×
Loading ...

As cidades históricas do Brasil que você precisa conhecer

Fábio Mendes

Introdução

Colonizado pelos portugueses em 1532, o Brasil é muito jovem, com pouco mais de 500 anos. Mesmo assim, algumas cidades conseguiram reunir um importante tesouro histórico e arquitetônico, seja em edifícios civis, como palácios e casas de Câmara e Cadeia, ou religiosos, como igrejas, catedrais, mosteiros e conventos. Nos primórdios da colonização e nos ciclos do ouro e pedras preciosas, ocorreu a fundação da maior parte desses municípios. Eles cresceram graças a períodos de riqueza e mantiveram suas antigas construções no período de decadência, que estancou o crescimento. Conheça as mais importantes cidades históricas do País, que você precisa conhecer.

Divulgação

Petrópolis - RJ

Petrópolis era apenas uma cidade perdida na serra fluminense quando foi descoberta por D. Pedro 2º, ainda jovem e recém empossado como imperador. Imediatamente, ele se encantou pelo local, graças à natureza exuberante e ao clima ameno. Construiu ali seu palacete de verão e passava os meses mais quentes do ano. É dessa época, segunda metade do século 19, boa parte dos prédios históricos tornam o município tão atrativo, como o próprio palácio, que se tornou o Museu Imperial e guarda um rico acervo do Primeiro e do Segundo Reinados. Há ainda outras construções belas, como o Palácio de Cristal.

Divulgação

Salvador - BA

Salvador foi a primeira capital do Brasil entre 1549 e 1763, ainda durante o período colonial, e é uma das mais antigas vilas surgidas no Novo Mundo. Foi uma época em que o nordeste brasileiro concentrava as principais fontes de renda de Portugal. Por isso, a cidade é rica em prédios históricos, a maioria concentrada na região do Pelourinho. Várias casas e edifícios datam dos séculos 17 e 18. Destacam-se a sede da Câmara Municipal e o palácio do Governador-Geral, principal governante do Brasil à época. Mas chamam mesmo a atenção as belíssimas igrejas barrocas, como a do Carmo, de Santa Teresa, e da Ordem Terceira de São Francisco.

Divulgação

Diamantina - MG

Minas Gerais, no século 18, abrigava as principais jazidas de ouro e de pedras preciosas do Brasil. Suas cidades se tornaram prósperas e ganharam edifícios pomposos para a época. Um bom exemplo está em Diamantina, localizada no norte do Estado. Fundada em 1713 como Arraial do Tejuco, cresceu com a descoberta de diamantes na região, o que inspirou a mudança de nome. Com belos prédios, como o Colégio da Glória e as igrejas de Nossa Senhora das Mercês, do Carmo e do Rosário, tornou-se Patrimônio Mundial da Humanidade, segundo a Unesco.

Shaun Botterill/Getty Images Sport/Getty Images

Olinda - PE

Outra grande cidade nordestina do Brasil Colônia é Olinda, capital da então província de Pernambuco. Uma das mais antigas vilas do Brasil, foi fundada em 1535. Seus edifícios chamavam a atenção pela beleza e suntuosidade, que rivalizavam até mesmo com os de Portugal. Muitas dessas construções foram preservadas, como o Mosteiro de São Bento, o Convento de São Francisco e as igrejas do Carmo e de Nossa Senhora da Neves. Com a passagem da capital para Recife, a cidade perdeu importância econômica, o que acabou ajudando na manutenção de muitos de seus prédios. Hoje, é Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, segundo a Unesco.

Divulgação

Cidade de Goiás - GO

A descoberta de ouro ao norte de Minas Gerais fez com que um grande fluxo de pessoas se mudasse para a região. Essa movimentação resultou na fundação da cidade de Goiás, em 1727, e na criação da capitania de mesmo nome, em 1748. A riqueza do metal nobre permitiu a construção de muitos edifícios que existem até hoje, como a Casa de Câmara e Cadeia (atual Museu das Bandeiras), o Palácio Conde dos Arcos, o Chafariz de Cauda e a Igreja da Boa Morte, que abriga o belíssimo Museu de Arte Sacra, além de muitas ruas com casario antigo. Também foi reconhecida como Patrimônio Histórico e Cultural Mundial pela Unesco.

Divulgação

Pirenópolis - GO

Fundada em 1727, Pirenópolis é uma das mais antigas cidades de Goiás e seu surgimento foi motivado pela "corrida do ouro", que chegava à região. O século 18 foi de riqueza para muitos aventureiros que se instalaram por lá. Foi nesse período que surgiram algumas das mais importantes construções, como as igrejas de Nossa Senhora do Rosário, do Carmo (1750-1754) e Nosso Senhor do Bonfim. Vários casarões dessa época estão preservados em várias ruas do município, de traçado irregular. Graças a isso, tornou-se um importante ponto turístico. Acabou sendo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico.

Divulgação

Ouro Preto - MG

Fundada em 1711, Ouro Preto foi capital da capitania de Minas Gerais em seu período mais importante: o ciclo do ouro. Tornou-se a vila mais rica da colônia graças ao metal nobre, que incentivou a construção de grandes edifícios, que seguem em pé nos dias atuais. Hoje, a cidade é um museu a céu aberto, com prédios belíssimos, como a Escola de Minas, antigo palácio dos governadores, a Casa de Câmara e Cadeia, hoje Museu da Inconfidência (foto). Por abrigar esse tesouro histórico inestimável, tornou-se o primeiro município brasileiro a ser declarado, pela Unesco, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, em 1980.

Divulgação

São João Del Rey - MG

Assim como Ouro Preto, São João Del Rey teve sua história marcada pela mineração e a Inconfidência Mineira. Fundada em 1704, cresceu rapidamente graças à corrida do ouro. O metal está presente no interior de várias construções do século 18, como a belíssima catedral de Nossa Senhora do Pilar. As Igrejas do Carmo e São Francisco de Assis também impressionam pela beleza. Tão ou mais importante que o ouro foi a passagem de Aleijadinho pela região, que deixou tesouros inestimáveis de arte sacra em pedra sabão na cidade. Vale também conferir o Fortim dos Emboabas, construção de 1701, que hoje pertence à Universidade Federal de São João Del Rey.

Fábio Mendes

Tiradentes - MG

Situada ao lado de São João Del Rey, Tiradentes é outra cidade história importantíssima em território mineiro. Fundada em 1702 como Vila de São José, ganhou o nome atual em homenagem ao mártir da Inconfidência Mineira, que ali nasceu. A antiga Cadeia Pública, a Casa da Cultura e a sede da Câmara Municipal estão entre os mais importantes edifícios do período. As ruas sinuosas chamam a atenção pelo calçamento em pedra capistrana e também pelo numeroso casario antigo. O grande destaque é a Igreja Matriz de Santo Antônio, construída em ouro no ano de 1710. Ela possui um órgão de 1788, considerado um dos 15 mais importantes do mundo.

Érica França

Paraty - RJ

Devido à sua proximidade com a região aurífera de Minas Gerais, Paraty se tornou o mais importante porto exportador de metais preciosos do Brasil, sendo o ponto de partida da mítica Estrada Real. Fundada em 1530, manteve sua importância econômica por quase três séculos, o que resultou na construção de grandes edifícios no período. Muitos deles foram mantidos como os conhecemos hoje. Patrimônio Nacional tombado pelo Iphan, o Centro Histórico tem 31 quarteirões e quatro praças, cheios de casas dos séculos 17 até 19. Destaque para a Casa da Cultura, o Sobrado dos Bonecos e a bela Igreja da Matriz.