Centro Europeu de Drogas e Dependência (EMCDDA) descobriu que 9,3% das pessoas entre 16-59 anos já usaram drogas ilícitas na Escócia.

Quase dois milhões de pessoas usam heroína na Rússia
Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Moscou, Rússia

A Rússia e a Europa Ocidental importam mais da metade do suprimento de heroína do mundo. Segundo estimativas, a Rússia tem 1,8 milhões de usuários de heroína e um crescente problema de HIV por conta do compartilhamento de seringas.

Medioimages/Photodisc/Photodisc/Getty Images

Estados Unidos

Normalmente, o consumo e a produção de drogas podem ser divididos nas mesmas linhas dos países desenvolvidos e em desenvolvimento. Liderando o mundo no consumo de drogas está o mercado estadunidense para os cartéis mexicanos. O consumo nos EUA diminuiu nos últimos anos, o que alguns analistas dizem ter levado a um aumento da violência entre os cartéis, que disputam o mercado em processo de encolhimento.

O Marrocos é um dos principais produtores de cannabis
Tom Brakefield/Stockbyte/Getty Images

Marrakech, Marrocos

Cannabis é a droga mais amplamente usada no mundo, e o Marrocos é um de seus principais produtores. Sua posição geográfica também se presta bem ao mercado europeu, com drogas sendo contrabandeadas do norte da África para Espanha e Itália. O tráfico de cannabis, no entanto, está se enfraquecendo graças ao aumento do cultivo caseiro da planta. Gangues vietnamitas operam fábricas de cannabis no Reino Unido e controlam 75% do mercado.

A Colômbia segue sendo a maior produtora mundial de coca
NA/AbleStock.com/Getty Images

Bogotá, Colômbia

Apesar de a produção de coca ter caído cerca de 28% e de haver conversações de paz entre o governo e as FARCs, a Colômbia permanece o maior exportador de cocaína do mundo. Enquanto a produção diminui em um país, cresce em outro. Um relatório recente do Escritório para Drogas e Crime das Nações Unidas (UNODC) mostrou que a produção de coca saltou 38% no Peru e 112% na Bolívia.

Túneis de cartéis mexicanos para chegar aos EUA
Sandy Huffaker/Getty Images News/Getty Images

Ciudad Juarez, México

Crimes violentos e homicídios são ocorrências diárias nas cidades fronteiriças entre EUA e México, onde os cartéis fazem cerca de R$ 31,5 bilhões por ano com tráfico de drogas. As autoridades regularmente descobrem complexas redes de túneis subterrâneos (foto) que os cartéis usam para enviar drogas para o mercado estadunidense e trazer de volta armas que alimentam uma guerra sem fim.

Papoulas são a matéria-prima do ópio
Paula Bronstein/Getty Images News/Getty Images

Burma

O UNODC listou Burma como o segundo maior produtor de ópio do mundo, responsável por 25% da produção. A ONU descobriu que as terras de fazendas usadas para plantar papoulas cresceram 17% em 2012. A explosão da produção está diretamente relacionada ao enorme aumento do uso de heroína na Ásia.

Ópio tornou-se uma fonte de renda para afegãos
John Moore/Getty Images News/Getty Images

Cabul, Afeganistão

O país devastado produz 90% da heroína do mundo, o que significa cerca de sete mil toneladas métricas. O ópio é uma imensa fonte de dinheiro para os fazendeiros pobres e as tropas estadunidenses supostamente fazem vistas grossas para a produção da substância, como forma de ganhar "corações e mentes" para a guerra contra o terror. Mesmo se decidissem queimar os campos de ópio, a ONU estima que há um estoque suficiente para suprir a demanda pelos próximos 25 anos.