O ciclo de vida de um parasita

Escrito por tami parrington | Traduzido por andressa ferrari arevalo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O ciclo de vida de um parasita
Esquematização do ciclo de vida de um parasita (wikimedia commons)

Existem muitos tipos de parasitas, e cada um possui variações em seu ciclo de vida, porém, também há similaridades entre eles. Uma característica comum entre todos os parasitas é que eles são organismos oportunistas que vivem do sangue ou de nutrientes de outros organismos vivos. Os parasitas são perigosos por duas razões. A primeira é que eles conseguem se infiltrar no organismo do hospedeiro de uma maneira tal que consomem todos os nutrientes do corpo, obstruem vasos ou órgãos chegando a matar o hospedeiro, e a outra é que eles podem transmitir doenças fatais ao organismo do hospedeiro.

Outras pessoas estão lendo

Tipos de ciclos de vida parasitária

Há dois tipos principais de ciclo de vida parasitária: direto e indireto. O ciclo de vida parasitária direto pode reinfectar o mesmo tipo de hospedeiro de onde se iniciou. Por exemplo, um verme-gancho pode atacar o intestino de um cão, e depois as larvas do mesmo verme podem infestar o mesmo cão. Parasitas indiretos requerem tipos diferentes de hospedeiros para os diversos estágios do seu ciclo de vida.

Hospedeiros

O hospedeiro é o organismo que dá ao parasita "uma carona". Os parasitas infectam outros organismo de duas formas: através da ingestão e da injeção. Ingestão ocorre quando um alimento ou outra matéria contendo ovos ou larvas do parasita é comido ou inalado. O parasita então se fixa no hospedeiro ou se move pelo sistema até chegar na área alvo (coração, pulmões, estômago, intestinos, etc.) e se fixa nela. A injeção ocorre quando um hospedeiro diferente morde um novo organismo e transfere parasitas, via saliva, para o novo hospedeiro.

Hospedeiros incomuns

Hospedeiros acidentais são organismos que podem entrar em contato acidentalmente com um parasita, mas que não consegue completar seu ciclo de vida nele. Uma pulga pode pular em um humano e picá-lo, mas ela não infesta seres humanos e não pode completar seu ciclo de vida ali.

Similaridades e diferenças entre os ciclos de vida

Dos milhares tipos de parasitas que existem hoje, há dois estágios da vida onde eles se diferem no desenvolvimento: o estágio larval e o estágio de pupa. Entretanto, todos eles possuem similaridades no padrão que consiste o ciclo de todos os parasitas: ovo, larva, pupa e adulto.

Tipos de parasitas

Parasitas periódicos são aqueles que vivem apenas parte do seu ciclo de vida em um ou mais hospedeiros. Durante uma parte do ciclo de vida desses parasitas, eles vivem por conta própria. Esse é o caso da pulga que realiza postura dos seus ovos em um tapete e depois eles saem do ovo para pular em um hospedeiro que passar por perto.

Um verme-gancho inicia sua vida como um ovo eliminado com as fezes de um animal e que é inalado ou ingesto por outro animal para que ele se choque dentro dele. Um verme-gancho é um parasita obrigatório que deve viver em um hospedeiro o tempo todo.

Finalmente, há um tipo de parasita que consegue viver sua vida toda por conta própria sem nenhum hospedeiro, mas se um hospedeiro passar por perto, o parasita vai se aproveitar da situação e se fixar ao hospedeiro, vivendo dos nutrientes ali. Isso é chamado de parasita facultativo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível