on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

As causas da depressão e os melhores tratamentos

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV, na sigla em inglês), a depressão se caracteriza por sentimento permanente de tristeza e perda de interesse nas atividades diárias durante um período de pelo menos duas semanas. Costumam estar presentes, além disso, alterações de apetite e peso (o deprimido engorda ou emagrece muito), alterações do sono (sono em excesso ou insônia), fadiga e cansaço, sentimentos de culpa e falta de valor próprio. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a principal característica da depressão não é a tristeza, mas o desânimo. Segundo o escritor Andrew Solomon, que escreveu o livro "O demônio do meio-dia", a respeito da sua longa história de depressão, "o oposto de depressão não é felicidade, mas sim vitalidade".

Um dos principais sintomas da depressão é o desânimo (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

Causas

A depressão, como a maioria dos problemas psicológicos, não tem causas completamente conhecidas. Provavelmente, há várias fatores que interferem no seu surgimento e que variam de pessoa para pessoa. Algumas das hipóteses consideradas pelo cientistas são as seguintes: 1) A existência de desequilíbrios químicos no cérebro que afetam a absorção da serotonina e da dopamina, substâncias responsáveis, entre outras funções, pelas sensações de prazer, felicidade e vitalidade; 2) problemas hormonais, como hipotiroidismo, hipertiroidismo e menopausa; 3) predisposição genética; 4) história de vida traumática ou acontecimentos negativos recentes, como problemas financeiros ou a morte de um ente querido.

Loading...

Prevalência

Há muito tempo, a depressão vem aumentando em todo o mundo e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2030 ela será a doença mais comum do planeta, à frente do câncer. Segundo a revista BMC Medicine, 121 milhões de pessoas estão deprimidas no mundo. Entre os países em desenvolvimento, aquele com o maior número absoluto de deprimidos é o Brasil, com 18 milhões.

Tratamentos medicamentosos

Assim como existem muitas causas para a depressão, existem também muitos tratamentos. Os dois principais consistem no uso de medicamentos antidepressivos e na realização de terapia ou, em boa parte dos casos, na combinação dos dois.

Os medicamentos procuram atacar o desequilíbrio químico no cérebro que se supõe que seja uma das causas da depressão. Dessa forma, a principal categoria desses remédios são os inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRSs), como o Prozac, que aumentam a disponibilidade de serotonina no cérebro. No entanto, esses medicamentos podem ter severos efeitos colaterais -- os mais comuns são sonolência e perda do desejo sexual -- e pode levar de semanas a meses até que o paciente se adapte a um deles. Se o paciente não se adaptar a nenhum ISRS, o médico pode receitar o Wellbutrin (bupropiona), que é um inibidor seletivo da recaptação de dopamina e não causa nem sonolência nem problemas sexuais. No entanto, ele pode causar agitação, insônia e convulsões.

Embora o uso de medicamentos seja a forma mais comum de tratamento da depressão, inúmeros estudos científicos têm apontado que a eficiência deles é, em geral, bastante baixa.

Tratamentos terapêuticos

O tratamento mais eficiente da depressão é a terapia. Há centenas de tipos e abordagens terapêuticas, como a psicanálise, a psicologia humanista e a abordagem Gestalt. No entanto, o que parece ser a abordagem mais eficiente, de acordo com estudos, além de ser a mais usada no mundo e a recomendada pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, é a terapia cognitivo-comportamental (TCC). De acordo com essa linha, a depressão é causada por padrões de pensamento negativos, disfuncionais e irracionais do paciente, assim como por crenças enganosas a respeito de si mesmo. Por exemplo, o deprimido normalmente acredita que é sem valor e a vida não vale a pena. Esses padrões resultam, por sua vez, em padrões de comportamento disfuncionais, como o isolamento. Assim, por meio de tarefas, deveres de casa e exercícios, o terapeuta ajuda o paciente a examinar e corrigir seus pensamentos, processo chamado de reestruturação cognitiva, e a alterar seu comportamento com relação a problemas específicos (por exemplo, a tendência a isolar-se), processo chamado de ativação comportamental.

Outros tratamentos

Há centenas de tratamentos disponíveis para a depressão, com maior ou menor eficácia. A tendência recente é adotar uma combinação deles. Alguns deles são: biofeedback, musicoterapia, exercícios físicos, meditação e mudanças na alimentação.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...