O ciclo de vida da Ancylostoma Braziliense

Escrito por frank whittemore | Traduzido por marcelo couto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O ciclo de vida da Ancylostoma Braziliense
As larvas entram no hospedeiro através da pele (Feet image by patty2210 from Fotolia.com)

O ancylostoma braziliense é uma espécie de ancilóstomo parasita que infeta a pele e o trato intestinal de hospedeiros definitivos como cães e gatos. Embora humanos também possam ser infectados, são hospedeiros indefinitivos. Ancilóstomos se alimentam de sangue e podem causar perda crônica de sangue e anemia. O ancylostoma braziliense infeta seu hospedeiro quando um cão, gato ou ser humano entra em contato com o solo contaminado.

Outras pessoas estão lendo

Estágio de ovo

Inicialmente, os ovos dos vermes passam através do trato intestinal do hospedeiro e são eliminados do corpo pelas fezes. Dentro de dois dias, os ovos eclodem no solo quente e úmido. A larva continua vivendo no solo por mais de 30 dias, esperando um contato com o hospedeiro.

Estágio larval raditiforme

Após os ovos eclodirem, as larvas crescem e trocam de pele duas vezes. Os ancilóstomos, nessa primeira fase do estágio larval, são conhecidos como larvas raditiforme. Elas vivem em fezes ou solos contaminados.

Estágio filarióide

Depois de fazerem a muda pela última vez, as larvas entram no estágio filarióide, durante o qual são consideradas contagiosas. As larvas filarióides podem viver mais de um mês no solo. Quando um hospedeiro entra em contato com o solo contaminado, elas penetram através da pele e se movem pelo sistema circulatório onde são levadas até os pulmões. Os hospedeiros podem ser definitivos, que fornecem um ambiente para o ciclo de vida completo do parasita, começando e terminando no trato intestinal ou podem ser indefinitivos, onde as larvas ficam presas na pele, incapazes de se reproduzir. Também conhecida como "erupção assustadora", as larvas não podem amadurecer e andam sem direção dentro do tecido cutâneo. Algumas acabam entrando mais fundo no tecido depois de migrarem pela pele. A transmissão para um hospedeiro mais jovem pode acontecer através das glândulas mamárias. No hospedeiro definitivo, algumas larvas saem pelos pulmões, entram nos alvéolos e viajam até a árvore traqueobrônquica. Eventualmente, o hospedeiro tosse e acaba engolindo-as. Elas passam através do trato digestivo para o intestino delgado, onde atingirão o estágio adulto.

Estágio adulto

No hospedeiro definitivo, o ancilóstomo adulto se prende à parede do intestino delgado, se alimenta de sangue e se reproduz. As fêmeas depositam os ovos no trato intestinal para repetir o ciclo de vida. As larvas adultas podem viver por mas de 2 anos no intestino do hospedeiro.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico pode ser feito através da procura de ovos em uma amostra recente de fezes. Exames sanguíneos para anemia e deficiências nutricionais, particularmente ferro, pode ajudar no diagnóstico da doença. Drogas anti-parasitas como albendazol são usadas no tratamento da infecção.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível