Complicações no procedimento da flebotomia

Escrito por kate bruscke | Traduzido por amanda nunes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Complicações no procedimento da flebotomia
As complicações da venipuntura variam de suaves a muito sérias (syringe image by Chris Bolton from Fotolia.com)

A flebotomia — prática de tirar amostras de sangue do paciente e outros tecidos corporais para exames médicos, pesquisa ou banco de sangue — é geralmente realizada por um flebotomista treinado ou um profissional de laboratório. Os procedimentos mais comuns realizados por eles são a venipuntura, na qual uma amostra de sangue é retirada de uma veia (normalmente do braço), e a picada no dedo, que requer uma menor amostra de sangue retirada da ponta do dedo. Embora esses procedimentos sejam simples e sem muito perigo de acidentes, algumas complicações podem surgir em decorrência da saúde do paciente ou caso o flebotomista não siga o procedimento correto.

Outras pessoas estão lendo

Hematoma

Um hematoma é um acúmulo de sangue que fica no tecido ao redor da veia. Ele pode parecer uma equimose ou estar elevado, e é geralmente doloroso. Os hematomas são frequentemente causados quando um flebotomista perde uma veia, ou a punciona parcialmente ou completamente durante uma venipuntura de rotina. A maioria dos hematomas é meramente desconfortável, no entanto, um cuidado especial deve ser dado às crianças, idosos e pacientes que possuam desordens de sangramento ou estão tomando medicação para afinar o sangue.

Para prevenir um hematoma, o flebotomista deve: escolher uma veia superficial para puncionar, tomar cuidado para puncionar a veia no ângulo correto e evitar sondar a veia com a agulha.

Para tratar o hematoma levante a região afetada do paciente a uma altura mais alta do que a do coração, enquanto aplica gelo e cuidadosamente pressiona a área.

Aplicação prolongada do torniquete

Um torniquete é uma ferramenta essencial que ajuda um flebotomista inicialmente a localizar (apalpando) e a puncionar a veia. Contudo, os torniquetes devem permanecer em um paciente por não mais do que dois minutos, caso contrário, pode arriscar tanto a integridade da amostra de sangue coletada (chamada de hemoconcentração), como a saúde do paciente. A aplicação prolongada do torniquete pode levar a um dano irreversível do tecido ou nervo.

Se o flebotomista tem dificuldade de localizar uma veia, ele ou ela deve desamarrar o torniquete e iluminar a área com uma luz aquecedora ou com um aquecedor portátil. O paciente deve fechar o punho brevemente e, só então, deve-se amarrar novamente o torniquete e apalpar a veia para encontrá-la. Se o flebotomista ainda não conseguir localizar a veia, ele deve remover o torniquete e utilizá-lo no outro braço (ou em uma outra área).

Se o paciente estiver com o torniquete aplicado e reclamar de uma dor não comum, dormência ou formigamento, um supervisor deve ser contactado e a equipe médica chamada imediatamente.

Hemólise

Hemólise é uma complicação que acontece não no paciente, mas sim na amostra de sangue coletado. Quando uma amostra de sangue é coletada incorretamente ou manuseada bruscamente, as células vermelhas na amostra podem sofrer uma "lise", ou seja, se quebrarem. A hemólise pode afetar ou até mesmo anular os resultados de muitos testes.

Os flebotomistas devem manusear tubos de coleta de sangue com cuidado. Se os tubos contém um aditivo e precisam ser misturados, o flebotomista deve cuidadosamente invertê-los, ao invés de balançá-los.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível