O que é um controle de envio FX?

Escrito por james highland | Traduzido por jose airton almeida neto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que é um controle de envio FX?
A maioria dos mixers tem possui um controle de envio FX. (mixer image by turkinson from Fotolia.com)

Um mixer de áudio é feito para criar um único painel de controle que tanto distribui como recebe os sinais de áudio a partir de várias fontes. Quando vários instrumentos são combinados com múltiplos processadores de efeitos independentes, tais como o reverb ou a distorção, o resultado é uma matriz complicada de sinais que devem ser devidamente organizados. O controle de envio FX é uma das funções fornecidas pelo mixer, que facilita o processamento desses sinais, à medida em que eles são incorporados ao mix de áudio final.

Outras pessoas estão lendo

Aparência

Geralmente o controle de envio FX é um botão localizado acima de cada uma das alavancas de fader. Entretanto, a localização exata e o tipo de controle pode variar de acordo com o modelo do mixer. Geralmente, a quantidade de controles de envio é tão grande quanto o número de canais em um mixer. Às vezes o mixer suporta dois barramentos FX independentes, e neste caso dois botões estão localizados acima de cada um dos tracks. Eles são indicados, por exemplo, como "Fx Send 1" e "FX Send 2". Desse modo, um mixer comum com 8 canais pode ter até 16 controles de envio FX. Além disso, a saída principal de áudio também pode ter seu próprio FX.

Utilidade

Não é raro existir vários instrumentos mixados em uma mesma gravação. Estes instrumentos seriam transmitidos através do mesmo mixer, mas, no entanto, não é eficiente ter processadores de efeitos separados, um para cada instrumento. Alguns efeitos, como o reverb, o delay, o refrão e a distorção, são frequentemente utilizados em vários instrumentos simultaneamente. Os controles de envio FX possibilitam ter um processador de efeitos conectado ao mixer, que todas as faixas podem usar. Cada faixa tem um controle separado para determinar quanto, se houver, do seu sinal deve ser enviado para os processadores de efeitos. O controle de envio FX é o que faz a determinação e se, no fim, a faixa não for processada de qualquer modo, o controle FX é reduzido a zero.

Mecanismo

O mixer pode distribuir um sinal de áudio separado para o processador de efeitos. Existe uma saída de áudio para essa função, à parte da saída de áudio principal. Os cabos conectam o sinal de áudio aos processadores de efeitos, e, após isso, os cabos extras são distribuídos entre as saídas do processador e de volta para o mixer. A interface da entrada FX também é independente das demais entradas de áudio do mixer. Quando o controle FX é aumentado em uma faixa, parte ou todo o áudio da faixa é enviado para os processadores de efeitos, através destes cabos e, então, retornam ao mix final. O áudio processado é então recombinado com o mix final, antes de ser processado pelo canal de áudio principal do mixer.

Interfaces dos Softwares

Os avanços tecnológicos na informática têm possibilitado substituir os equipamentos de mixers por softwares equivalentes que realizam as mesmas funções. Esses mixers são exibidos na tela do computador com uma interface similar à dos homólogos. Os controles do mixer estão todos dispostos nos mesmos lugares de sempre, padronizados há décadas pela indústria. Sendo assim, um software mixer também pode mostrar os controles de envio FX localizam-se acima dos faders de faixas. Como o software não está restrito às mesmas limitações dos equipamentos de mixer, é possível que um software de mixer tenha muito mais controles de envio FX do que o normal. Alguns oferecem opções de envio FX ilimitadas, restritas apenas pelos recursos do computador.

Considerações

Quando apenas um processador de efeitos é utilizados em um conjunto completo de multi-faixas, os instrumentos ficam sem suas próprias configurações de efeitos específicas. De preferência, todos os instrumentos devem utilizar o mesmo efeito compartilhado. Apenas a quantidade daquele efeito influenciada em uma faixa individual pode ser controlada. Por isso, quase sempre é necessário utilizar efeitos simples, mas de alta qualidade, que sirvam para vários tipos de fontes de som. Um outro problema bem comum entre amadores é o fato de que o mix final pode soar um pouco estranho quando o mesmo efeito é aplicado a várias faixas simultaneamente. Recomenda-se cuidado no ajuste da qualidade de cada um dos sons originais da faixa antes da aplicação de qualquer efeito, para que seja necessário o mínimo de efeitos na otimização do som.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível