O que é a clindamicina HCL?

Escrito por jessica pestka | Traduzido por monique monteiro
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que é a clindamicina HCL?
O que é a clindamicina HCL? (stock_xchng - Assorted capsules and tablets (stock photo by zeathiel) [id 1028441])

A clindamicina ou o cloridrato de clindamicina (HCL) é um antibiótico de prescrição médica usado para tratar infecções bacterianas e oferecido como uma cápsula oral. Ela é fabricada sob uma série de marcas, mas também está disponível em formas genéricas. A clindamicina HCL oral é aprovada para o tratamento de doenças respiratórias bacterianas, infecções abdominais e infecções da pele ou dos tecidos moles, sendo também utilizada como um medicamento veterinário ou podendo ser prescrita antes do tratamento dentário para evitar infecções do coração.

Outras pessoas estão lendo

Função

Os antibióticos tratam infecções bacterianas, impedindo o crescimento de bactérias. A clindamicina HCL trabalha de forma mais eficaz para evitar o alastramento de infecções causadas por bactérias anaeróbias — bactérias que não precisam de oxigênio para sobreviver —, como o Staphylococcus aureus e o Streptopcoccus pneumoniae, inibindo sua produção de proteínas e, assim, impedindo sua capacidade de se replicar. Todas as bactérias remanescentes morrem rapidamente e as novas bactérias não serão capazes de sobreviver na presença da clindamicina, o que efetivamente termina o alastramento da infecção que está sendo tratada.

Tipos

Existem várias marcas de clindamicina disponíveis. As marcas mais comuns são a Cleocin pela Pfizer, a Dalacin pela Upjohn e a Clinacin pela Invert. A Cleocin e a Dalacin são aprovadas para uso humano e a Clinacin é aprovada apenas para uso veterinário. A clindamicina HCL, incluindo em Cleocin, Dalacin e em formas genéricas, está disponível em dosagens que variam de cápsulas de 75 mg até 300 mg, estando também disponível em formas tópicas e intravenosas — no entanto, estas formas contêm fosfato de clindamicina, e não clindamicina HCL.

Considerações

A utilização generalizada de antibióticos, tais como a clindamicina HCL, criou um aumento de diarreia relacionada a antibióticos. Esta diarreia é o resultado da bactéria Clostridium difficile, ou C. diff, normalmente presente no corpo. Durante o uso de antibióticos, muitas bactérias digestivas são mortas, mas não a C. diff, que pode então se proliferar em grande número, causando um equilíbrio bacteriano insalubre no trato digestivo. As toxinas liberadas pelas bactérias C. diff podem causar inchaço, cólicas abdominais e diarreia.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns da clindamicina são leves dores de estômago, náuseas e diarreia, sintomas que são, em muitas vezes, administráveis em casa e que podem ser reduzidos com a administração do medicamento e a alimentação adequada. A presença de sangue nas fezes ou forte dor abdominal pode indicar um problema mais grave, a colite pseudomembranosa, que deve ser tratada rapidamente. Embora raras, as reações alérgicas podem ocorrer pela clindamicina e, por isso, uma erupção cutânea, dificuldade em respirar ou inchaço ao se tomar clindamicina devem ser tratados com urgência.

Avisos

Devido ao risco da colite associada à clindamicina, ela não deve ser usada por indivíduos com colite e outros distúrbios gastrointestinais graves. Os pacientes com doença hepática ou renal devem ser cuidadosamente monitorados ao tomar este medicamento e podem necessitar de doses alteradas de clindamicina. Antibióticos, incluindo a clindamicina, não combatem infecções virais, como o vírus que provoca o resfriado comum. A fim de evitar o desenvolvimento de bactérias resistentes aos antibióticos, a clindamicina deve ser tomada exatamente conforme indicação.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível