Chás de ervas que causam contrações no útero

Escrito por pedro santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Chás de ervas que causam contrações no útero
Justamente por estimular contrações uterinas, alguns chás não são indicados para mulheres gestantes (George Doyle/Stockbyte/Getty Images)

Diz a sabedoria geral que chás de ervas podem ser bons aliados na hora de estimular as contrações do parto. Tudo porque alguns princípios ativos presentes nas ervas dos chás ajudam a causar contrações no útero feminino. Mas o contrário também é verdadeiro. É importante destacar que durante o período de gravidez, o corpo da mulher fica mais sensível. Sendo assim, é importante sempre ter acompanhamento nutricional de um médico para que nenhuma bebida ou alimento atrapalhe o processo de desenvolvimento do bebê. Ervas aromáticas, por exemplo, assim como algumas plantas medicinais, devem ser evitadas nas primeiras semanas de gravidez para não prejudicar o desenvolvimento inicial do feto. Outras substâncias, entretanto, podem ajudar a relaxar as contrações.

Outras pessoas estão lendo

Chá de carqueja

Há muitos anos, os chás de ervas são usados como medicamentos em uma série de culturas. No Brasil, a bebida é regulada como alimento e não remédio. Ainda assim, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regula alguns tipos de plantas medicinais que são consumidas em forma de chá. Uma delas é a carqueja. O chá de carqueja é indicado para aliviar problemas gástricos e digestivos. As propriedades da planta estimulam a digestão. No entanto, esse chá é contra-indicado para mulheres grávidas em todos os estágios de gestação porque a carqueja estimula contrações uterinas que podem, inclusive, levar ao aborto.

Chá de canela

Quando preparados em forma de chá, as substâncias presentes na planta mantêm suas características químicas. Por essa razão, esses elementos agem em nosso organismo de forma parecida com os princípios presentes em medicamentos extraídos da mesma planta. É o que acontece com o chá de canela, cuja planta também é utilizada para a confecção de medicamentos. Em forma de chá, a canela estimula a musculatura do útero da mulher, que passa a sofrer contrações intensas. Outros produtos feitos à base de canela, desde que não mantenham os princípios ativos medicinais da planta, não fazem mal à mulher gestante. Ainda assim, é aconselhável consultar o obstetra.

Chá de cravo-da-índia

O chá de cravo-da-índia é responsável por uma série de benefícios em nosso organismo. O princípio ativo da planta medicinal é usado em forma de chá para estimular o sistema digestivo, combater doenças bacterianas e aliviar dores e inflamações. Mas definitivamente não é indicado para mulheres gestantes, principalmente quando próximas do trabalho de parto. Isso porque as contrações uterinas causadas pela erva são bastante intensas. Apesar de estimular as contrações, o chá de cravo-da-índia não ajuda a dilatar o colo uterino. Isso faz com que a mulher tenha dores intensas antes do parto.

Chá de camomila

Já a camomila é uma espécie de chá benéfica à saúde desde que ingerida de forma controlada. Pesquisadores ingleses descobriram que as propriedades químicas presentes no princípio ativo da camomila contribuem para limpar o organismo como um todo e combater infecções diversas. No caso das mulheres gestantes, a camomila atua para aumentar os níveis de glicina, um aminoácido que alivia espasmos nos músculos do corpo. Essa característica explica a eficiência do chá na hora de relaxar o músculo uterino. No entanto, é bom não abusar do chá, já que níveis altos de cafeína não são indicados para mulheres grávidas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível