Conselho sobre se apaixonar por um presidiário

Escrito por chelsea hoffman Google | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Conselho sobre se apaixonar por um presidiário
Existem projetos de pen pal destinados a presidiários por todo o mundo

Muitos homens e mulheres de todo o mundo participam de programas de pen pal (amigos de correspondência) projetados para detentos. Exemplos desses programas incluem o projeto americano writeaprisoner.com e muitos outros. Ser um amigo pen pal de um preso pode trazer uma sensação para alguns de estar fazendo uma boa ação, já que proporciona contato humano para os presos solitários. No entanto, sentimentos românticos podem se desenvolver entre o pen pal e o preso, resultando em duas pessoas que se apaixonam. Essa situação acontece o tempo todo e tem suas histórias de sucesso, bem como os seus fracassos.

Outras pessoas estão lendo

Saiba com o que você está lidando

Se você estiver navegando por perfis de detentos em um site de pen pal ou namoro, tenha em mente que nem todas as pessoas deixam o sistema prisional reabilitadas. Na verdade, de acordo com o Bureau of Justice Statistics (BJS), mais de 50% dos criminosos violentos em sistemas prisionais dos EUA são reincidentes. Essa estatística afirma que o mesmo percentual voltará a entrar no sistema prisional dentro de três anos após ter sido solto. É importante não apenas saber o motivo pelo qual o seu pen pal em potencial está na prisão, mas também ter em mente que essas estatísticas são importantes de se lembrar. Não é uma ideia muito boa se envolver com alguém que está cumprindo uma pena por um crime violento ou sexual, uma vez que eles são repetidos com frequência. Envolver-se com um indivíduo perigoso pode, eventualmente, deixar você vulnerável a infortúnios. Para garantir a sua segurança ao mesmo tempo que se corresponde por cartas com um recluso, use uma caixa postal da própria unidade dos correios ou um endereço de email anônimo.

Conselho sobre se apaixonar por um presidiário
Tenha cuidado ao se corresponder com um prisioneiro

Não tenha pressa

Independentemente de estar se correspondendo com alguém com uma pena longa ou curta, é importante não ter pressa e ir com calma. Apaixonar-se por um preso pode ser perigoso se você for rápido demais. Tente não revelar muito sobre sua vida pessoal no início. No caso de estar conectado com alguém que é um perigo para você e sua família, é questão de bom senso abster-se de divulgar muita informação cedo demais. Seja espontâneo e tenha em mente que a vida na prisão é solitária para muitos homens e mulheres. Aparentemente, alguns presos podem apegar-se rapidamente a um contato do lado de fora, e é importante manter as coisas em um ritmo lento para o benefício de ambos, você e o preso. Se florescerem sentimentos românticos profundos após longos emails ou cartas, discuta esse assunto com o recluso e planeje seus próximos passos. Tente não se apressar para conhecer o seu pen pal no momento em que ele ou ela for libertado da prisão. Mantenha uma amizade de longa distância por alguns meses para garantir que os sentimentos ainda são os mesmos de quando a pessoa estava presa.

Tornando as coisas sérias

Começar um relacionamento verdadeiro com um ex-presidiário pode ser difícil. Alguns deixam o sistema e são capazes de desfrutar plenamente de uma vida normal, sem crime, mas precisam da ajuda de entes queridos para auxiliar em sua recuperação desse estilo de vida. As coisas devem fluir sem que alguém diga à pessoa que ela deve levar uma vida sem atividade criminosa, a fim de mantê-la nesse ambiente positivo. Mantenha a sua vida livre de influências negativas e procure até mesmo aconselhamento para ajudar no seu relacionamento. Você pode ser a segunda chance tão esperada dessa pessoa, por isso, só é uma boa ideia procurar uma relação de longo prazo com um ex-presidiário se você realmente sentir que os seus sentimentos são genuínos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível