Causas de falhas nos rins em dálmatas

Escrito por jean rabe | Traduzido por alexandre lima
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Causas de falhas nos rins em dálmatas
Falhas nos rins é uma causa de morte de dálmatas (dalmation safe. image by mdb from Fotolia.com)

Os rins de um dálmata pesam cerca de 220 g e controlam o equilíbrio dos eletrólitos, da água, e dos ácidos. Eles ajudam a regular a pressão sanguínea e o metabolismo. Em um dálmata de tamanho médio, os rins filtram cerca de 750 L de sangue por dia. Doenças ou falhas nos ruins podem causar a morte desses animais. Problemas nesse órgão geralmente decorrem de infecções, que podem ser causadas pela ingestão de algo tóxico, doenças hereditárias ou velhice. Quando os rins falham, os resíduos que ele deveria filtrar se acumulam no sangue, comprometendo a saúde do cão.

Sintômas

Os dálmatas podem perder até três quartos do funcionamento dos rins antes que os sintomas apareçam. Esses sintomas podem ser: Aumento na sede e na frequência da micção (apesar de a produção de urina ser pouca), perda de peso, sangramentos e hematomas, desidratação, fraqueza e letargia, perda de apetite, vômitos e postura rígida das patas. Danos renais são geralmente progressivos. Doenças renais agudas podem ser tratadas e os cães podem se recuperar totalmente delas. No entanto, a insuficiência renal crônica não pode ser revertida e os rins danificados não podem ser recuperados, embora possam continuar a funcionar. Uma mudança na dieta e medicamentos podem retardar o avanço da doença, que quanto mais cedo for diagnosticada, maior será a chance de o animal ter uma vida normal. Qualquer medida que ajude a prevenir a doença, que adie sua ocorrência ou retarde sua progressão vai ajudar o cão a viver por mais tempo.

Pedras nos rins

Minerais ou sais minerais em excesso na dieta de um dálmata podem causar pedras nos rins ou cálculos na bexiga. Essa raça é propensa a ter pedra nos rins, que são feitas de pedras de amônia e ácido úrico. As fêmeas têm mais tendência a desenvolvê-las. Se o seu cachorro aparenta sentir dor ao urinar, esse é um sintoma, assim como sangue na urina. Se essas pedras não forem tratadas, a bexiga pode ficar cheia e eventualmente estourar. Os veterinários indicam dietas e medicamentos específicos para ajudar a dissolver as pedras, mas em alguns casos, uma cirurgia é necessária. Exames de sangue e urina podem ajudar os veterinários a diagnosticar problemas nos rins.

Causas de falhas nos rins em dálmatas
Dálmatas, especialmente as fêmeas, têm tendência a desenvolver pedras nos rins (Dalmatian chewing image by Kevkel from Fotolia.com)

Tratamento

O tratamento pode incluir hospitalização e medicamentos na veia, se o caso for grave. Caso contrário, é indicada uma dieta com poucas proteínas e minerais, e medicamentos serão prescritos. O cão pode apresentar pressão arterial elevada, que é uma complicação decorrente dos problemas renais, por isso, ele pode precisar de medicamentos e monitoramento adicionais. Rações especiais, que restringem sódio, proteínas e fósforo, podem ser encontradas em pet shops ou comprados de veterinários, mas algumas rações estão disponíveis apenas com prescrição. Elas são projetadas para reduzir a produção de elementos tóxicos pelo cão pois eles forçam os rins. Além disso, o cão deve beber muita água para evitar a desidratação, que também afeta os rins.

Monitore a comida do dálmata de modo a evitar alimentos tóxicos que possam causar problemas renais. Leve ele para fazer check-ups regulares e colher amostras de sangue para o monitoramento da função renal. Algumas doenças que atingem os cães podem contribuir para o aparecimento de problemas renais, então elas devem ser tratadas logo. Por exemplo, a leptospirose pode danificar os rins, mas existem várias vacinas para preveni-la. A utilização de prolongada de alguns medicamentos, como os antibióticos, pode causar danos renais. Produtos domésticos também são um risco, especialmente anticongelantes, que são geralmente fatais. Alimentar um animal que tenha 7 anos ou mais com ração própria para cães mais velhos pode ajudar a prevenir o excesso de proteínas, que causa a doença. Evitar que o animal tenha parasitas também ajuda, pois lombrigas, vermes e tênias podem levar à insuficiência renal.

Transplante de rins

Visto como um último esforço para salvar o cão, um transplante de rins é caro, porém eficaz. O cão vai tomar medicamentos imunossupressores pelo resto de sua vida, e eles ão caros. A ciclosporina, utilizada em transplantes de órgãos humanos, é geralmente prescrita, juntamente com prednisona, no começo do tratamento. A azatioprina, um medicamento de quimioterapia, também pode ser receitado. Exames de sangue periódicos vão determinar se o novo rim está funcionando bem e se a dosagem dos medicamentos está correta. O uso prolongado de ciclosporina aumenta o risco de câncer. O custo dos medicamentos imunossupressores varia de R$ 300,00 reais 4000,00 por mês, dependendo do cão.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível