×
Loading ...

Conheça a história de Cafu

Talvez você não conheça Marcos Evangelista de Morais, mas certamente sabe quem é Cafu, o capitão da seleção brasileira que ergueu a taça do pentacampeonato em 2002. O eterno camisa 2 da seleção brasileira é considerado um dos maiores futebolistas vivos do mundo. Além disso, Cafu também é o recordista de jogos pela seleção brasileira de futebol. São, ao todo, 149 partidas, quatro Copas do Mundo disputadas e duas Copas vitoriosas (1994 e 2002). Mas antes de atingir uma trajetória vitoriosa nos gramados, Cafu passou por muitas dificuldades. Confira a trajetória de Cafu, nosso ídolo no futebol.

Cafu é considerado um dos maiores esportistas do mundo (Jefferson Bernardes/Getty Images Entertainment/Getty Images)

Rejeição nas peneiras

Antes de se tornar um dos maiores laterais de todos os tempos, Cafu tinha uma vida humilde no bairro Jardim Irene, em São Paulo. Com o sonho de se tornar um jogador de futebol, o jovem Cafu disputava cada oportunidade que via pela frente. Ele foi rejeitado em nove testes de futebol, as famosas peneiras. Sem desistir, finalmente iniciou a carreira pela escolinha de futebol Craque Pedro da Rocha. Então, foi jogar no Nacional AC, passou pela Portuguesa de Desportos, o Itaquaquecetuba, e finalmente chegou ao time do São Paulo, em 1989.

Loading...
O jogador foi rejeitado em nove peneiras de futebol (Jupiterimages/Stockbyte/Getty Images)

O início no São Paulo

A primeira grande oportunidade na vida profissional de Cafu veio no time do São Paulo, que vivia um grande momento no começo da década de 1990. No São Paulo FC, o jovem jogador Cafu encontrou um técnico inteligente, capaz de aproveitar todas as potencialidades do futuro campeão. Telê Santana ofereceu as principais chances para Cafu no time do São Paulo. Logo, Cafu se destacou e foi considerado uma das grandes revelações no futebol brasileiro. A evolução veio naturalmente e, em 1990, Cafu fazia sua estreia com a camisa da seleção brasileira.

A primeira grande oportunidade na vida profissional de Cafu veio no time do São Paulo (Pixland/Pixland/Getty Images)

Outros clubes

No São Paulo, Cafu acumulou uma série de títulos, como o Campeonato Brasileiro, a Libertadores da América e o Campeonato Mundial Interclubes. Em 1995, o jogador foi para o time espanhol de Zaragoza e, no mesmo ano, foi jogar no Palmeiras, onde deixou sua marca como um dos melhores laterais da história do clube. Em seguida, foi jogar em Roma, Itália, no ano de 2000. Em 2002, foi transferido para o Milan, onde venceu o campeonato italiano de futebol e a SuperCopa. Despediu-se dos gramados pelo time do Milan. Na última partida da carreira, o time de Cafu venceu a Udinese por 4 a 1. Na ocasião, Cafu marcou o último gol do jogo para se despedir com o estilo de campeão.

Cafu encerrou sua carreira no time do Milan, na Itália (Thomas Northcut/Digital Vision/Getty Images)

Seleção brasileira

Mas foi mesmo na seleção brasileira que Cafu se destacou. Foi o recordista com a camisa verde-amarela (149 jogos) e venceu duas Copas do Mundo. Tudo começou em 1990, quando foi convocado para um amistoso depois de se destacar como lateral do São Paulo. Foi para a Copa de 1994 como reserva do titular Jorginho. Quando Jorginho se machucou, na final contra a Itália, Cafu teve sua chance no time principal. Era a oportunidade que faltava. Tornou-se titular absoluto da camisa 2 da seleção. Com o Brasil, ele venceu a Copa América em 1997 e 1999, disputou a Copa do Mundo em 1998. Depois disso, virou o capitão da seleção brasileira na trajetória vitoriosa que nos deu o pentacampeonato em 2002. A imagem de Cafu levantando a taça é parte da história do futebol mundial.

Cafu ergueu a taça Fifa na Copa de 2002 (Michael Buckner/Getty Images Entertainment/Getty Images)
Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...