Circulação sanguínea e gravidez

Escrito por bridget coila | Traduzido por luis fernando dias carvalho
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Circulação sanguínea e gravidez
A gravidez altera o sistema circulatório (pregnancy on red image by starush from Fotolia.com)

Durante a gravidez, o corpo de uma mulher de 39 anos passa por muitas mudanças; e mudanças no sistema circulatório não são exceção. O corpo da mamãe se adapta às necessidades do feto, uma vez que seu sangue fornece todos os nutrientes e o oxigênio de que o bebê precisará por toda a gravidez. Às vezes, a mudança no sistema circulatório causa desconfortos e complicações à mãe, mas sua condição costuma voltar ao normal pouco depois do nascimento do bebê.

Outras pessoas estão lendo

Circulações do feto e da mãe

A presença do feto tem grande impacto na circulação durante a gravidez. Todo o sangue da mãe de 39 anos circula através da placenta, que é ligada à parede interna do útero. O sangue oxigenado entra na placenta pela artérias da mãe e é transmitido através do cordão umbilical ao feto. O feto extrai os nutrientes e o oxigênio de que necessita do sangue de sua mãe e então envia o sangue venoso de volta à placenta através das duas artérias do cordão umbilical. Este sangue venoso então circula de volta para dentro do sistema cardiovascular da mãe e é transportado por suas veias de volta a seus pulmões para oxigenação.

Mudanças maternais

Durante a gravidez, o rendimento cardíaco e o volume sanguíneo da mãe aumenta de 30% a 50%, de acordo com os Merck Manuals. O pico ocorre por volta da 24ª semana de gestação e então começa a cair por volta da 30ª semana. Quando as dores de parto começam, esta condição começa a aumentar novamente e então cai rapidamente durante o parto, ao que o sangue é perdido como consequência do nascimento. A frequência cardíaca materna aumenta para aproximadamente 90 batidas por minuto. A pressão sanguínea geralmente cai no segundo trimestre, mas aumenta novamente durante o terceiro. A composição do sangue também se modifica, havendo uma proporção mais elevada de plasma / células vermelhas no sangue das gestantes em comparação às mulheres não grávidas.

Desconforto

Algumas das mudanças na circulação sanguínea durante a gravidez podem causar desconforto à mãe. Inchaço é comum, especialmente nas pernas e nos pés, devido ao volume sanguíneo aumentado e à pressão nas veias nessas extremidades baixas. A baixa pressão sanguínea e o maior volume de sangue podem contribuir para a fadiga e as dores de cabeça durante a gravidez. Hemorroidas também podem ocorrer como consequência do fluxo sanguíneo restrito para a metade inferior do corpo.

Complicações

Se o sistema circulatório não funcionar adequadamente durante a gravidez, pode haver complicações. Restrição de crescimento intrauterino (ou IUGR, em inglês) é uma condição na qual o feto não se desenvolve adequadamente e pode ser consequência de uma cirulação deficitária na mãe ou problemas na placenta ou no cordão umbilical. Ameaças à saúde da mãe podem incluir a pré-eclâmpsia, um perigoso aumento na pressão sanguínea acompanhada de proteínas na urina. A mãe pode também desenvolver anemia, quando os glóbulos vermelhos aumentados usam o estoque disponível.

Recomendações

A página GYNOB.com recomenda que se durma sobre o lado esquerdo do corpo durante a gravidez para se evitar obstrução da veia cava, veia que controla o fluxo sanguíneo da parte inferior do corpo de volta para o coração. A March of Dimes recomenda que a mulher grávida evite ficar muito tempo sentada e que se sente com os pés para cima para evitar o acúmulo sanguíneo nos membros inferiores.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível