O que um cavalo deve ter para ser um cremello?

Escrito por charmaine jens | Traduzido por paula sandes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que um cavalo deve ter para ser um cremello?
Os potros cremellos nascem com pelagem dourada a parda, mas ela clareia a medida que amadurecem (Ryan McVay/Lifesize/Getty Images)

O cavalo cremello não é uma raça à parte, mas sim um quarto de milha de uma cor diferente. O nome ''cremello'' é dado simplesmente por conta da cor de sua pelagem, da pele e dos olhos. A Associação Educacional de Cremello e Perlino, juntamente com veterinários e faculdades de medicina veterinária, definiram essa classe como um cavalo com pelagem cor de creme, crina e cauda brancas, olhos azuis e pele rosada, com pernas que possuem um tom mais escuro que o restante do corpo.

Características

É importante notar que os cremellos não são brancos ou ''brancos letais''. Um ''branco letal'' é conferido por um gene responsável pela condição chamada Síndrome Letal do Potro Branco. Essa síndrome é fatal e todos os potros nascidos com esse gene desenvolvem cólicas e morrem por não conseguirem eliminar suas fezes. A pelagem de um cremello se assemelha à de outros, que abrangem dourados claros ou branco pálido. Os fatores de distinção são a pele e os olhos. Se um cavalo não apresentar pele rosada e olhos azuis, não é um cremello.

Gene creme

Todo cavalo possui duas partes do genoma que diferenciam a cor da pelagem, chamadas de "genes creme". Elas determinam a cor base desses animais e a apresentação de tons, dependendo do número de genes presentes. O alazão, o baio e os cavalos pretos possuem cores bases e carência de genes creme. Os amarelos, palominos e os pretos fumegantes possuem um gene creme e sua cor é conhecida como diluída. Os cremellos, perlinos e cremes fumegantes possuem dois genes creme e suas cores são conhecidas como de "diluição dupla". A coloração cremello é composta por dois genes creme e a pelagem base do alazão vermelho.

Erros conceituais

Há muitas concepções erradas relacionadas aos cavalos cremellos, como a ideia de que são albinos, de que se queimam facilmente ou de que são propensos a ter câncer de pele. O gene creme com dupla diluição faz com que a pelagem seja mais clara, mas não remove a melanina. Pelos, pele e olhos possuem pigmentos. As pesquisas não foram capazes de encontrar genes para o albinismo em equinos. Embora a pele rosada dos cavalos cremellos possa fazer com que se queimem mais, é sabido que as queimaduras neles são menos frequentes do que nos animais com grandes áreas brancas no corpo. De acordo com a CPEA, pesquisas sobre câncer de pele em equinos são mais associadas aos appaloosas, cavalos cinzas e raças misturadas, mas não há dados que sugiram que os quartos de milhas cremellos sejam pré-dispostos a ter câncer de pele.

Registro e popularidade

No passado, a Associação Americana do Quarto de Milha reconhecia os cremellos somente como cruzamentos nos registros da APHA. Eles eram negados pela AQHA e eram muito rejeitados pela indústria dos quartos de milhas. Contudo, por conta dos estudos e campanhas feitas pela CPEA, a AQHA começou a reconhecê-los pela ''dupla diluição'' como animais de puro-sangue em 2003. Por causa dos esforços, o quarto milha cremello está se tornando aceito entre criadores e autoridades.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível