Cinco adaptações físicas dos tamanduás

Escrito por hayley ames Google | Traduzido por rodrigo castilhos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Cinco adaptações físicas dos tamanduás
O tamanduá-bandeira é a maior espécie de tamanduá (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Existem quatro as espécies de tamanduás encontrados em seu habitat natural, florestas tropicais e savanas das Américas do Sul e Central. Os tamanduás são muito bem adaptados a seu habitat e sua dieta, embora seja necessário um grande número de formigas e cupins para sustentá-lo, o tamanduá nunca consome toda uma população de um formigueiro ou cupinzeiro. O que permite a sobrevivência das populações de insetos e assegura que as fontes de alimentos se reabasteçam.

Outras pessoas estão lendo

Nariz

Os tamanduás têm um faro muito aguçado que lhes ajuda a localizar formigueiros e o tipo de formiga contida dentro de cada um. O nariz negro e úmido fica localizado na ponta do focinho longo do tamanduá. A posição do nariz é importante para encontrar alimento e ajuda o tamanduá a manter o nariz acima da superfície d'água enquanto nada.

Língua

O tamanduá tem uma língua extremamente comprida que pode atingir distâncias de até dois metros além do focinho. A língua do tamanduá possui pequenas farpas e saliva espessa e pegajosa. As farpas e a saliva ajudam o tamanduá coletar o máximo de formigas possíveis na língua. O tamanduá-bandeira é capaz de comer cerca de 30.000 formigas num único dia graças a sua língua singular que pode se projetar e retrair cerca de 150 vezes por minuto.

Sistema digestivo

A boca do tamanduá é estreita, tubular e desdentada. Ela permite a que a língua se movimente com rapidez e eficiência. O tamanduá tem estômago especializado que tritura as formigas com músculos poderosos e as dissolve em ácidos fortes. O estômago especializado do tamanduá dispensa o uso de dentes e permite que o animal consuma grande quantidade de alimento sem precisar mastigar.

Garras

As garras longas e afiadas sobressaem-se dos três dedos do meio de cada um dos pés do tamanduá. Essas garras fortes podem ser usadas para abrir fendas em cupinzeiros e formigueiros dos quais se alimenta. Quando o tamanduá escala árvores, suas garras longas o ajudam a se agarrar no tronco e nos galhos. O tamanduá também podem usar suas garras formidáveis contra os predadores como os grandes felinos quando se sentem ameaçados. Ele evita que as suas garras tão úteis sejam desgastadas, caminhando sobre os nós dos dedos com a metade da sola das patas acima do chão.

Cauda

Os tamanduás têm caudas longas e fortes que podem chegar a um metro de comprimento, dependendo da espécie. A cauda pode auxiliar o animal a se manter em pé. O tamanduá também pode usar sua calda para se agarrar em galhos enquanto se locomove pelas árvores. Parte da cauda é pelada, permitindo melhor aderência em ramos. A maior parte da cauda, porém, é coberta por uma pelagem longa. Quando a temperatura cai, ele ganha isolamento extra dobrando a cauda peluda em volta do corpo para cobrir-se.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível